terça-feira, 20 de março de 2012

Distribuição das torcidas pelo Brasil

Dando sequência ao post anterior, vamos ver como se distribuem pelo Brasil as grandes torcidas do futebol. Na tabela a seguir, veremos o tamanho de cada torcida dentro de seu próprio estado em relação ao seu tamanho total.

A princípio, o primeiro e maior mercado de cada clube é o seu próprio estado, pensando tanto no potencial de venda de produtos ligados ao esporte, como no potencial mercadológico para um patrocinador. Alguns clubes, entretanto, apresentam dimensão nacional e podem valer-se disso com ótimos resultados.

Considerando os clubes em seus próprios estados, encontramos o Corinthians na frente, seguido por São Paulo, Flamengo e Cruzeiro, este um pouco à frente do Cruzeiro. A liderança paulista é de fácil compreensão, pois o estado de São Paulo tem cerca de 41 milhões de habitantes, representando 21% da população brasileira. Para se ter uma boa dimensão do significado desse número, a torcida do Corinthians no estado é praticamente do mesmo tamanho que toda a população do estado do Rio de Janeiro.

A situação muda de figura quando consideramos os totais fora do estado de origem. Nesse caso, a liderança do Flamengo é absoluta, seguido à distância por Corinthians (com a metade, aproximadamente, do número de rubronegros), São Paulo e Palmeiras.

Dez clubes tem mais de 20% fora de seus estados de origem: os quatro grandes de São Paulo e Rio de Janeiro e os dois grandes gaúchos. Para a Pluri Consultoria esses números já evidenciam uma presença nacional, mas eu, pessoalmente, acredito que Grêmio e Internacional ainda não têm essa dimensão pelo fato de seus torcedores fora do Rio Grande estarem concentrados em poucos bolsões. Mas é o caminho a ser trilhado, sem dúvida.

Dois clubes, Flamengo e Vasco da Gama, se destacam pela participação dos torcedores de outros estados, com 74% e 71%, respectivamente. Esses dois e mais o Palmeiras, são os três clubes com mais da metade de seus torcedores vivendo em outras unidades da federação.

Embora o Rio de Janeiro tenha uma população grande, com 16 milhões de habitantes, o fato de ter quatro grandes clubes dilui bastante o peso local, ao contrário dos grandes gaúchos e mineiros, que têm torcidas de peso em seus próprios estados graças à divisão por apenas dois clubes, basicamente.

As torcidas nos 10 estados mais ricos

Essa é uma consideração importante para os dias de hoje, considerando, principalmente, os patrocínios de camisa: a distribuição das torcidas dos grandes clubes pelos 10 estados mais ricos do Brasil.

São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia, Distrito Federal, Santa Catarina, Goiás e Pernambuco concentram nada menos que 83% do PIB brasileiro.

Essa realidade ajuda a entender o porquê das receitas de mercado do Corinthians e do próprio São Paulo. E torna ainda mais incompreensível os percalços que o Flamengo enfrenta com certa regularidade para obter bons patrocínios. Nada menos que 80% da torcida corintiana está concentrada nesses dez estados, contra 75% da torcida são-paulina e 56% da torcida rubronegra.

Num ranking exclusivo dessas dez unidades da federação, algumas torcidas sobem: Corinthians, Grêmio, Cruzeiro, Internacional, Bahia e Sport. Algumas caem: Flamengo, Vasco, Botafogo, Ceará e Fortaleza. Entre os maiores, São Paulo e Palmeiras mantêm as mesmas posições.

Pelos números da pesquisa Pluri, 79% dos brasileiros torcem por um time de futebol. O estado que apresenta o maior percentual de torcedores é o Rio Grande do Sul – 90% – e depois o Rio de Janeiro e Santa Catarina. Chama a atenção nessa relação o elevadíssimo percentual de paranaenses que não torcem por nenhum clube: 33%.

Como vimos na tabela acima, o Rio Grande do Sul lidera com boa margem na preferência dos torcedores por times do próprio estado. Nada menos que 97,2% dos gaúchos que gostam de futebol torcem por um time do próprio estado.

A média nacional para esse ponto é de 55,6% dos torcedores preferindo os times do estado, contra 44,4% que preferem times de outros estados. Logo depois dos gaúchos vêm os cariocas, com 96%, e os paulistas, com 94,8% de preferência por clubes do estado. Os outros dois estados cujas torcidas preferem os times locais são Minas Gerais, com 63,4%, e Pernambuco, com 60,4% dos torcedores dando preferência às equipes locais.

O estado do Paraná apresenta outro destaque nesse ponto: de cada 3 torcedores paranaenses, 1 torce por times do estado e 2 por times de outros estados.

Esses dados, na avaliação da Pluri e também na minha, são uma comprovação da concentração de torcidas no Brasil. É um processo em andamento, sem dúvida, mas que é acompanhado, também, pelo crescimento de algumas equipes locais. Por enquanto é uma tendência, ainda não dá para bater o martelo e decretar como uma realidade pronta e acabada.

Com esses dados apresentados, fica pronto o caminho para o próximo passo, que será a apresentação dos clubes de acordo com o potencial de consumo de cada torcida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário