domingo, 28 de agosto de 2011

Os diferentes perfis de liderança da cadeira presidencial


Por Marcos Morita

Tenho acompanhado nas últimas semanas a operação limpeza, promovida pelo Palácio do Planalto junto a diversos ministérios. Apesar de algumas críticas sobre a continuidade, profundidade e efetividade destes atos, o sentimento geral é positivo, uma vez que, a maioria da população que paga seus impostos em dia, preferiria recebê-los em prestação de serviços à saúde, segurança, transportes e educação, ao invés de manchetes sobre escândalos, corrupções, mensalões, pagamento de propinas ou dinheiro na cueca.

Creio que nenhum cidadão brasileiro em sã consciência acredite no fim da impunidade ou das falcatruas, as quais nos acompanham desde a chegada dos portugueses em solo brasileiro, há mais de quinhentos anos. Muito há que ser feito em nosso meio jurídico e político, assim como na cultura predominante em tirar vantagem e obter concessões através de influências. Modelo esse, impregnado há séculos com os ciclos exploratórios do pau-brasil, da borracha, do ouro e da chegada da família real portuguesa ao Rio de Janeiro.

Não obstante, as críticas à postura centralizadora, gerencial e pouco amável da presidente, têm feito com que as ações e medidas enérgicas adotadas sirvam como um norte, um direcionamento sobre as novas regras do jogo, o qual, diga-se de passagem, rolou bastante frouxo nos últimos oito anos. Seu antecessor, assim como um árbitro complacente, preferia a lei da vantagem ao invés da falta, o afago e o diálogo ao invés do cartão, o gol de mão ao invés do empate sem gols. Neste cenário, os fins acabavam por justificar os meios, como já dizia Maquiavel.

Creio que este não fosse o objetivo do criador ao eleger sua criatura, tornando a vida de seus fiéis companheiros, os quais ainda sobrevivem nesta atual gestão, mais difíceis. Como numa empresa, cabe aos subordinados e colaboradores se adaptarem aos novos tempos e regras impostas pela nova chefia, as quais estão, diga-se de passagem, muito mais rígidas nos últimos meses. Vejamos então os diferentes perfis de liderança, os quais se adéquam com perfeição aos últimos ocupantes da cadeira presidencial. Comecemos pelo modelo reinante no momento, também conhecido como autoritário.

Perfil Autoritário: toma as principais decisões para si, acarretando prejuízos e eventuais atrasos nos projetos. Tem foco nas tarefas e em seu gerenciamento, exigindo perfeição e conhecimento dos detalhes. Respeita a hierarquia e as relações de poder punindo aqueles que não o fazem. Exigente e linha dura nas cobranças, não hesita em criticar os maus resultados. Gosta de escolher os principais liderados, os quais de preferência, compartilhem as mesmas opiniões. Este tipo de líder é também conhecido como dominador ou intransigente. Qualquer semelhança com o governo atual não é mera coincidência, haja vista as recentes nomeações e desligamentos. Nelson Jobim que o diga.

Perfil Democrático: prefere compartilhar as decisões com o grupo, o qual determina os melhores caminhos a seguir. Assume um papel de orientador da equipe, colaborando e estimulando com seus exemplos e experiências. Estimula o debate e aceita opiniões contrárias as suas convicções. Deixa que o próprio grupo defina a divisão das tarefas e os membros da equipe. Não tem apego a hierarquia, procurando ser muitas vezes parte do grupo. Apesar de longe do poder a quase uma década, as ideias e posições do democrático FHC encontram ainda grande repercussão, seja na base aliada ou governista.

Perfil Liberal: oriunda do termo francês “laissez fare, laissez passer”, sinônimo do liberalismo econômico, cuja teoria apregoa que os mercados devem funcionar livremente, sem interferências. Traduzidos como “deixar fazer, deixar passar”, são aplicados em geral a estruturas nas quais as equipes são maduras e autogeridas, dominando os conhecimentos técnicos e os resultados a serem alcançados. Pouco atento a detalhes e sem conhecer a fundo os processos, o líder liberal pode deixar passar falhas e erros graves, caracterizando-se muitas vezes por uma liderança negligente. Há quem ainda acredite que o mensalão poderia se encaixar neste quesito.

Perfil Paternalista: aqui a liderança se estabelece com base em relações interpessoais, tais como pai e filho. Confortável para os subordinados, os quais podem sempre contar com o apoio do líder, cria uma disfunção ou degeneração do papel do líder, muitas vezes considerado como um grande protetor. Em estruturas paternalistas o conflito é reduzido, gerando zonas de conforto entre os liderados. É considerado um modelo ineficiente e ineficaz, uma vez que os resultados e as metas a serem perseguidas devem estar acima dos interesses individuais. O filme Lula, o filho do Brasil é a mais perfeita tradução de paternalismo, cuja encarnação do papel garantiu as últimas reeleições.

Apesar do longo período de convivência entre criador e criatura, os estilos liberal e paternalista, parecem não ter conseguido contagiar o estilo de liderança da atual presidente da república. Considerando a admiração demonstrada em cartas e eventos nos quais costuma se encontrar com FHC, creio que Dilma pretenda aprimorar seu estilo democrático, o que seria um ganho considerável, não apenas para seu desenvolvimento pessoal, mas principalmente para o país. Oito anos de estilos liberal e paternalista já foram suficientes para toda esta lambança.

*Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

Líderes políticos indicam pré candidatura de Quininha à prefeito de Açailândia

William Castro

Mesmo as eleições sendo realizadas somente no ano de 2012, a movimentação no campo político já se inicia com a divulgação de possíveis candidatos a prefeito de Açailândia. É o caso de Francisco Valbert Ferreira de Queiroz, mais conhecido como Quininha. Ele foi indicado por diversos líderes políticos e sociais da região a lançar sua candidatura nas próximas eleições como gestor do município. Aceitou o desafio e o Jornal do Maranhão trouxe o perfil político de um dos primeiros candidatos a prefeito de Açailândia.

Quininha é natural de Itinga e filiado ao Partido Republicano Progressista. Iniciou sua vida política em 1996 como vereador na sua cidade natal, e pelo bom trabalho realizado ocupou o cargo por dois mandatos. Na época também foi presidente da Câmara Municipal. Em 2004, candidatou-se a prefeito daquele município, e eleito concretizou grandes projetos para Itinga, possibilitando o desenvolvimento e destaque da cidade na região. No ano de 2010, candidatou-se a cargo de deputado estadual e mesmo sem ter sido eleito, foi bastante votado pelos eleitores.

Trajetória em Itinga

Quininha deixou grandes trabalhos na cidade de Itinga quando foi prefeito. Sua marca ficou conhecida pela execução de projetos que melhoraram significativamente a qualidade de vida daquela comunidade. Segundo ele, no seu mandato, aproximadamente 80% das ruas de Itinga foi “calçada” em sua gestão, e ao sair do cargo, deixou recursos para que a próxima administração continuassem os trabalhos, ficando mais de R$ 8milhões em convênio no caixa do município. “Entregamos a prefeitura sem nenhum tipo de débito ou inadimplência. A prefeita [Vete Botelho] encontrou o município organizado, com as contas em dia, com o dinheiro em caixa para que ela pudesse desenvolver o trabalho que vem realizando hoje”, argumenta.

De acordo com Quininha, o município encontrava-se apenas com uma ambulância e no final de seu mandato, Itinga já possuía cinco, além de toda estrutura adequada nos hospitais, como remédios e leitos suficientes para atender a população. O número de agentes comunitários de Saúde (ACS) também aumentou para melhor diagnosticar e cuidar dos moradores. No início de sua gestão, eram apenas 77 e ao término de seu mandato, a prevenção feita dia a dia já contava com 120 ACS, o que representou uma melhoria importante no tratamento e na estrutura da saúde municipal.

O ex prefeito também realizou inúmeros projetos na área educacional de Itinga. Ele afirma que hoje a cidade possui 100% de professores com ensino superior contra apenas 13% no começo de seu mandato. Esse aumento refletiu na qualidade da educação por meio de cursos de formação continuada oferecidos pela Prefeitura. Quininha ressalta que construiu várias escolas na zona rural, e graças a esses feitos, a atual prefeita não precisou construir nenhuma para atender a específica população. Todo esse trabalho educacional pode ter sido observado quando Itinga ficou em 6º lugar no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Maranhão em 2007.

A população também teve um prefeito que se preocupou com a estrutura das estradas. Na sua administração, ele recuperou todas as estradas rurais do município, “piçarrando” e abrindo novos caminhos. Segundo Quininha, foram feitos 137 km ligando Itinga à Vavalândia, beneficiando 1000 famílias. As estradas abertas totalizam 39 km, e ao longo dessas novas vias de acesso, foram construídas 69 pontes, além de muitas outras frentes de trabalho.

Segundo ele, uma das maiores obras que a população não vai esquecer durante sua gestão foi a construção do estádio de Itinga, com capacidade para 5 mil pessoas, investindo assim no esporte em todas as modalidades no município. Quininha também incentivou o lazer e a cultura de Itinga, com eventos e programações que agradavam a todos os públicos.

Candidatura a prefeito de Açailândia

Com tantos trabalhos realizados em Itinga, decidiu então aceitar o convite para ser candidato a prefeito de Açailândia pelo desafio de administrar uma cidade que está em franco desenvolvimento. Ele diz que contribuiu para o crescimento daquele município e que agora é a vez da cidade do Ferro receber sua administração. “Assim como eu fiz em Itinga, vou ser um prefeito que vai fazer um grande trabalho por essa cidade”, disse.

Para isso, está fazendo um acompanhamento da vida socioeconômica de Açailândia, afim de elaborar um planejamento para que sejam feitas as propostas para as eleições do ano que vem. “Eu tenho muita vontade de ser o prefeito de Açailândia, vou procurar buscar aliados para fazer um bom governo no município, e tendo conhecimento integral do que a cidade precisa, poderemos fazer um excelente trabalho”, conclui.



Fonte: Jornal do Maranhão

APRENDA A TER UM INFARTO! É muito simples!


VAMOS INFARTAR!

COM UM POUCO DE ESFORÇO CONSEGUIREMOS!

SERÁ QUE VOCÊ QUER TER UM INFARTO?

DOZE CONSELHOS PARA TER UM INFARTO FELIZ !!!

Dr. Ernesto Artur - Cardiologista

Quando publiquei estes conselhos 'amigos-da-onça' em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam adotando esse tipo de vida inconscientemente.

1. Cuide de seu trabalho antes de tudo.
As necessidades pessoais e familiares são secundárias.
2. Trabalhe aos sábados o dia inteiro e, se puder também aos domingos.
3. Se não puder permanecer no escritório à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.
4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim a tudo que lhe solicitarem.
5. Procure fazer parte de todas as comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.
6. Não se dê ao luxo de um café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões importantes..
7. Não perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis. Afinal, tempo é dinheiro.
8. Nunca tire férias, você não precisa disso. Lembre-se que você é de ferro. (e ferro , enferruja!!. .rs)
9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para ver se nada está errado.. Delegar é pura bobagem; é tudo com você mesmo.
10. Se sentir que está perdendo o ritmo, o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes, energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.
11. Se tiver dificuldades em dormir não perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são baratos.
12. E por último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação, audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e tolos sensíveis.
Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.

Duvido que voce não tenha um belo infarto se seguir os conselhos acima!!!

IMPORTANTE:

OS ATAQUES DE CORAÇÃO
Uma nota importante sobre os ataques cardíacos..
Há outros sintomas de ataques cardíacos, além da dor no braço esquerdo. Há também, como sintomas vulgares, uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes.
Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, não se levantaram... Mas a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo.

Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (192, 193 ou 190) e diga ''ataque cardíaco'' e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE !!!!
Um cardiologista disse que, se cada pessoa que receber este e-mail, o enviar a 10 pessoas, pode ter a certeza de que se salvará pelo menos uma vida !

Muito boa, estas dicas. Prefiro, fazer tudo ao contrário e evitar estas doenças
E voce?

Perigos na atual redação do Marco Civil da Internet


A presidente Dilma Rousseff aprovou nesta semana o projeto de Marco Civil da Internet, que definirá os direitos e deveres dos usuários e empresas na rede. Os principais pontos foram preservados, como a garantia de tráfego para os pequenos provedores nas redes das grandes companhias e também as exigências de prazo para que os registros dos usuários sejam armazenados pelos provedores de acesso.

De acordo com o especialista em direito eletrônico, Rony Vainzof*, sócio de Opice Blum Advogados Associados, a redação dos Arts. 14 e 15 do Marco Civil somente dispõem sobre a responsabilidade do provedor de serviço de internet em razão de danos decorrentes de conteúdo gerado por terceiros se for intimado judicialmente e não atender a respeito. Para ele, esse artigo é desnecessário por três motivos: se houver uma ordem judicial o provedor deverá cumprir de qualquer forma, sob pena, possivelmente, de crime de desobediência; qualquer cidadão que sofra um ilícito precisará buscar o judiciário, que já está sobrecarregado, e arcar com as custas de um processo, fora os honorários ao advogado, para que o ilícito seja removido do ar pelo provedor; a demora para prolação da ordem judicial poderá causar ainda mais danos à vítima pois o conteúdo prosseguirá na Internet, exposto ao mundo.

Ainda, pelo Art. 16 o provedor terá a obrigação de informar ao usuário, autor do ilícito, sobre o cumprimento da ordem judicial, o que fará com que ele apague as provas eletrônicas do ilícito praticado.

Em relação ao Art. 13, §1º, que dispõe que o provedor que optar por não guardar os registros de acesso a aplicações de Internet não poderá ser responsável por danos de terceiros, Vainzof acrescenta: “sobre esse assunto, é importante ressaltar que muitas vezes uma investigação sobre um crime de pornografia infantil ou racismo, para não citar outros, somente é possível através dos referidos registros de acesso. Na forma que o artigo 13, §1º, do Marco Civil está escrito, o provedor não terá nenhuma obrigação de guardar esses registros, a não ser por ordem judicial, policial ou administrativa, para essas investigações. Ou seja, a critério do provedor e sem nenhuma responsabilidade não seria guardada qualquer informação anterior ao requerimento pela autoridade competente, o que certamente dificultará ou impossibilitará a punição de infratores em diversos casos (em razão de não terem sido armazenados qualquer rastro)”. Para ele, a sugestão seria guardar esses registros, com o fornecimento somente mediante ordem judicial, como no caso da previsão para o fornecimento dos registros de conexão.

* Rony Vainzof, é sócio do Opice Blum Advogados e Coordenador Assistente e Professor do MBA em Direito Eletrônico da EPD.

CORRUPÇÃO EM CAMPESTRE ENVOLVE SAAE, PREFEITO E O VEREADOR AMARILDO MACEDO


O atual gestor de Campestre do Maranhão, Emivaldo Macedo, não consegue esconder sua ineficiência na aplicação dos quase R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais) que já entraram nos cofres públicos do município de Campestre nesses 32 meses do governo. Nem os serviços essenciais e obrigatórios como saúde e segurança são oferecidos com o mínimo de qualidade ao povo de Campestre. Pessoas são deixadas a mercê e morrem nos postos de saúde sem nenhuma explicação.

Outro dia uma criança do Bairro Alfredo Santos foi consultada por um médico na parte da manhã, o médico mandou a criança voltar pra casa dizendo que ela não tinha nada, à noitinha a criança faleceu, e nossas autoridades não fizeram nada. Não vamos nem falar no caso Tamires Vargas, aquela jovem que morreu na delegacia de Porto Franco, que não deu em nada. Vamos falar somente das ruas, as praças, os prédios, os funcionários, os equipamentos e a limpeza pública, simplesmente estão abandonados, depredados, sem manutenção, faltam cuidados e carinho pelas coisas públicas de Campestre.

Mas há um caso grave envolvendo autoridades municipais, Prefeito, alguns Secretários, alguns Vereadores e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Campestre do Maranhão, conhecido por SAAE, que até agora conseguiram esconder muito bem, até agora. O SAAE de Campestre é o que cobra uma das tarifas mais cara da região e também é o que presta um dos piores serviços. Povoados inteiros sem o liquido precioso, sem água, e assim mesmo são cobrados mensalmente. O interessante é que a entidade tem cerca de 20 (vinte) funcionários e não consegue prestar um bom serviço aos consumidores, de onde tira o dinheiro para sua manutenção.

Uma possível explicação para essa situação inaceitável, caótica proporcionada pela administração de Emivaldo Macedo começa a vir a público através dos comentários que se houve diariamente nas ruas e esquinas da cidade e que os Vereadores e o Ministério Público precisam investigar mais de perto. São muitos funcionários na folha de pagamento, mas poucos estão trabalhando. Veja o Caso do vereador Amarildo Macedo, que é encanador, recebe um salário de mais de R$1.300,00 (um mil e trezentos reais), aparece na escala de trabalho, mas não existe um cristão ou pagão em Campestre que consiga dizer que o viu desempenhando suas atividades de encanador nas ruas da Cidade.

A lei permite receber os dois salários ou trabalhar nas duas atividades, desde que haja compatibilidade de horário, e que os serviços sejam rigorosamente prestados pelo servidor público. No caso de Amarildo Macedo isso não acontece, não tem ninguém que confirme que ele presta os serviços como encanador do jeito que está na escala de trabalho do SAAE. Nesse caso ele deveria estar licenciado e recebendo apenas o salário de Vereador e não acumulando dois vencimentos sem prestar os dois serviços. Isto é um escândalo é uma vergonha para todos nós, em particular para alguém que diz ser representante do povo.

Veja como isso acaba aumentando o valor de sua conta de água. Como o Vereador Amarildo Macedo não vai trabalhar o SAAE tem que contratar outra pessoa para ficar no seu lugar e pagar outro salário e aí está uma explicação de como a tarifa de água de Campestre é uma das mais caras da região. Não indo cumprir sua escala de trabalho tanto o Vereador quanto o diretor do órgão enveredam pelo crime de improbidade administrativa, falsificação de documentos públicos previsto no Código Penal art. 297. A pena para tais crimes pode chegar à prisão, cassação de mandato e suspensão de direitos políticos por até 08 (oito) anos.

No caso do vereador Amarildo Macedo seus atos ainda podem caracterizar falta de decoro parlamentar e implicar nas mesmas consequências dos crimes anteriores, ou seja, perda do mandato e cassação dos direitos políticos. Para quem tem contas rejeitadas e condenadas pelo Tribunal de Contas do Estado não poderia nem andar dizendo que é pré-candidato a prefeito tampouco para vereador, deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Está blefando com o seu grupo e com o povo.

A situação do Diretor do SAAE, Walter Barros de Sousa, também é bastante delicada. O povo já não gosta dele por causa da forma como vem gerindo a autarquia com aumentos abusivos na tarifação da água. E a razão para isso começa aparecer que é a grande quantidade de funcionários que o órgão precisa ter para acomodar situações como a do Vereador Amarildo Macedo e também do Secretário Municipal Antonio José Batista da Silva, o Cobrinha, que recebe, pasmem, quase R$ 3.000,00 (três mil reais) pelo SAAE e deve receber outro tanto pela Prefeitura. Se ele está a serviço da prefeitura deveria receber somente o salário da prefeitura.

Outra situação que faz com que a água de Campestre seja cara é a prática de nepotismo, expressamente proibida no art. 37 da Constituição Federal e na Súmula Vinculante 13 do STF, praticada pelo diretor da entidade Sr. Walter Barros de Sousa. Ele colocou nada mais, nada menos que sua irmã Jhyenne Myrian Barros de Sousa para trabalhar e receber, claro, no setor administrativo sem ela ter passado por concurso público. A única forma de qualquer pessoa entrar para uma entidade pública legalmente é através de concurso público. Desse jeito não tem jeito, o jeito mesmo é aumentar a tarifa de água e o povo pagarem a conta dos desmandos para acobertar amigos e parentes. Se o Prefeito Emivaldo Macedo não faz nada os Vereadores precisam fazer alguma coisa. Ou vai ser preciso o povo de Campestre fazer como os de São João do Paraíso, tocar foto na Prefeitura e na Câmara de Vereadores e quem sabe até mesmo no SAAE? A população cobra e espera uma posição da Câmara Municipal e do Ministério Público Estadual.

CNMP anula decisão do Conselho Superior do Ministério Público



Em decisão monocrática, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), por meio da Conselheira relatora Maria Ester Henriques Tavares, decidiu na última sexta-feira (26), anular liminarmente os efeitos do ato administrativo do Ministério Público do Maranhão, que durante seção do Conselho Superior da Instituição (CSMP/MA), realizada no último dia 19 de agosto, não respeitou todos os requisitos necessários para instalar e deliberar ações referentes à promoção de membros do Parquet.
O requerimento foi encaminhado ao CNMP pelo promotor Marco Antonio Santos Amorim, titular da Promotoria de Justiça de Pindaré-Mirim. Na petição, o promotor apontou ao Conselho Nacional, que o CSMP/MA não respeitou os termos do artigo 13 de seu próprio regimento, que dispõe sobre a necessidade de, no mínimo, cinco conselheiros para decisões acerca de promoções, já que no dia 19 agosto, havia somente quatro conselheiros presentes, não atingindo os 2/3 previstos, inviabilizando até a realização da referida seção.

Em seu despacho, a Conselheira Maria Ester Henrique Tavares relatou que “a medida pleiteada evitará a anulação de futuros procedimentos dessa natureza caso o Colegiado do CNMP venha a decidir pela revisão dos critérios adotados pelo CSMP/MA”.

Nulidade da decisão

A petição do promotor Marco Antonio já alertava o CNMP para a realização de uma nova seção do Conselho Superior do MP. Também na última sexta-feira (26), os Conselheiros estaduais se reuniram, com a finalidade de aprovar a ata da seção do dia 19 de agosto, bem como, a deliberação de novas promoções.

No entanto, logo no início da seção, a procuradora de Justiça, Themis Maria Pacheco de Carvalho provocou a discussão sobre a desobediência do CSMP/MA, ao promover um membro do Parquet sem respeitar o mínimo de 2/3 de Conselheiros previstos para tal ato administrativo. A procuradora Themis destacou ainda o descumprimento à regra de exame preferencial do promotor Marco Antonio, na qualidade de remanescente de lista anterior, consoante prevê a Lei Orgânica local, evitando possível prejuízo ao próprio promotor e demais candidatos.

Terminado o impasse, a seção do CSMP/MA foi suspensa, ao tempo em que o Conselho Nacional também suspendeu a posse já homologada, além de abster o Conselho Superior de proceder toda e qualquer promoção para Promotorias de entrância Intermediária, até a decisão final sobre o fato.

Por fim, a Conselheira Maria Ester Henrique Tavares determinou a notificação da procuradora-geral de Justiça, Fátima Travassos, que preside o CSMP/MA, para que no prazo de quinze dias, preste as informações cabíveis, além de enviar ao CNMP a cópia da ata da sessão que julgou a promoção por merecimento, regulada pelo Edital nº16/2011. A relatora determinou também, a notificação por carta registrada dos demais membros do Parquet participantes no processo

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

PM prende mulher que degolou o filho em Açailandia


Policiais militares da cidade de Açailândia prenderam em flagrante delito, no domingo (21), Elizete Feitosa de Sousa, 27 anos, suspeita de matar o filho de 5 anos.

De acordo com informações policiais, o crime ocorreu por volta das 23hs do domingo, na residência de Elizete, localizada em um assentamento chamado Califórnia, nas proximidades da BR 222, entre Açailândia e Imperatriz.

Segundo o delegado de Polícia Civil, Sidney Oliveira, o crime foi denunciado por um agente funerário local, após receber uma encomenda de um caixão para criança.

o delegado informou que a mãe do menor estaria em depressão e por isso teria pegado uma faca de cabo branco, tipo peixeira, e feito um corte no pescoço da vítima, enquanto o mesmo dormia. Após a ação, ainda teria ido à casa de parentes informar o ato.

“Os vizinhos e parentes de Elizete afirmaram que ela já vinha apresentando vários sinais de depressão, e por isso teria tentado se suicidar inúmeras vezes”, afirmou o delegado.

Elizete Feitosa de Sousa foi autuada por homicídio doloso e se encontra na Delegacia Regional e lá ficará à disposição da justiça para prestar maiores esclarecimentos.

domingo, 21 de agosto de 2011

Municipios tem recursos da Saude Suspensos

Seis municípios da região tiveram os recursos do Piso da Atenção Básica variável (PAB-variável) suspensos no dia 11 de agosto.




O recurso se refere ao incentivo federal de custeio das equipes da saúde da família, da saúde bucal e dos agentes comunitários de saúde.A suspensão foi causada por irregularidades cadastrais dos profissionais no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES), como a duplicidade de informações.



Só neste ano, essa é a terceira vez que o Ministério da Saúde suspende os repasses, mesmo conhecendo a dificuldade de contratação e fixação de profissionais de saúde, principalmente médicos, nos municípios de pequeno porte. Até abril quase 1.500 municípios estavam com recursos financeiros suspensos em todo o país. O que representa prejuízo superior a R$ 18 milhões/mês.



O cancelamento dos repasses causa diversos problemas, como o atraso no pagamento das remunerações dos profissionais, o cancelamento dos programas e a demissão dos profissionais, o ônus a gestão municipal com as contratações e manutenção dos programas e até a desassistência dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).



Confira abaixo a relação dos municípios que tiveram os recursos suspensos:



1. Açailândia

2. Campestre do Maranhão

3. Carolina

4. João Lisboa

5- São João do Paraíso

6. São Pedro dos Crentes



STF decidirá quem poderá votar nos plebiscitos dos novos estados.

O STF (Supremo Tribunal Federal) julgará na próxima quarta-feira uma ação direta de inconstitucionalidade cujo veredicto definirá qual a área de abrangência do plebiscito para a divisão do Pará.


A Adin questiona a lei complementar 9.079/98, que, ao regulamentar a Constituição, definiu que a população interessada de um plebiscito para criação de novas unidades federativas é a da área que pretende se emancipar e a da área que seria remanescente em caso de separação.

A ação é antiga --foi impetrada há 12 anos pela Assembleia Legislativa de Goiás, por conta da emancipação de Tocantins --, mas a decisão do STF se estenderá também ao caso da consulta para a criação dos Estados de Carajás e Tapajós.

Se prevalecer o entendimento da lei complementar, o plebiscito de dezembro será em toda a área do Pará. Se os ministros acolherem a Adin, prevalecerá a interpretação de que "população diretamente interessada" é apenas a das áreas que querem se separar. Nesse caso, as chances de criação de Carajás e Tapajós aumentariam muito.

O parecer do ex-procurador-geral da República Geraldo Brindeiro à Adin é pela tese de que só deve participar do plebiscito a área emancipanda. Esse entendimento foi referendado recentemente pelo atual procurador-geral, Roberto Gurgel.

Mas a questão deve dividir o Supremo. Em sessão desta semana, por exemplo, o ministro Marco Aurélio Mello (foto) lançou uma terceira tese: de que o plebiscito deveria ser realizado em todo o país.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Atletas de Imperatriz ganham ouro em ciclismo nos JEMs


Dobradinha dos atletas de Imperatriz na primeira prova do ciclismo nos Jogos Escolares Maranhenses (JEMs), categoria infantil (de 12 a 14 anos). Sem dar chances aos adversários, os ciclistas da cidade tocantina conquistaram as medalhas de ouro na prova do Contra-Relógio, tanto no masculino quanto no feminino. As disputas ocorreram no kartódromo João Sallem.

Na prova feminina, a atleta Larissa dos Santos Borralho foi a mais rápida. Com a marca de 1min05s22, a competidora da escola Nascimento Moraes (Imperatriz) levou para casa a medalha de ouro. Na segunda colocação, ficou Suanny Silva da escola Renê Bayma (Codó), com o tempo de 1min06s10.

Completando o pódio, ficou Eldenise Xavier, da escola Ananias Murad (Codó).

Masculino

Uma prova muito emocionante. O campeão do Contra-Relógio da categoria infantil masculino conquistou a medalha de ouro por apenas nove segundos de diferença. Rafael Oliveira Santos, da escola José Alencar (Imperatriz) cravou a marca de 55s59 e conquistou o lugar mais alto no pódio.

Logo em seguida, com o tempo de 55s68, ficou Wesley Braga Lima, do colégio Leôncio Pires Dourado (Imperatriz). E, na terceira colocação, com a marca de 55s78, ficou Carlos Felipe Reis, do colégio Senador Archer (Codó)

DEMONSTRAÇÃO DE FORÇA E UNIÃO


Na noite do dia 14, dia dos pais, cerca de 300 pessoas se reuniram na residência do senhor Marcones Ribeiro, pré-candidato a prefeito nas próximas eleições pelo Partido do Movimento Democrático Brasileiro, PMDB, para tratarem de estratégias políticas e principalmente com o objetivo de organizarem o grupo de pré-candidatos a vereadores.

Algumas peculiaridades desse encontro merecem destaque. Primeiro o grande número de pessoas, umas 300 pessoas que foram convidadas somente através do boca-boca sem uso de carro de som e sem envio de convites por escrito. Depois chamou atenção os discursos de confiança e unidade do grupo que apesar das muitas manobras dos adversários de Marcones Ribeiro, deu pra perceber que seu grupo continua grande, firme e confiante na vitória no pleito de 2012.

João Nonato, presidente do PMDB disse que “o partido já tem seu pré-candidato a prefeito e se chama Marcones Ribeiro” e acrescentou que “não somente Campestre sabe disso mais o grupo em São Luis por sinal a ficha de filiação de Ribeiro é abonada pelo próprio Senador João Alberto que é o padrinho de sua candidatura”.

O presidente do PSC, Isaias Muleta disse que “o partido tem vários pré-candidato a vereadores e vai também brigar pela vaga de vice-prefeito mas que a de prefeito o partido segue firme com Ribeiro”. O vereador Edidácio e o presidente Carlos, também declararam que PRTB segue firme com a pré-candidatura de Ribeiro. Julinha do PHS também reafirmou apoio a Marcones Ribeiro. Lindomar do PR também confirmou apoio a pré-candidatura de Marcones Ribeiro. Edmanf do PSDC também disse que lutará a favor do pré-candidato Ribeiro. O comunicador Canadá também afirmou apoio à pré-candidatura de Ribeiro. Antonio Miranda, conhecido como Barrão, também ratificou apoio à pré-candidatura de Marcones Ribeiro e acrescentou que política se faz com decisões firmes.

Mas os dois momentos mais altos foram, quando o ex-vereador Pedro Cazuza, pai da ex-vereadora Jesus (PDT), declarou que Marcones Ribeiro pode contar com seu apoio a partir desse momento e também lançou sua pré-candidatura a vereador. O segundo momento foi quando Marcones Ribeiro convidou a Ivoneide, esposa do falecido Edinho do Apavorado, como era conhecido o seu vice na chapa de 2008 e pediu para todos se levantarem e fazerem um momento de silêncio em homenagem ao ex-amigo Edinho que se chamavam carinhosamente de “pareceiros” e também a todos os pais presentes e ausentes.

Na sua fala Ribeiro agradeceu a presença de todos, agradeceu as declarações de apoio e carinho, pediu ao grupo para evitar os falatórios e permanecer unido e procurar sempre conquistar a amizade e a confiança das pessoas porque é assim que o grupo crescerá e ficará ainda mais forte.
Assessoria de Comunicação

Coluna impressa


Verdade

A matéria mais extensa publicada na edição de ontem de O Progresso mostrou de forma clara como está a sucessão em Imperatriz. O quadro é mesmo de indefinições e principalmente em se tratando da corrida para a prefeitura. De certo mesmo apenas o prefeito atual que vai brigar pela reeleição, os outros continuam jogando a sorte para tentar ampliar a força eleitoral e desta forma garantir uma segurança maior na eleição.

Vices

Até porque, alguns deles dependem dos seus partidos para serem adversários do Madeira. Não há garantias de que serão realmente candidatos com o apoio partidário. E mais, há dentro dos próprios partidos a clara intenção de apenas participar das discussões e como dizem na eleição, sentar na mesa e negociar apoio futuro.

Sanchez

Pensando em continuar sua saga de buscar a eleição de prefeito, o vereador sonha com o apoio dos partidos considerados de oposição. Para muitos, o sonho vai morrer nos primeiros momentos em que as discussões serão iniciadas, mesmo porque, os grupos políticos ainda não estão preocupados com a situação.

Universitário

A Fundação Cultural de Imperatriz está com as inscrições abertas para o I Festival Interuniversitário de musica. Uma boa ideia sem sombra de dúvidas, pois, através deste festival, acadêmicos das faculdades publicas ou particulares poderão apresentar seus dotes e dons musicais.

Setembro

O evento acontecerá na primeira semana do mês de setembro e aos acadêmicos interessados as inscrições irão até o dia 20 do corrente na própria Fundação. A organização é do Axel Brito, que sempre apresenta projetos inovadores.

BIC

E como uma coisa puxa outra, o empresário da noite Samir Sabbag está iniciando novo projeto de lazer e diversão. Está reorganizando e refazendo o antigo Balneário Estancia do Recreio, o BIC situado à margem do Rio Tocantins. Pretende a dar ao lugar um centro de lazer, recreação e shows, revivendo os bons tempos do BIC.

Convenção

Filiados do PMDB no município de São Francisco do Brejão já estão preparando a realização da Convenção Municipal marcada para o final deste mês.

Léo Cunha busca solução para desabastecimento d’água em Davinopólis



O governo do Estado deverá viabilizar recursos para perfuração de mais 200 metros do poço arteziano localizado na sede do município de Davinopólis. A obra foi indicada pelo deputado Léo Cunha (PSC) para suprir a falta d’água na cidade.

Segundo informou o deputado, pelo menos 80°/° da população do município está sem abastecimento d’água, ficando em situação precária. O fato está levando os moradores a recorrerem a rios, açudes e igarapés. Ficando expostos e contraírem diversos tipos de doenças, já que essa água não conta com tratamento adequado ao consumo humano.

Léo Cunha ressaltou que várias escolas e creches já ameaçam a suspensão das aulas, por causa do desabastecimento e que a cidade possui um presídio onde 40 detentos cumprem penas. Uma situação que mostra na prática que o problema está afetando todas as esferas sociais do município.

O parlamentar alertou sobre a importância em solucionar o problema, que persiste há mais de 20 dias, dizendo que, inclusive, os moradores já ameaçam protestar contra a situação: “queremos a execução dessa obra, a fim de resolver o problema e até evitar possíveis levantes,” alertou.







Infertilidade masculina e adoção de sêmen na tv



Falar sobre adoção de sêmen em rede nacional é muito importante, pois o tema, assim como muitos outros no campo da medicina reprodutiva, é cercado de mitos

A partir do dia 22 de agosto, com a estreia de “Fina Estampa” na tela da Rede Globo, os temas infertilidade masculina e ovodoação estarão em evidência. Na trama, que substituirá "Insensato Coração", Paulo (Dan Stulbach) é estéril, o que impede a mulher, Esther (Julia Lemmertz), de realizar o sonho de ser mãe. Mas o encontro com a médica Danielle Fraser (Renata Sorrah), “especialista em fertilidade”, irá mudar a vida do casal. Segundo o autor da novela, Aguinaldo Silva, seu objetivo é trazer à tona a discussão sobre a paternidade das crianças geradas a partir de sêmen ou óvulos doados por terceiros.

Infertilidade masculina

Para o ginecologista Joji Ueno, diretor da Clínica GERA, discutir a infertilidade masculina é muito relevante. “Com mais de vinte anos de experiência clínica, percebo que o tema infertilidade é muito relacionado ao universo feminino. ‘É coisa de mulher’, diz o senso comum. Mas isto não é verdade. A dor vivenciada pelo homem com dificuldades para ter um filho é muito pouco abordada e, até mesmo, pouco reconhecida pela sociedade. Os homens também sonham com seus ‘bebês imaginários’ e com coisas que poderiam fazer ou ensinar a eles, mas não externam estes desejos com facilidade”, defende o médico.

Tanto homens, quanto mulheres contribuem com cerca de 30-40% das causas de infertilidade, sendo que os 20% restantes, as alterações ocorrem no casal. “Portanto, pode-se dizer que os problemas masculinos estão presentes em aproximadamente 50% dos casais. Por isto, é importante a investigação de ambos antes de instituir-se a terapêutica, pois o custo benefício é bem melhor quando é realizado o tratamento específico da causa da infertilidade”, afirma Joji Ueno, que também dirige o Instituto de Ensino e Pesquisa em Medicina Reprodutiva de São Paulo.

Desta forma, é importante a história clínica do homem e quando há grande alteração na análise seminal é importante uma avaliação genética. “Erroneamente, a importância da avaliação do homem e dos tratamentos andrológicos tem sido negligenciada graças à aplicação da tecnologia ICSI (Injeção Introcitoplasmática de Espermatozóides), que consegue a gestação sem a investigação dos fatores determinantes da infertilidade masculina, que pode ser decorrente de doenças graves, como o câncer de testículo, cuja incidência é 100 vezes maior, dentre os homens inférteis que a população normal”, diz o médico, que é Doutor em Ginecologia pela Faculdade de Medicina da USP.

“É essencial na investigação do homem infértil, do ponto de vista laboratorial, duas análises seminais, embora apenas os resultados da análise seminal não possam determinar anomalias funcionais dos espermatozóides. Por isso é importante ressaltar que a realização da análise seminal deve ser feita em clínicas especializadas, que utilizam parâmetros atuais de verificação de fertilidade”, explica Joji Ueno.

A seguir, o diretor da Clínica GERA enumera as causas mais comuns de infertilidade masculina:

· Alterações na produção na qualidade e na quantidade dos espermatozóides:

1. azoospermia (ausência de espermatozóides no ejaculado);

2. astenospermia (pouca mobilidade);

3. oligospermia (poucos espermatozóides);

4. teratospermia (formato inadequado ).

· Varicocele: varizes no saco escrotal;
· Obstrução no canal condutor dos espermatozóides ( epidídimo ): causada por infecções ou até alterações congênitas;
· Doenças infecciosas: DST, gonorréia e sífilis, caxumba, apresentada durante a puberdade podendo causar orquite (inflamação dos testículos, destruindo a produção de espermatozóides) ;
· Doenças endocrinológicas;
· Distúrbios imunológicos;
· Consumo abusivo: de bebidas alcoólicas e o uso de drogas como cocaína e maconha. Uso crônico de medicamentos hipertensivos, antidepressivos, antiulcerosos, que interferem na produção dos espermatozóides.

Adoção de sêmen

Ao que tudo indica, depois de diagnosticada a causa para a infertilidade do personagem de Dan Stulbach, o casal irá optar pela adoção de sêmen para realizar o sonho de ter um filho. “Falar sobre a adoção de sêmen e óvulos em rede nacional é muito importante, pois o tema, assim como muitos outros, no campo da medicina reprodutiva, é cercado de mitos”, defende o ginecologista Joji Ueno.
A vivência da infertilidade pelo homem pode se tornar um processo extremamente frustrante, uma vez que ainda vivemos em uma cultura machista, onde sinal de “ser homem” é ser um “bom reprodutor”. “A incapacidade de engravidar uma mulher pode vir associada mentalmente à falta de masculinidade ou virilidade. Em casos onde a qualidade do sêmen é muito baixa, percebemos que o nível de angústia masculina é ainda mais intenso, principalmente, quando a adoção de sêmen de outro homem é indicada pelo médico como a opção mais viável para a realização do sonho de ter um filho”, conta o médico.

