quinta-feira, 16 de abril de 2009


Do blog do jornalista Tácito Garros, capturei o seguinte comentário acerca do economista Jorge Murad a quem tenho a mesma opinião a respeito da sua falta que fará mesmo ao futuro governo da sua esposa Roseana Sarney.


"Setores da imprensa tem dado como certa a ausência do economista Jorge Francisco Murad Junior no eventual terceiro mandato da senadora Roseana Sarney como governadora do Maranhão. Jorge, marido da senadora, no primeiro mandato foi Assessor Especial da governadora e no segundo Secretário de Planejamento e Desenvolvimento do Estado concentrando muito poder. Nas duas oportunidades teve papel decisivo. Cortou gastos, equilibrou as finanças do Estado e espantou a política do clientelismo e dos convênios desmedidos. Extrapolou na medida e acabou tornando-se quase unanimidade de rejeição da classe política mas, um técnico de sua estirpe fará falta no futuro governo Roseana. Em que pese as reclamações da classe política o economista Jorge Murad, um estudioso da economia Nacional e Mundial é profundo conhecedor da máquina administrativa do Estado. Partiu de seu planejamento grande parte das ações dos governos Roseana hoje reconhecidos como avanços para o Maranhão pela Fundação Getúlio Vargas. A FGV divulgou recentemente o primeiro resultado do Indicador de Desenvolvimento Sócio Econômico (IDSE), que mostra o avanço dos estados brasileiros. O Maranhão aparece em terceiro lugar entre os que mais se desenvolveram. Segundo o estudo, o resultado é fruto de investimentos iniciados há oito anos. O Maranhão avançou 15,8% em relação a São Paulo, sendo superado apenas pelo Tocantins e Bahia, graças aos recursos aplicados em saneamento básico e abastecimento d’água, exatamente as principais obras do governo Roseana.Outro ponto importante que não aparece nos dados da FGV revelam que as decisões do governo levadas a cabo entre 1995 e 2002 segundo os relatórios publicados pelo IBGE e pelo IPEA foram eficientes. Os relatórios disponibilizados pelos dois órgãos ao grande público também na Internet, demonstram que nesse período o Estado chegou muito próximo da universalização no atendimento do ensino fundamental com 96% das crianças de 7 a 14 anos frequentando regularmente a escola. Esses e outros inúmeros investimentos só foram possíveis graças ao equilíbrio das contas do Estado e um planejamento adequado dos gastos através da administração direta e não através de convênios tortuosos atravessados por deputados ou manipulados por prefeitos.O estado nesse período enfrentou muitas situações adversas entre elas a pequena quantidade de recursos do Governo Federal mas, mesmo assim aplicando também recursos próprios avançou muito no que se refere aos investimentos totais com Educação e Cultura, expansão da água encanada nas cidades do interior com os Programas Comunidade Viva e Projeto Alvorada, com a construção das duas primeiras estações de tratamento de esgotos no estado (uma em Imperatriz e outra em São Luís),entre outras tantas obras em Infraestrutura, saneamento básico e saúde. Por esse prisma acredito que Jorge Murad fará falta no futuro governo Roseana.O que lhe falta em habilidade no trato com os políticos acostumados aos jeitinhos administrativos, sobra em competência técnica traduzida em números dos governos Roseana que começam a ser reconhecidos nacionalmente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário