domingo, 20 de fevereiro de 2011

Coluna de domingo

Vitória



Com a decisão de ontem do STF determinar a posse dos suplentes dos partidos e não das coligações e que obrigou a corregedoria da Câmara a aceitar a determinação, o secretário de Brasília, Francisco Escórcio conseguiu uma vitória importante não só do ponto de vista partidário mais pessoal. Chiquinho Escórcio será responsável por um dos fatos políticos que influenciará decisões seculares na política. E mais, será o início do fim das coligações mesmo antes da reforma política. Veja, só, considerado como excêntrico e maluco, o ex-senador, ex-deputado e ainda secretário da representação em Brasília do Governo do Estado, será imortalizado nas anais do congresso nacional.



Deputado



Daqui a cinco dias, Chiquinho será empossado deputado em lugar de Davi Silva Jr, que está no cargo no lugar de Pedro Novaes e com isso, Pedro Fernandes com a certeza de que seu partido não perderá a representação na Câmara, irá se licenciar para ser secretário certo de que sua vaga será ocupada por outro petebista, o imperatrizense Nonato Costa. Veja, como são as coisas.



Câmara



Aqui em Imperatriz teremos novidades quanto a chegada de suplente. Tudo porque caminha rapidamente para que o vereador Rildo Amaral perca seu mandato por conta da reprovação de suas contas da campanha que o elegeu. E tudo indica que quem será beneficiado será o seu maior desafeto, o ex-vereador Nival Coelho, suplente do PV.



Correição



O Tribunal de Justiça do Tocantins passará por uma correição que será realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) entre segunda (21) e sexta-feira (25). A medida foi uma solicitação do presidente Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seccional do Tocantins, Ercílio Bezerra, feita na mesma semana em que três desembargadores do TJ-TO - Willlamara Leila, Liberato Póvoa e Carlos Souza - foram afastados na Operação Maet, da Polícia Federal, sob suspeita de venda de sentenças.



Processo



Durante o trabalho serão verificados os seguintes pontos: a adoção das providências requeridas na última inspeção, que ocorreu em 2009; possíveis novas irregularidades ocorridas após esse período; e ainda coleta de provas que vão instruir o processo administrativo disciplinar instaurado contra os desembargadores afastados.



Disciplinares



Os desembargadores Willamara Leila, Carlos Luiz de Souza e Liberato Povoa, além dos assessores Dagoberto Pinheiro Andrade Filho e Manoel Pedro de Andrade, foram afastados do TJ por 180 dias, período que pode ser prorrogado. Eles são acusados de participar de um suposto esquema de venda de sentenças e de manipulação de autorização para o pagamento de precatórios. Willamara era presidente do TJ e Souza, vice.



Proibidos



O STJ também proibiu a entrada dos cinco investigados em qualquer dependência judiciária do Tocantins, bem como o uso de veículos e equipamentos do tribunal estadual. Entretanto, o afastamento acontece sem o prejuízo de vencimentos tanto dos desembargadores quanto dos assessores.



Carcerário



Durante a primeira reunião ordinária deste ano do Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil em Tocantins (OAB-TO), realizada hoje (18), o sistema carcerário do Tocantins foi duramente criticado. Alguns conselheiros afirmaram que uma recente portaria do secretário de Segurança, Justiça e Cidadania, João Costa era, na verdade, um retorno ao tempo das cavernas. A portaria determinava que os detentos deveriam usar uniforme na cor pink e as mulheres, além de cortar o cabelo na máquina número dois, usar uniforme na cor verde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário