segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Gabinete de Gestão Integrada define ações preventivas em caso de paralisação da polícia

Os comandos dos órgãos que integram o Gabinete de Gestão Integrada de Segurança Pública (GGI) do Maranhão participaram de reunião, nesta segunda-feira (21), na sede da Secretaria de Segurança (SSP). Na ocasião, entre outros assuntos, foram discutidos a possível paralisação de policiais militares e bombeiros, que vem sendo anunciada para esta semana, e um planejamento com ações preventivas ao movimento.

O secretário de Segurança, Aluísio Mendes, afirmou crer no diálogo que vem sendo realizado entre governo e policiais, mas ressaltou que os órgãos decidiram tomar providências para garantir tranqüilidade à população em todo o Maranhão. “Não acreditamos que vá acontecer o movimento porque temos uma polícia ordeira, disciplinada. Porém, caso haja necessidade estamos com uma ação articulada para que a população não seja penalizada”, ressaltou Mendes.

Presentes ao encontro representantes dos órgãos comprometidos com a ação planejada e coordenada pela Secretaria de Segurança Pública, incluindo o Exército Brasileiro (24º BC), tenente-coronel Flávio Peregrino; da Aeronáutica, coronel aviador Ricardo Rodrigues Rangel; da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), major Alexandro Aragon; da Polícia Federal no Maranhão, superintendente Cristiano Barbosa; da Polícia Rodoviária Federal, inspetor Almir Alencar; o secretário adjunto de Administração Penitenciária, João Bispo Serejo; a delegada geral da Polícia Civil, Cristina Meneses; além dos comandantes da Polícia Militar, coronel Franklin Pacheco, e do Corpo de Bombeiros, coronel Marcos de Sousa Paiva; e Jones Correia, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

“A partir desse planejamento que envolve instituições como o Exército Brasileiro, a Força Aérea, a Força Nacional, os efetivos da Polícia Civil e até militares comprometidos com a legalidade, teremos condições de prover toda a segurança necessária à população, para que ninguém seja prejudicado caso esse movimento de policiais venha a acontecer”, assinalou o secretário, afirmando que não falaria sobre os números da operação por serem sigilosos.

Bom senso

Aluísio Mendes ressaltou que acredita no bom senso dos militares e bombeiros, que estão cientes do compromisso do Governo do Estado com as categorias. “O governo está finalizando um projeto amplo, que atenderá todo o funcionalismo público, no qual os militares estão incluídos, a ser anunciado em breve. E o governo sempre valorizou essas categorias e vai continuar valorizando”.

O secretário também destacou avanços obtidos pelas categorias durante as negociações. “O governo está negociando há muito tempo e várias melhorias já foram acertadas, como aumento do vale alimentação, que passou de R$ 130,00 para R$ 250,00, entre outras”.

Mendes ressaltou ainda que, em 2009, o Governo do Estado concedeu reajuste médio de 22,7% aos militares, fazendo com que o salário pago no Maranhão seja o sétimo melhor no ranking nacional. Ele elencou conquistas como a redução do interstício de 10 anos para cinco anos da promoção do soldado a cabo PM. Redução do interstício de 8 anos (tempo de serviço) e 6 anos (antiguidade e merecimento) para apenas 3 anos em ambos os casos, para a promoção do cabo a 3° sargento. Redução do interstício de 4 anos para 3 anos, para a promoção do 3° sargento a 2° sargento. A decisão permitiu a efetivação de 3.388 promoções de praças em todas as graduações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário