quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O bicho vai pegar


Lula ao lado de Roseana com uma criança no colo.


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje pela manhã durante visita ao Residencial Camboa que “o bicho vai pegar no Maranhão, vocês vão ver”. A declaração do presidente foi uma alusão ao fato da fase de desenvolvimento que o estado entratá com a construção Refinaria Premium da Petrobras em Bacabeira.

“É por isso que vocês vão ver o que vai acontecer aqui no Maranhão, a partir de janeiro do ano que vem, fevereiro ou março. Na hora em que começar a terraplanagem da refinaria da Petrobras que a gente vai fazer aqui no Maranhão, vocês vão ver a quantidade de máquinas e a quantidade de trabalhadores trabalhando aqui no estado do Maranhão”, disse o presidente.
Ela afirmou que estará de volta ao estado entre os dias 15 e 18 de janeiro para dar início das obras de terraplanagem da refinaria. Lula afirmou que seu governo está investindo R$ 40 de bilhões na obra. Ele contou que a refinaria faz parte de uma meta de seu governo de mudar o eixo econômico do país para o Norte/Nordeste no sentido de levar o desenvolvimento também para essas regiões. Lula afirmou que é por isso que no estado estão sendo construídas 14 escolas técnicas.
“Podem ficar certos, a vida do povo do Nordeste e a vida do povo pobre deste país não voltará a ser a desgraça que era há algum tempo, não voltará. Acho que o Brasil aprendeu uma lição: de que o pobre não pode ter valor apenas na época da eleição, o pobre tem que ser respeitado 24 horas por dia, durante 365 dias por ano e durante a vida inteira. Porque na época de eleição, as pessoas gostam muito de pobre e falam mal de rico. Mas, depois, governam para os ricos e desprezam os pobres. Agora, a coisa inverteu. A coisa inverteu, este país aprendeu, este país aprendeu, e eu estou vendo na cara de vocês a alegria de quem está percebendo que está muito mais perto de a gente conquistar a felicidade do que voltar à desgraça anterior que a gente tinha neste país”, completou.
Palavrão
Durante cerimônia de assinatura de contratos do programa “Minha Casa, Minha Vida”, no Centro de Convenções, o presidente falou um palavrão. O termo foi usado durante discurso no qual ele defendia que nenhum governo investiu tanto em saneamento básico. “Eu não quero saber se o João Castelo (prefeito de São Luís) é do PSDB, não quero saber se o outro é do PFL, não quero saber se é do PT, eu quero saber se o povo está na merda e eu quero tirar o povo da merda em que ele se encontra. Esse é o dado concreto”, afirmou.
Em seguida, ele disse que o fato iria repercutir na mídia. “Lógico que eu falei um palavrão aqui, amanhã os comentaristas dos grandes jornais vão dizer que o Lula falou um palavrão. Mas eu tenho consciência de que eles falam mais palavrão do que eu todo dia e tenho consciência de como é que vive o povo pobre desse país e é por isso queremos mudar a história desse país.”
(Com informações do G1).

Nenhum comentário:

Postar um comentário