“É fato que a maioria dos casais que buscam por tratamentos de reprodução assistida espera sair desse processo com um filho geneticamente relacionado a eles. No entanto, em alguns casos isso não é possível”, informa o diretor da Clínica GERA.

Joji Ueno destaca que receios a respeito da possibilidade de doenças genéticas e traços patológicos de caráter podem surgir em meio ao processo de adoção de sêmen, sendo necessário o esclarecimento de que algumas doenças, predisposições temperamentais e traços físicos podem ser herdados, no entanto, valores, crenças, formas de pensar e agir são adquiridos e aprendidos na convivência familiar.

O ginecologista explica que a adoção de sêmen é indicada em diversas situações:

· Casais cujos homens não têm nenhuma produção de espermatozóides;

· Os que optam por não correr riscos de transmitir doenças hereditárias à prole - pelo fato do marido apresentar algum tipo de alteração genética;

· Homens e mulheres que esgotaram seus recursos - financeiros e emocionais - em diversas tentativas frustradas de fertilização in vitro;

· Mulheres que desejam uma “produção independente” - casos permitidos sob consulta ao Conselho Federal de Medicina (CFM), que analisa as condições psicológicas e sociais da solicitante.

No Brasil não há lei que regulamente a doação de sêmen: apenas a Resolução Nº 1.957/2010 do Conselho Federal de Medicina (CFM), substituta da Resolução CFM Nº 1.358/1992, revogada após 18 anos, normatiza os procedimentos no País. Em casos de problemas e contestações, a Justiça, invariavelmente, segue a determinação do CFM, que preconiza que o comércio de gametas é proibido e as doações não podem ser remuneradas.

O anonimato é a premissa básica para a doação de sêmen. Os doadores não podem conhecer a identidade dos receptores e vice-versa - e isso vem garantindo o sucesso do sistema. As informações sobre um doador só poderão ser fornecidas por motivação médica e, mesmo assim, exclusivamente para médicos, resguardando-se sua identidade.

“Uma grande preocupação entre os casais que optam pela adoção de sêmen é sobre a convivência futura entre filhos biológicos de um mesmo doador, que embora improvável, a ponto de situar-se nos limites do imponderável, é possível. Por isso, o CFM orienta clínicas e bancos de sêmen a fazerem um acompanhamento rigoroso de forma a evitar que um mesmo doador tenha produzido mais do que duas gestações de sexos diferentes em uma área de um milhão de habitantes”, explica Joji Ueno.

Site: www.clinicagera.com.br
E-mail: atendimento@clinicagera.com.br
Blog: http://medicinareprodutiva.wordpress.com
Twitter: http://twitter.com/jojiueno
Facebook: http://pt-br.facebook.com/people/Joji-Ueno/100002717601755?_fb_noscript=1
ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO:
Márcia Wirth
MW-Consultoria de Comunicação
Tel: 11 93943597/37913597
saude@marciawirth.com.br
www.marciawirth.com.br

Regime Diferenciado de Contratações para Copa e Jogos Olímpicos



Foi sancionada a lei 12.462, conversão da MP 527/11, que instituiu, entre outras coisas, o RDC - Regime Diferenciado de Contratações Públicas para as obras da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

A principal inovação é que as obras dos dois maiores eventos esportivos do mundo não precisarão obedecer às regras estabelecidas na Lei 8.666/93, a chamada Lei das Licitações. A partir de agora, a forma de contratação de empresas para obras relacionadas à Copa e aos Jogos Olímpicos é mais simples. O governo poderá contratar empreiteiras, repassando a elas a confecção do projeto básico e toda a execução das obras.

De acordo com o especialista em infraestrutura, Kleber Luiz Zanchim*, sócio do SABZ Advogados, a contratação integrada criada pela nova lei assemelha-se muito com o EPC/Turnkey já utilizado pela iniciativa. “Na Lei nº 8.666/93 (Lei de Licitações) o Estado é responsável pelo projeto básico e contrata agentes privados para executarem a obra. Com a contratação integrada, as obrigações da iniciativa privada começam com a elaboração do projeto e vão até a entrega do empreendimento em condições de funcionamento. O ente público definirá um orçamento estimado para a obra e os concorrentes apresentarão suas propostas comerciais. Encerrada a licitação, o Estado negociará com o licitante vencedor de modo a ajustar a proposta dele ao orçamento estimado. Como, nesse tipo de contratação, o contratado será responsável por todas as etapas do trabalho, espera-se que ele agregue celeridade de modo a cumprir os prazos assumidos com as entidades esportivas internacionais”.

* Kleber Luiz Zanchim. Doutor pela Faculdade de Direito da USP. Sócio de Souza Araujo Butzer Zanchim Advogados. Professor da Fundação Instituto de Administração – FIA, do Insper Direito e do GVLaw da Fundação Getúlio Vargas. Especialista em infraestrutura.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Opinião

QUANDO A GENTE PENSA QUE JA VIU DE TUDO...




O que está acontecendo com a Polícia Civil na cidade de Imperatriz é algo jamais visto por esta criatura com mais de 30 (trinta) anos nessa profissão árdua, sofrida e de difícil compreensão por parte das pessoas que não a conhecem pelas entranhas.

Somos ignorados, mal compreendidos às vezes, sofremos preconceitos, mais continuamos nossa luta, com dignidade e de cabeça erguida em defesa da sociedade, que nos cobra e a quem devemos prestar contas dos nossos serviços que nem sempre atingem seus objetivos, devido a falta de estrutura que deveria ser dada pelo governo que insiste em negligenciar com um dos direitos básicos do cidadão, assegurado pela Constituição Federal, quando deixa de equipar as Delegacias de Polícia com prédios decentes, salas adequadas, equipamento de ponta para o bom andamento das investigações e principalmente, material humano qualificado e em quantidade suficiente.

No final da semana que passou, o Delegado Geral da Polícia Civil do Estado do Maranhão esteve em nossa cidade, segundo informações, para intermediar um suposto desentendimento entre os profissionais da imprensa que cobrem os “fatos” policiais, aquelas conduções de pessoas feitas por parte da Polícia Militar até o Plantão Central.

Segundo queixumes dos “jornalistas”, os Delegados de Polícia estavam lhes impedindo de “trabalhar”, chegando a dizer que seria “abuso de autoridade contra a imprensa”, quando os inviabilizavam de fazer entrevistas com os conduzidos e os condutores (PMs) na Permanência do Plantão Central, diga-se de passagem, esse local é de uso exclusivo para trabalho dos policiais plantonistas atenderem ao público e fazerem a recepção desses conduzidos das mãos dos policiais militares e apresentá-los ao Delegado.

E como forma de pressionar, os repórteres passaram a depreciar o trabalho da Polícia Civil, enaltecendo o trabalho da Polícia Militar, jogando a opinião pública de encontro com o trabalho da PC, chegando um dos repórteres a dizer que iria passar a “denunciar” os roubos e furtos de motocicletas, homicídios e outros crimes não elucidados pela Polícia Civil, esquecendo-se esse repórter que os crimes que ainda não foram evidenciados não foi por conta da falta de empenho dos policiais e sim pela falta de estrutura e investimento do governo, esse mesmo governo que gasta milhões em propaganda veiculadas nessas mesmas emissoras, enquanto o social agoniza por melhor aparelhamento.

E a solução para o impasse? A grande sacada! Foi doar, ceder, entregar ou outro termo de gênero uma sala no prédio da Delegacia Regional de Segurança Pública, ao lado do PC, para que ali os repórteres possam fazer suas entrevistas, comentários e filmagens, enquanto os policiais militares preenchem um Boletim de Ocorrência, e só depois, somente depois, quando o conduzido já teve sua imagem e seus problemas capturados pelas lentes e microfones, para serem exibidos exaustivamente no dia seguinte, geralmente pela manhã (cedo), que ele é conduzido até a presença da Autoridade Policial (Delegado Plantonista), para que esta tome as providências, numa demonstração total desrespeito, não só aos policiais civis que estão naquele plantão, mais a dignidade do ser humano que está sob constrangimento de ser conduzido até uma Delegacia de Polícia, as vezes, sem ter cometido nenhum delito e está totalmente acuado por câmeras e microfones, com repórteres sensacionalistas lhe bombardeando com perguntas de acordo com a resposta que querem ouvir e passar aos seus telespectadores.

O que nos deixa indignado, revoltado e nos corrói internamente é ver conviver ao lado de pessoas que achincalharam, denegriram a imagem e menosprezaram a Instituição Polícia Civil e são essas mesmas pessoas que sempre tiraram proveito dela, inclusive e principalmente proveito político, já que na legislatura atual da câmara municipal existem dois vereadores que faziam, um deles ainda faz programa com matéria policial, utilizando-se da desgraça das pessoas e quantos outros já passaram pela Casa Legislativa, não permaneceram em função de terem suas incompetências e inoperâncias ali explicitadas e avaliadas pelos eleitores no pleito seguinte.

E aqueles que têm ou ao menos tinham o dever de zelar pela imagem dessa Instituição feita por homens honrados, não o fazem, talvez por medo dessa mesma impressa que apenas tira proveito de situações, não só daqueles humildes, desconhecedores e desprovidos dos seus direitos, mais também daqueles que se acovardam defendendo apenas seus interesses políticos partidários.

Talvez por não terem qualquer identificação ou vínculo com ela, não conhecerem sua história, seu árduo caminho percorrido, estão por que estão, são passageiros, apadrinhados de políticos e de governos, por isso a resposta não vem à altura, está sempre agarrada ao “jeitinho”.

É legal o cidadão ser filmado como se marginal fosse, só porque está sendo apresentado numa Delegacia de Polícia? E o princípio da inocência? É legal repórteres invadirem o espaço que seria dos policiais e pessoas que estariam ali para serem atendidas? Comete alguma ilegalidade o policial (Delegado, Investigador ou Escrivão) que fecha uma porta (permanência com aparelho de ar condicionado), solicita que esses mesmos repórteres possam aguardar e possam fazer o “seu trabalho” caso as partes envolvidas permitam? Comete “abuso de autoridade contra a imprensa” o Delegado que deixa de expor a face ou interrogatório de uma pessoa que cometeu um delito e apresentou-se posteriormente, legalmente acompanhada de advogado? São esses questionamentos que deveriam ser explicitados por parte dos homens que fazem a cúpula da PC, a esses “profissionais” e que infelizmente, foram deixados de lado.

Foi melhor ceder, dar a eles a sangue da Polícia Civil, assim, politicamente, todos serão “felizes para sempre”. Porém senhores, o poder é passageiro, as instituições ficam e certamente, a Polícia Civil na Região Tocantina vai ficar com essa mácula de um dia ter se curvado diante da pressão de pessoas totalmente descompromissadas com interesse público, preocupadas apenas com suas individualidades, seus picos de audiência e seus dividendos políticos, diria que este é o principal, tanto de um lado quanto do outro.

Sou Escrivão da Polícia Civil do Estado do Maranhão há alguns anos, porém, nunca tinha visto algo semelhante! Obrigado.

José Antonio PINHEIRO Silva
Escrivão de Polícia Civil
Mat. 279059
 Comentário meu: Infelizmente, o Pinheiro saiu da linha ao atacar quem muitas das vezes ele precisou e sempre esteve ao lado especialmente nos momentos em que os Policiais Civis precisavam de apoio em seus movimentos. Não se pode generalizar, há bons jornalistas, assim como há bons policiais.


confirmando

O Empresário Ildon Marques confirmou o que todos já sabiam: Vai manter o mistério sobre sua saida do DEM até o minuto final da prorrogação.
Por enquanto, vai desconversando sobre o assunto.
Em resposta a email enviado por este jornalista, Ildon afirmou desconhecer o assunto sobre sua mudança do DEM para o PMDB.
Pelo visto está mais do que certo de que o ex-prefeito irá mesmo sair do Democrata e assinar no PMDB.
Consta que está sendo esperado até o final deste mês.
Até lá, resta esperar.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

O airbag pode causar traumas oculares?


O uso combinado do airbag e do cinto de segurança reduz
o risco de morte em mais de 50%


Não é uma surpresa que os acidentes com automóveis causam um grande número de lesões oculares.  E estas lesões oculares, que ocorrem durante acidentes de trânsito, têm aumentado progressivamente. Estatísticas da Sociedade Americana de Trauma Ocular mostram que 8,9% das lesões oculares são causadas por acidentes com veículos automotores. Os acidentes automobilísticos também são a principal fonte de lesões oculares bilaterais, que podem ser causadas pelo acidente e/ou pela abertura dos airbags.
Segundo dados da Seguradora Líder, responsável pelo pagamento do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Dpvat), o trânsito no Brasil matou 147 pessoas por dia, entre 1º de janeiro e 30 de junho deste ano. Ao todo, 26.894 pessoas morreram nesse período (cerca de 2 mil pessoas a mais que no primeiro semestre de 2010) e 107.403 ficaram com algum tipo de invalidez, número que aumentou em quase 30 mil de um período para o outro.O Brasil é o quinto país em número de acidentes de trânsito no mundo.
Um piscar de olhos é o que melhor ilustra o tempo entre a abertura do airbag e o início do seu desinflar. A operação dura 30 milésimos de segundos, graças à “explosão da bolsa” em uma velocidade média de 300 km/h. O sistema, que funciona como um complemento do cinto de segurança, começa a se popularizar no Brasil e, em 2014, será obrigatório nos carros novos. Mas exige cuidados para cumprir sua função.
Como se trata de uma “explosão”, os ocupantes de veículos com airbag devem ter cuidado redobrado com a postura dentro do carro. A mais importante delas é o uso do cinto de segurança. Obviamente, ele é indispensável em qualquer situação, mas nos carros com as bolsas protetoras, a pessoa que estiver sem cinto pode se machucar ainda mais. Achar que pode usar o airbag sem cinto é o erro mais grave. Isso porque a proporção da abertura do airbag é calculada levando em conta o trabalho do cinto de segurança, que segura, e muito, o corpo.
Hoje, diversos estudos e pesquisas têm como objetivo mudar a maneira que os airbags são implantados para reduzir os traumas oculares decorrentes de sua abertura. "Projetistas de sistemas automotivos e de segurança devem continuar a investigação sobre o design de abertura do airbag, visando minimizar o contato visual”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.
Impacto sobre os olhos
A Fundación Mapfre, por meio de seu Instituto de Segurança Viária, na Espanha, realizou um estudo sobre as lesões oculares e orbitárias provocadas pelo acionamento do airbag em colisões de baixa velocidade, que envolviam condutores usuários de óculos.
A pesquisa teve como objetivo analisar os possíveis riscos e benefícios ocasionados pelo uso de óculos, no momento do disparo do airbag, e de seu choque contra a face do motorista. Ficou demonstrado que o uso combinado do airbag e do cinto de segurança reduz o risco de morte em mais de 50%.
Porém, o estudo demonstra que, em alguns casos, o disparo do airbag pode provocar lesões. Isso acontece, principalmente, porque os condutores mantêm uma distância inadequada em relação ao volante: 26% se situam a menos de 42,5 centímetros (distância olhos ao centro de volante), quando o recomendado, em média, são 45 centímetros.
A possibilidade das pessoas que usam óculos sofrerem lesões mais graves na região ocular, no caso de disparo do airbag, irá depender do tipo de armação e do tipo de lente utilizada nos óculos.
Para validar estes dados, os pesquisadores realizaram testes com diferentes vidros e armações. Os resultados mostram que, quando os óculos não se quebram, eles atuam como um agente protetor para os olhos, ainda que esse efeito seja 15% inferior, no caso de óculos sem armação que envolva toda a lente.
Em choques a 30 km/h com óculos tradicionais (de armação fechada), em que ocorre o disparo do airbag, eles permanecem no rosto e na maioria dos casos não se quebram, causando um potencial efeito protetor. Como recomendação final, após a realização dos testes, os pesquisadores orientam os condutores a:
·       não usarem lentes de vidro mineral para conduzir porque estas podem se estilhaçar;
·       usarem óculos com armação fechada;
·       solicitarem assessoria sobre a solidez da armação e a resistência dos vidros empregados nas lentes de óculos;
·       manterem uma distância adequada em relação ao volante: uma média de 45 centímetros entre o rosto e o centro do volante.
Outras preocupações
“Quando o assunto é o uso do airbarg, pacientes que já fizeram cirurgias refrativas, de catarata ou de glaucoma devem ser informados do alto risco de sofrerem lesões oculares graves no caso de colisão. Como medida preventiva, devem escolher óculos com maior capacidade de proteção para dirigir um veículo”, informa o oftalmologista Virgílio Centurion.
Além dos traumas oculares, a literatura médica registra casos de queimadura nos olhos, após a abertura dos airbags. Um dos primeiros relatos sobre o problema surgiu no Annals of Emergency Medicine, em 1992, quando um paciente apresentou ceratite química, depois que um airbag do lado do motorista foi acionado. De lá, para cá, outros casos semelhantes foram registrados, mas em menor freqüência que os traumas oculares provocados pelos airbags.
Um estudo relevante sobre este tipo de lesão foi feito em 1999, envolvendo lesões oculares provocadas pelo airbag em 97 pacientes. A pesquisa, publicado no Transactions of the American Ophthalmological Society, constatou que nove pacientes (9%) apresentavam ceratite química e cinco deles sofriam com o problema em ambos os olhos.
"A ceratite é uma “queimadura” resultante do contato da córnea com a amônia, o hidróxido de sódio e o aerosol, que são emitidos como subprodutos da combustão de sódio, usado para inflar o airbag. Queimaduras resultantes deste processo dependem da quantidade e da duração da exposição da córnea aos componentes alcalinos. A maioria deste tipo de queimadura tem cura, mas a medicina já registra casos extremos, que exigem transplante de córnea e perda da acuidade visual de forma permanente", explica Centurion.
De acordo com informações da indústria automobilística, os airbags recentes estão empregando menos produtos químicos tóxicos (como por exemplo, a azida de sódio), o que diminui o risco de queimar os olhos. E a menos que o acidentado retenha substâncias químicas tóxicas em seus olhos por um período prolongado de tempo, ele não está susceptível a sofrer danos graves na córnea, como resultado da abertura do airbag.
CONTATO:

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO:
Márcia Wirth

Código Florestal e a preservação do meio ambiente


* Luiz Ernesto Aceturi de Oliveira
** Viviane Castilho 

Nas últimas semanas muito tem se discutido sobre o novo Código Florestal. São inúmeras as opiniões em relação a pontos polêmicos, como a manutenção das áreas de preservação permanente, a possibilidade de soma das áreas de reserva legal, a concessão de anistia, entre outros.
Apesar de importantes questões, não se vê nenhuma discussão sobre o funcionamento das autarquias e secretarias do meio ambiente, que tem o importante papel de possibilitar o cumprimento das obrigações impostas pelo Código Florestal e por outras leis que tratam da preservação do meio ambiente e do controle dos imóveis rurais.
O Código Florestal tem a função de estabelecer as regrais de preservação e exploração de nossas florestas, visando à manutenção de um meio ambiente equilibrado. Mas, a implementação dessas regras está sujeita à regulamentação em todas as esferas, inclusive, municipal, o que dá ensejo à criação de procedimentos diferenciados por Estados e Municípios, dificultando e encarecendo a regularização dos imóveis rurais e preservação do meio ambiente pelos proprietários de imóveis.
Mas, não se vê nenhum esforço para a desburocratização, modernização e capacitação desses órgãos para atender com agilidade a sociedade. A situação é grave e deve piorar com a aprovação do novo Código Florestal, já que criará mais uma obrigação aos proprietários de imóveis rurais, que é a de realizar o CAR - Cadastro Ambiental Rural. Esta futura regulamentação proporcionará maior demanda às autarquias e secretarias do meio ambiente.
A questão causa ainda mais preocupação ao empresariado e a sociedade quando se constata que, a partir de novembro deste ano, toda transação envolvendo transferência de propriedade de imóvel rural terá seu registro em cartório de registro de imóveis, condicionado à prévia averbação de georreferenciamento devidamente certificado pelo INCRA, somada à necessidade da constante atualização do CCIR – Certificado de Cadastro de Imóvel Rural.
Os proprietários de imóveis rurais devem ficar atentos a essas mudanças, para exigir do Congresso Nacional mobilização equivalente a da aprovação do novo Código Florestal para aprovação de medidas que possibilitem o cumprimento da lei, como a uniformização e desburocratização de procedimentos, capacitação dos agentes, modernização dos órgãos responsáveis e, em especial, a redução dos custos envolvidos.
Se mantida a inércia do Congresso Nacional, iremos na contramão das grandes economias mundiais e assistiremos ao fomento da informalidade nas transações com imóveis rurais, diante da ineficiência de atendimento ágil dos órgãos responsáveis o que, certamente, significará um retrocesso para a economia do País e para a preservação do meio ambiente. Isso sem mencionar que referida informalidade impede transações de crédito vinculadas aos imóveis rurais.

* Luiz Ernesto Aceturi de Oliveira, especialista em Mercado de Capitais. Sócio de Guedes Nunes, Oliveira e Roquim Sociedade de Advogados.
* Viviane Castilho, é especializada em Direito Imobiliário e Direito Ambiental pela FGV, associada do Guedes Nunes, Oliveira e Roquim Sociedade de Advogados, onde atua nas áreas de Direito Imobiliário e Fundiário.

Artigoo:Os dilemas dos Estados Unidos comparados a uma empresa privada


Por Marcos Morita
Mudanças históricas têm ocorrido no front econômico nos últimos dias. A possibilidade de os Estados Unidos deixar de honrar seus compromissos financeiros era algo impensável, até pouco tempo atrás. O fraco acordo, conseguido pelo presidente Obama com a Câmara dos Deputados para o aumento do teto da dívida, teve como consequência os menores níveis de aprovação do governo por parte dos americanos. Para completar a semana, a notícia de rebaixamento dos títulos pela agência Standard & Poors levanta a possibilidade - ainda que remota - de um eventual calote.

Para elucidar o momento, vou tentar comparar a situação do governo americano com uma empresa privada, denominada como USA. Tradicionalíssima e com mais de duzentos anos de existência, é financeiramente sólida e respeitada em todo o mundo. Atuando em um segmento altamente competitivo, é líder de mercado com grande participação. Apesar do decréscimo na taxa de inovação e desenvolvimento nos últimos anos, seus produtos ainda são muito desejados por clientes que procuram segurança e alto valor de revenda.

O antecessor do atual presidente permaneceu no comando por duas gestões, sendo conhecido por seu jeito rústico, inabilidade política e desconhecimento da geografia - assim como grande parte dos americanos médios. Sua eleição, contestada por sua legalidade, o levou a cadeira principal em um cenário dividido entre os acionistas. Logo no início de seu mandato, foi surpreendido por graves problemas de origem externa. Sabotagens e ataques a algumas de suas instalações, espalhadas ao redor do mundo, provocaram medo e insegurança em seus funcionários, clientes, fornecedores e acionistas.

Aproveitando-se da situação, conseguiu aumentar sua popularidade. Com um discurso demagógico, decidiu pela procura dos culpados, investindo bilhões de dólares em projetos de longo prazo, os quais além de não relacionados à melhoria da eficiência da empresa, tinham retornos altamente questionáveis. Conseguiu aprová-los em meio à confusão e ao medo reinante na instituição. Com o passar dos anos tornaram-se claro sua inviabilidade, porém interrompê-los neste momento sairia mais oneroso que terminá-los.

Para financiá-los recorreu aos lucros acumulados, lançou ações e debêntures no mercado, assim como buscou financiamentos junto a instituições financeiras.  Não obstante as taxas de juros atraentes, consequência de sua baixa taxa de risco, seu índice de liquidez: relação entre seus ativos circulantes - caixa, bancos, estoques e clientes e passivos circulantes: empréstimos, financiamentos, impostos e fornecedores - começou a se deteriorar. Vale salientar que quanto melhor esta relação, maior a capacidade da empresa em honrar seus compromissos.

Para piorar ainda mais o cenário, importante parcela dos clientes tornou-se inadimplente, consequência de uma política de crédito frouxa, a qual concedia aumento nos limites sem o devido lastro. Mais uma vez sua administração teve que recorrer ao capital de terceiros, aumentando sua alavancagem a níveis críticos - relação entre capital próprio e de terceiros - comprometendo ainda mais sua liquidez. O presidente anterior deixou a empresa pela porta dos fundos, com os piores níveis de aprovação jamais vistos na história da empresa.

O novo presidente trazia muita esperança aos funcionários e acionistas. Além de jovem e negro, algo raro em uma multinacional americana, tinha uma formação de primeira linha e grande carisma. Transitava de maneira fluida, estivesse entre os diretores ou na linha de produção. Seus discursos eram concorridos, assim como suas páginas no Facebook e seus seguidores no Twitter. Visitou diversas operações ao redor do mundo, arregimentando admiradores e respeito. Neste ínterim, foi agraciado com importante prêmio de destaque internacional.

Passada a fase de lua de mel, debruçou-se sobre os problemas gigantescos da empresa, os quais fizeram com que perdesse parcela significativa de suas vendas nos últimos trimestres. Como consequência e para tentar reergue-la, abandonou algumas linhas de produtos, fechou fábricas e demitiu milhares de funcionários. Teve que rever alguns investimentos e projetos de seu antecessor, reduzindo-os na medida do possível.

Apesar dos esforços empreendidos, novos concorrentes começaram a ganhar mercado, aproveitando a inércia e a fragilidade da USA, oferecendo produtos e serviços confiáveis e também seguros, ameaçando sua hegemonia mundial. Como uma bola de neve, o grau de endividamento aumentava, à medida que venciam os compromissos financeiros com seus credores, os quais começavam a duvidar de sua capacidade de pagamento. Em reunião com os acionistas, o presidente solicitou um aumento no teto do endividamento para poder continuar investindo, cujo resultado foi mal recebido pelos analistas financeiros.

Como consequência, sua taxa de risco foi revista por algumas agências, as quais colocaram em dúvida sua liquidez. Esta situação era inédita para a empresa, cujos produtos eram considerados pelo mercado como sinônimo de risco zero, utilizados como parâmetro para operações de empréstimo por governos, empresas e MBAS ao redor do mundo. Esta decisão causou alvoroço no segmento, uma vez que a abrangência dos negócios ultrapassam as fronteiras americanas. Com a decisão possivelmente subirão as taxas de juros pagas pela USA aos bancos, aumentando ainda mais sua dívida de curto prazo.

O presidente atual se encontra frente à dicotomia entre crescer fortemente as vendas, ao mesmo tempo em que deve reduzir os gastos, cortando benefícios e projetos, assim como comprometendo sua reeleição para o próximo ano. Os especialistas por sua vez, prevêem um crescimento apenas moderado nos principais mercados consumidores. Neste cenário, a USA precisará investir e se concentrar no que sabe fazer melhor. Sua história é recheada de exemplos de empreendedorismo e inovação, trazendo produtos, serviços e soluções que tanto encantaram o mundo no século passado. Com um portfólio renovado poderá novamente se diferenciar da concorrência, a qual já disputa palmo a palmo consumidores em seu próprio quintal. O mundo aguarda ansioso pelos próximos capítulos e por sua pronta recuperação.

Marcos Morita é mestre em Administração de Empresas, professor da Universidade Mackenzie e professor tutor da FGV-RJ. Especialista em estratégias empresariais, é colunista, palestrante e consultor de negócios. Há mais de quinze anos atua como executivo em empresas multinacionais.

SEMANA DO ECONOMISTA


No dia 13 de agosto de 2011 comemoram-se os 60 anos da regulamentação da Profissão de Economista no Brasil. A atividade profissional privativa do Economista exercita-se, liberalmente ou não, por estudos, pesquisas, análises, relatórios, pareceres, perícias, arbitragens, laudos, certificados, ou por quaisquer atos, de natureza econômica ou financeira, inclusive por meio de planejamento, implantação, orientação, supervisão ou assistência dos trabalhos relativos às atividades econômicas ou financeiras, em empreendimentos públicos, privados ou mistos, ou por quaisquer outros meios que objetivem, técnica ou cientificamente, o aumento ou a conservação do rendimento econômico.
Visando comemorar tão relevante data a Faculdade de Educação Santa Terezinha – FEST, através do Departamento de Economia, promoverá a Semana do Economista nos dias 10, 11 e 12 de agosto, onde terão palestras abertas à toda sociedade de Imperatriz e região.

PROGRAMAÇÃO SEMANA DO ECONOMISTA FEST
10 de agosto – quarta - feira
19:00 horas
FELIPE MACEDO DE HOLANDA
  • Graduado em Economia pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (1990);
  • Graduado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (1991);
  • Mestre em Economia pelo Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (1997);
  • Professor assistente da Universidade Federal do Maranhão;
  • Consultor do SEBRAE – MA; e
  • Vice-Presidente CORECON – MA.
TEMA: O MERCADO DE TRABALHO E AS PERSPECTIVAS DOS PROFISSIONAIS DE ECONOMIA NO MARANHÃO

11 de agosto – quinta - feira
19:00 horas
FRANCISCO VIANA CRUZ
  • Graduado em Economia pela Universidade Federal do Tocantins - UFT;
  • Especialização em Auditorial Governamental pela Universidade do Tocantins - UNITINS;
  • Mestrado em Desenvolvimento Regional pela - UFT;
  • Professor substituto no curso de ciências Econômicas - UFT (2006/2008);
  • Professor efetivo de economia do INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA - IFTO;
  • Vice-presidente do Conselho Regional de Economia-TO - CORECON-TO (2009/2010);
  • Conselheiro do CORECON-TO/2011.

