segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Duas situações distintas no futebol tocantinense

O futebol do vizinho estado do Tocantins começou a semana com duas situações diferentes. Uma envolvendo o Tocantinopólis, que fez vexame na série D e a outra o Araguaina conseguiu permanecer na série C. Tudo isso, graças ao tapetão.

Na última quinta-feira, já em fase de recurso, Osvaldo Sestário Filho conseguiu anular a partida entre Anapolina-GO X Tocantinópolis-TO, pela Série D, quando o time de Tocantins promoveu um “cai-cai” teoricamente para beneficiar o Itumbiara-GO, que ficaria com a vaga. O jogo foi anulado e nesta noite desta segunda-feira, Anapolina X Tocantinópolis voltarão a se enfrentar.


E, na Série C, Osvaldo Sestário Filho defendeu os interesses de Araguaína-TO e Luverdense-MT, que queriam a eliminação do Rio Branco-AC. A reclamação era que o time do Acre usou a Justiça Comum para mandar seus jogos no estádio Arena da Floresta. Outra vitória de Sestário, que manteve o Araguaína na Série C de 2012, evitando o rebaixamento da equipe e fez o Luverdense classificar-se para a segunda fase, com o Rio Branco sendo eliminado da competição e rebaixado para a Série D.

“Nestes dois julgamentos a situação mais delicada era anular a partida entre Anapolina e Tocantinópolis, já que as situações de Luverdense e Araguaína eram mais confortáveis. O Rio Branco beneficiou-se da Justiça Comum e é entendimento pacífico que o clube que busca a Justiça Comum, antes de esgotadas todas as possibilidades de recursos na Justiça Desportiva, deva ser punido”, explica Osvaldo Sestário Filho.



Além de representar clubes e atuar nos Tribunais Desportivos, Osvaldo Sestário Filho é professor da ESA – Escola Superior de Advocacia da OAB do Rio de Janeiro, além de continuar atuando como advogado nas áreas cível e trabalhista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário