sábado, 4 de fevereiro de 2012

Sejap acelera conclusão dos presidios da região


Com o objetivo de construir, reformar e ampliar os presídios da região Sul do Maranhão, a Secretaria de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária (SEJAP) intensifica as obras nessa região. Cinco das sete unidades já estão no plano de serviços para o mês de março, as ouras duas apresenta-se quase que 100% concluídas.

O gestor de articulação da SEJAP no Sul do Maranhão, Valmir Alves, contou que o presídio de Davinopolis e a Central de Custódia Preso da Justiça (CCPJ – Imperatriz) terão as obras finalizadas no inicio de fevereiro e março respectivamete. “Os trabalhos estão praticamente finalizados. Eu diria que o presídio em Davinoplis está com 95% de suas obras concluídas. Em Imperatriz o principal serviço que era a construção das celas foi feito”, afirmou o gestor.

Para Valmir o que mais atrapalha na finalização das obras é o período chuvoso. “Claro que as chuvas atrapalham bastante. Quando chove às vezes é necessário interrompermos os serviços, mas vamos finalizá-lo e o serviço vai ficar muito bom”, prometeu ele.

Alves disse ainda que as ações no intuito de garantir aos apenados um lugar de melhor estrutura para cumprir as penas está sendo bastante positiva. De acordo com ele, hoje os avanços estão acontecendo. “Anteriormente o que víamos? Nós víamos as ações mais não enxergávamos os avanços. Hoje eles andam juntos”, declarou Alves.

Capacidade

Antes da reforma, o presídio de Davinopolis possuía uma capacidade para 40 pessoas. No entanto, após as obras a instituição prisional ampliou o número de vagas para 120 internos. Já a Central de Custódia Preso de Justiça (CCPJ – Imperatriz) terá vaga para 270 internos com as obras finalizadas. Hoje a unidade prisional tem capacidade para apenas 155. Conforme Valdir Alves, todas as unidades prisionais da região Sul do Estado estão cotadas para serem entregues completamente restauradas até o fim deste ano. “A previsão é que daqui pra o fim do ano todas as sete unidades estarão com suas instalações reformadas”, afirmou o gestor.

Ressocialização

A Coordenadora do serviço de assistência social da SEJAP, Maria Augusta Marinho, contou que uma das principais vantagens que os serviços de ampliação, reforma e construção dos presídios vão trazer de imediato é a questão do trabalhar a reintegração social dos presos. De acordo com a assistente social, as reformas nas unidades prisionais são de fundamental importância para a reintegração dos apenados à sociedade. “Uma coisa contribui para a outra. Como que iríamos trabalhar a reintegração dos presos à sociedade se as penitenciárias não tivessem estrutura física para isso?”, questionou Augusta.

Augusta, que está há um ano na função de coordenadora, mas que já possui cinco como assistente social, contou que os presos do sistema penitenciário do Maranhão participam de políticas públicas como educação, saúde e atividades sócio-culturais oferecidas pelos profissionais que ela coordena. “A intenção é dar o Maximo de assistência a esses presos. Não só a eles, mas também à família destes”, informou a assistente social.

A assistente social contou ainda que com os trabalhos de ressocialização oferecido aos presos, estes poderão sair do sistema prisional – após o cumprimento da pena – tendo uma oportunidade maior de emprego e se readaptar de fato à sociedade. “Com certeza isso vai refletir positivamente, diminuindo a criminalidade e aumentando as oportunidades de emprego para eles”, contou

Nenhum comentário:

Postar um comentário