TEMA: MAPA DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA RENDA NO BRASIL. A Participação do Norte e Nordeste no Contexto Nacional.


12 de agosto – sexta - feira
19:00 horas
CARLOS ALBERTO BARBOZA DA SILVA
  • Administrador de empresas formado pela Universidade Estácio de Sá;
  • Realizou diversos cursos sobre Mercado de Capitais pelo Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC);
  • Atuou como Diretor Executivo da Interbank Corretora de Título e Valores, Gerente operacional na Corretora Fair;
  • Gerente da Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social – VALIA; e
  • Atualmente presta serviços como consultor da BM&FBOVESPA para divulgação do Programa de Popularização.
TEMA: BM&F BOVESPA e O Mercado de Ações e de Derivativos

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Carta de um prefeito competente

Espero e desejo que estejas bem.

Gostaria de agradecer e dizer que após quase sete anos de Adm. pública, em Realeza-PR, posso dizer que o aprendizado que tive com a AMARRIBO, foi fundamental para que os recursos públicos fossem efetivamente aplicados para o bem estar do povo Realezense.

-Implentamos uma gestão profissional desde o primeiro dia em nossa Administração. Até hoje, nenhum parente presta serviço na Prefeitura, inclusive minha esposa.

-No primeiro mês denunciei a Empresa Sulmed(reportagem recente do Fantástico) que vendia apenas NF(s) de medicamentos até ambulâncias....onibus para saúde, etc....UMA VERGONHA...

-Tambem denunciei meu Vice Prefeito, que tentou organizar uma quadrilha com empresas, para desviar dinheiro público.

-Fraudes com Xerox, roubo de peças e equipamentos, diárias,etc.

-Tentativa de desvios da merenda escolar....

-Instalei um sistema de controle de frota, para gerenciamento dos gastos de combustíveis e licitei a compra de óleo diesel, direto da Distribuidora e tu não imaginas a economia que já fizemos, tanto que o TCE-PR, desde janeiro/2011, esta cobrando de todas as Prefeituras o envio dos gastos de combustível por veículo/máquinas, etc com o respectivo odômetro...logo teremos reportagens na Globo, sobre os absurdos de valores desviados nesta Conta Combustível...Aguardem.

-Instalei câmara de monitoramento nos postos de saude, escolas, Parque de máquinas, Principais ruas e avenidas, Centros de Eventos...o índice de furtos e criminalidade diminuiiu muito.

-Implantamos a coleta seletiva em 100% do município e tu não imaginas a economia que fizemos com o aterro sanitário(uma das poucas cidades) que nao terceirizou a coleta(outro foco de corrupção) e ainda passamos a não cobrar Taxa de lixo, pra que aderisse a separação nas residências. Além de estruturarmos a Apara(Assoc. de agentes ambientais) que fazem a separação e obtem otima renda.

-Investimos em Centros de Educ. Infantil, Escola em tempo Integral e consegui a instalação da UFFS(Univ. Federal da Fronteira Sul). Ficamos entre os 40 melhores do IDEB no País. Aqui tem vaga nas creches e estamos construindo mais uma(220 vagas) e mais uma Escola para ensino fundamental(Universidade da Criança

-Na saúde fizemos uma revolução, que hoje temos uma aprovação da população em mais de 90%. Aqui nem ambulância do Municipio tinha, hoje, temos aparelhos de ultra som, laboratório, até UTI móvel do SAMU conseguimos.

-Um belo Parque Ecológico Central, com lago, pistas de caminhada, academia de ginastica ao ar livre, quadras, etc.

-Desfavelamentos e canalização do córrego.

Gostaria de um dia poder relatar nossa experiência para o Brasil, para que tenhamos milhares de Realezas por ai.

Com um orçamento aprox. de 20 milhões por ano, hoje temos em caixa R$ 3.500.000,00 acreditam?

Da prá fazer muito com o orçamento bem planejado, sem corrupção é lógico.

Abraçao e minha gratidão em nome do Povo de Realeza, por tudo que me ajudaram.

Eduardo Andre Gaievski

Prefeito de Realeza
46 9975 1141
Esta cidade existe mesmo, assim como o prefeito.

DPE e MP visitam Pequiá de Baixo em Açailândia

A convite da Paróquia São João Batista, do Movimento Justiça nos Trilhos, do Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos Carmen Bascaran de Açailândia e da Associação de Moradores de Pequiá de Baixo, o defensor geral do Estado, Aldy Mello Filho, visitou o povoado Pequiá de Baixo, em Açailândia, na Região Tocantina. Ele foi ao local conhecer a realidade de moradores que moram em áreas próximas a carvoarias e usinas siderúrgicas de ferro gusa instaladas na região.

O defensor geral estava acompanhado da sudefensora Mariana Albano de Almeida; corregedora Fabíola Barros; defensora pública Clarice Binda e do promotor de Justiça Leonardo Tupinambá.

Na oportunidade, lideranças populares relataram a situação da comunidade de Pequiá de Baixo que fica próxima a cinco indústrias siderúrgicas. Os moradores alegam que a poluição tem inviabilizado a produção agrícola, a qualidade do ar e da água.

Desapropriação

Por meio do Decreto nº 610, de 13/07/11, o município de Açailândia desapropriou um imóvel constituído da gleba de terra denominada Sítio São João com vistas ao reassentamento das famílias residentes na comunidade de Pequiá de Baixo, fora dos limites do parque siderúrgico do município.

Segundo o defensor geral, a desapropriação foi o primeiro grande passo para realocação das famílias. Resta agora continuar as tratativas juntos aos setores governamentais e empresas envolvidas no sentido da definição das responsabilidades na construção das unidades habitacionais.

"Precisamos construir coletivamente uma solução para as questões da comunidade de Pequiá. A Defensoria, em articulação conjunta com o Ministério Público, está acompanhando o processo de negociação entre todos os envolvidos", afirmou Aldy Mello Filho.
Moradores de Pequiá de Baixo conversam com defensores e o promotor

Ampare pede ajuda

Queridos amigos,

venho pedir em nome da AMPARE...

O Solar da Ampare está com 16 pessoas esses dias, são 8 pacientes com seus acompanhantes. Isto implica em aumento no consumo de alimentos, assim, gostaria de pedir a colaboração de vocês com alimentos perecíveis ou não!

Quem puder contribuir, entra em contato comigo, que vou buscar!

Lembro àqueles que moram em cidades vizinhas à Imperatriz e que vêm aqui com frequência que os maiores beneficiados com esta ação são seus conterrâneos, pois os pacientes que estão no Solar são das cidades vizinhas, então a ajuda de vocês é fundamental!

Vamos ajudar os pacientes de câncer!!
Beijo,

Aline Cortez

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Deputado Chiquinho Escórcio rebate críticas infundadas ao modelo público de saúde do Maranhão

O deputado Chiquinho Escórcio (PMDB-MA) utilizou a Tribuna do Plenário da Câmara dos Deputados no início dos trabalhos legislativos, essa semana, para rebater veementemente críticas de seu colega Domingos Dutra (PT-MA) aos investimentos do Governo do Maranhão na área de saúde. Reportagem sobre os recursos para a construção de hospitais no estado foi o foco do parlamentar petista para criticar a atual gestão, comandada pela governadora Roseana Sarney (PMDB) e pelo vice-governador Washington Luís (PT).

“Quando vejo as pessoas posando de boazinhas aqui, penso que não estou no meu Maranhão. Quero ressaltar que, pelo fato de ter sido opositor do grupo político do ex-governador Jackson Lago, em pleno estado democrático de direito, fui preso e torturado porque estava com todas as provas que pediam a cassação do ex-governador”, destacou Chiquinho. “O deputado que falou agora, antes de mim, fazia parte do grupo que dominava o governo naquela época. Vemos que os direitos humanos para cá são uma coisa e para lá são outra”, completou Escórcio.

Para o deputado Chiquinho Escórcio, as críticas do colega petista são fundamentadas por uma disputa interna no PT do estado. “Vejo aqui dois pesos e duas medidas. A construção do Ciretran em Imperatriz, por exemplo, está parada há 6 anos. Teve dispensa de licitação, a empresa responsável recebeu o dinheiro e a obra não saiu do papel. Gostaria de saber por que o nosso querido deputado, que aqui falou com tanta veemência, não chama os órgãos fiscalizadores já que ele fazia parte daquela equipe”, questionou Chiquinho.

Para o deputado, que também é vice-líder do PMDB na Câmara dos Deputados, a conduta do colega configura um caso claro de infidelidade partidária. “O PT deveria fazer uma representação dura, um processo de expulsão, porque essa pessoa não faz o que determina a fidelidade partidária e arrebenta com o vice-governador, que é do partido dele. Eu não tenho dois pesos e duas medidas. O PT daqui é aliado ao PSDB de lá, e ele não vem aqui para denunciar o caos que está lá em São Luís. A população merece respeito e merece que trabalhemos por ela”, avaliou Chiquinho.

O parlamentar também criticou o fato de o colega petista não ter se empenhado em aumentar o repasse federal de recursos para a Saúde no Estado. “O Maranhão recebe per capita um dos piores repasses do País para a saúde. Por que o meu colega, que estava há mais tempo nessa Casa, é da base de sustentação e tinha tudo para levar mais dinheiro para lá, não o fez? Vou dizer: é porque ele tem problema com o vice-governador e um bloco de oposição, o PT rachado no Maranhão. Essas coisas precisam vir à tona!”, rebateu.
Chiquinho lembrou ainda de audiência pública aprovada na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, de autoria do deputado Osmar Terra (PMDB-RS), que vai discutir a saúde pública do Maranhão no âmbito do Congresso Nacional. A audiência aprovada pela Comissão deve ser marcada na volta do recesso parlamentar, em agosto, foi proposta pelo deputado Osmar Terra depois de conversa com o colega Chiquinho Escórcio. “No dia da audiência, poderemos, toda a bancada, inclusive a de oposição, questionar as autoridades federais e do estado, como o secretário de Saúde, Ricardo Murad. Isso é democrático e legítimo”, finalizou.