quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Rede de transmissão de dados via Internet da DPE será ampliada



A rede de transmissão de dados via internet da Defensoria Pública do Estado (DPE/MA) passará por grandes transformações nos próximos anos, impulsionadas pela implantação de cabos de fibra ótica, em substituição à tecnologia dos cabos de par metálico, que já não atende mais às exigências do trabalho desenvolvido pela instituição, que nos dois últimos anos experimentou significativo crescimento.
Os investimentos na infraestrutura tecnológica da DPE/MA, tendo como carro-chefe a substituição dos cabos de transmissão de dados, foram estabelecidos no contrato assinado este mês, entre a instituição e a empresa Oi. Pelo acordo, os serviços de internet da Defensoria receberão um upgrade, com a disponibilização de uma rede de transmissão de informação mais rápida, segura e confiável, saltando de dois para 10 Mb/s (megabits por segundo) a velocidade de conexão banda larga à rede mundial de computadores, e em especial aos sistemas de informação do órgão. Ficou definido, ainda, que cada um dos 14 núcleos regionais passará a contar com um serviço de internet banda larga de 1 Mb/s, em substituição ao Velox.
O atual sistema de transmissão de informações da DPE/MA é gerido em parceria com a Oi, por meio de contrato ainda vigente. As melhorias no acesso à internet pela Defensoria já era uma das metas previstas no planejamento da instituição, mas o processo foi acelerado nos últimos meses em função das constantes interrupções no link dedicado da Oi. O problema se agravou este mês, quando toda a DPE, incluindo os núcleos regionais, ficaram sem o serviço durante quase sete dias, comprometendo as atividades realizadas pelo órgão.
Por contas das falhas no sistema da Oi, o defensor geral do Estado, Aldy Mello Filho, solicitou uma reunião com representantes da Oi, em São Luís. Durante o encontro, ele cobrou explicações para as constantes interrupções do serviço, além de providências urgentes no restabelecimento do link dedicado. “Não há qualquer justificativa razoável para a interrupção do serviço por tanto tempo. Os prejuízos institucionais são incalculáveis, já que todos os núcleos são ligados em rede”, destacou o defensor geral. Segundo o gerente de Negócios da Oi, Joaquim Sampaio, assim que a empresa tomou conhecimento da ocorrência envidou todos os esforços na tentativa de reverter a situação, o que resultou na troca de cabeamento e até de realinhamento de equipamentos da Oi, como o moden,utilizado hoje para garantir o serviço.
“Ocorre que a rede da área da Praia Grande é muito antiga e deteriorada, que exige manutenções de difíceis resoluções, e mesmo assim, nos deparamos com problemas dessa natureza. Mas posso afirmar que tomamos as providências para normalizar no menor tempo possível o serviço, e paralelamente, em longo prazo, colocar em operação o novo contrato com a Defensoria, que significará melhorias para o serviço, abrangendo a capital e o interior do estado”, informou Sampaio.
A reunião com a Oi contou a presença da subdefensora geral, Mariana Albano de Almeida, do gestor de Atividade Meio, Gil Eanes Fonseca, a supervisora administrativa Hevanilde Ferro Castro e do chefe da Divisão de Operação e Suporte da Supervisão de Informática, Ricardo Costa Lemos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário