domingo, 25 de janeiro de 2009

Hidrelética do Estreito


Agencia Brasil – O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, garantiu que a Usina Hidrelétrica de Estreito (UHE), no sul do Estado, entrará em operação em setembro de 2010. O cronograma inicial de conclusão das obras foi prejudicado por questões levantadas por ambientalistas, no entanto, parece que os questionamentos já foram resolvidos. Atualmente, a UHE já está com mais de 30% de suas obras concluídas.


Ainda de acordo com o ministro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá fazer uma visita à usina em breve, devido as obras da UHE, fazerem parte do PAC. A Hidrelétrica de Estreito está orçada em R$ 3,6 bilhões.


- O maior benefício de um investimento desse porte e com essas características é a geração maciça de empregos, provocando uma verdadeira revolução econômica e social na região - avaliou Lobão. Ele comemora o fato de as obras da usina gerarem aproximadamente 5.500 empregos diretos e 18 mil indiretos em toda a região.


O Ministério de Minas e Energia vai possibilitar a construção de outras cinco hidrelétricas no Maranhão, todas de pequeno porte, às margens do Rio Parnaíba, na divisa do Piauí. De acordo com o ministro, a Eletronorte realiza estudos com a Camargo Correa e a Alcoa para viabilizar uma hidrelétrica de 1.300 MW em Serra Quebrada, também no Maranhão, na divisa com o Tocantins.

2 comentários:

  1. Primeiro um abraço pra lá de apertado a este queridíssimo irmão, William Marinho. Parabéns, meu velho. Sempre atuante... Tenho orgulho de ser seu amigo e saber que a nossa imprensa da "Imperosa" continua firme, como voce sempre foi.

    Mas, William e amigos do Maranhão do Sul, estou agora do outro lado da moeda. Moro na Maravilhosa cidade de Araguaina, Tocantins. Só queria fazer aqui um registro do sofrimento sem recompensa das onze cidades impactadas(tem delas que vai até sumir)por esta necessária, mas, injusta obra.
    Daqui fico vendo a fortaleza que é a representatividade política deste estado, que conseguiu, mesmo com apenas um município impactado(sim, por que os impactos em Estreito são todos positivos), a sede, os "royalties" e os benefícios maiores da obra ficam aí. Se te conheço bem, vais achar que é dor de cotovelo. Não é não, meu irmão. É sede de justiça! Até bem sabes que sou impratrizense de coração. Mas queria dizer que o quê este consórcio esta fazendo com famílias, comunidades e cidades impactadas no estado do Tocantins, chega a ser cruel e desumano, no melhor estilo "holocausto". Não estou exagerando, não! A verdade é que estes municípios estão sendo estuprados e seu povo desrespeitado "sem ferrolho e nem tramela" pelas forças nefastas do poder(voce sabe bem a fonte dessa força) que oprimem e, pior, não dão a menor chance de reação. E ainda "abduzem" as mentes com falsos programas de apoio social que só enchem os bolso de alguns e lascam a vida dos outros!
    Desculpe o descarrego, parceiro!
    nada tenho a ver com a famigerada hidreletrica. Nem ela interfere em minha vida pessoal. Mas, como me disseste um dia: "A verdade tem que ser dita. Doa a quem doer".

    Te adoro, meu mano
    meus contatos:
    reporterguerrero@hotmail.com
    063 9215 2588

    Roberto Guerrero

    ResponderExcluir
  2. Fazendo mídia para o futuro candidato a governador, né?
    Você como sempre defendento Ildon e o Grupo do Sarney.

    ResponderExcluir