segunda-feira, 22 de novembro de 2010

No papel

A coluna desta terça


Chororó Sim

A Assessoria de Comunicação do Município de Ribamar Fiquene, contestou os dados levantados pelo líder político do município de Campestre, Marconi Ribeiro, abordando a crise nos municípios e a anunciada queda dos repasses institucionais. Disse a nota da assessoria de RF, que os dados oferecidos por Marconi Ribeiro em referência ao movimento dos prefeitos de 12 cidades da região contra a queda no repasse do FPM, e que ele fez questão de explicitar dois municípios, incluso Ribamar Fiquene, estão incorretos. A queda FPM é uma realidade nacional, a Confederação Nacional dos Municípios aponta que a receita do FPM permanece, em valores reais, no mesmo patamar verificado no auge da crise em 2009. Em valores brutos corrigidos pelo IPCA, o FPM acumulado entre janeiro e setembro de 2010 foi 1% menor que o mesmo período do ano passado. Foram 13 meses de uma trajetória descendente, de dezembro de 2008 a janeiro de 2010. Em setembro, por exemplo, o montante de 2010 foi 11% menor que o de 2008.

Parou

O prefeito de Ribamar Fiquene, Dioni Alves para compensar as perdas, diminuiu os investimentos a obras e até mesmo em serviços essenciais, mantendo rigorosamente o pagamento de salários do funcionalismo. Observa-se que a coluna em momento algum citou algo contra a administração citada ou que tenha deixado de trabalhar ou fazer pagamentos.

Ganhos

Mais uma vez foi infeliz o colunista ao dar crédito ao seu informante Marconi Ribeiro. – Observe que qualquer leigo diferencia os repasses entre o ano de 2004 para 2010. O FPM de 2004 foi baseado na receita prevista pelo governo federal, naquela época. Naturalmente não estagnou. Lógico que há os acréscimos de valores segmentados com base nas receitas da união, a cada ano. Relacione-se ai, valores da época no salário mínimo, custos operacionais de investimentos, além dos descontos constitucionais direto. Faça-se o comparativo com o quadro atual com informações junto a CNM.

Explicações ?

Considerando o período de 6 anos, entre 2004 a 2010, seria absurdamente inacreditável que o município de Ribamar Fiquene se mantivesse retrógrado no mesmo patamar. Com a lenta recuperação do FPM, os prefeitos enfrentam sérios problemas na gestão. As prefeituras que dependem exclusivamente do FPM, tem gasto com pessoal, custeio administrativo e investimentos.

Da coluna

Conforme observações acima, em nhum momento se fez qualquer comparativo de paralisações, redução ou gastos e sim, baseado no que os prefeitos de maneira generalizada alegam, queda em suas receitas e os dados demonstraram claramente que não houve. Houve sim, redução ao que estava previsto nos repasses e não queda. Também foi citado que os gastos feitos sem receita estava comprometendo as administrações.

Destaque

O Maranhão foi destaque na premiação Procel Cidade Eficiente em Energia, realizada esse mês em Campinas, São Paulo. O objetivo do prêmio é reconhecer, todos os anos, as iniciativas ambientalmente corretas relativas ao uso de energia elétrica. Esse ano, a cidade de Timon foi premiada na categoria Educação. A participação do estado no evento foi uma oportunidade de levar a CEMAR e, em consequência, o Maranhão a uma posição de destaque no cenário nacional.

Empreendedorismo

Começar um negócio pode ser complicado, é necessário conhecer os fatores políticos, econômicos e sociais que podem influenciar a empresa. Para fazer esse planejamento o empreendedor deve dispor de tempo e habilidade. A alternativa para poupar tempo sem abrir mão da segurança é abrir uma franquia. O bom franqueador dispõe do estudo necessário para o empreendedor abrir o negócio de forma segura.

Franquia

Para orientar melhor a população sobre franquias, o Imperial Shopping Center, em parceria com o Banco do Nordeste, vai realizar I Feira de Franquias de Imperatriz. O evento acontece dia 26 de novembro, no Palácio do Comércio, das 8h às 18h. Os interessados devem se inscrever até dia 25, no stand do Imperial na BR-010, próximo a Cemar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário