sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Imperatriz - Cavalo de Aço

Sempre quando chega o final do ano, algumas pessoas desinformadas e que torcem contra o time da Sociedade Imperatriz de Desportos, o nosso cavalo de aço, passam a criticar o Conselho Deliberativo do time, especialmente este jornalista que é seu presidente. As criticas são infundadas e mostram apenas que querem acabar com a equipe, como ocorreu com o Tocantins Esporte Clube.
A minha função ao longo destes mais desdes 10 anos foi o de preservar e manter o clube distante dos aventureiros, procurando ao máximo de cuidados para quem assumisse não deixasse o Imperatriz cair para a segunda divisão ou ser extinto.
E tenho conseguido este objetivo, com o Eduardo Queirós, Nilson Takashi(campeão), Leo Cunyha(chegou próximo da segunda divisão do futebol Brasileiro), Carlos Eduardo e por ultimo, Edvaldo Cardoso. Apesar de dividas deixadas por estas gestões, não comprometeram o nome da equipe, é claro que ainda falta muito para nos torna-mos um clube de futebol, por enquanto, somos apenas um time.
Todos estes dirigentes foram procurados,insistidos por mim para que viessem a assumir o comando da equipe e todos estão aí para confirmar se em algum momento, nós do conselho nos intrometeram em suas administrações. Particulamente, eu como Presidente do Conselho, nem me metir em nada, portanto, não se pode ficar jogando pedras.
Como dirigente que gosta do Imperatriz e de Imperatriz, tenho que adotar toda cautela no momento de eleger ou formar uma junta governativa. Pois um passo errado, poderá significar o fim do time. Daí, os cuidados, discussões e apresentação de propostas. E acho que este é o caminho, afinal, no que está dando certo deve-se manter.
Na segunda-feira, mais uma reunião para tratar sobre o ano que vem e lá, houve inclusive uma brincadeira com Neto Quirino numa disputa por cargo no futebol amador, só como forma de esquentar o clima e no final, em tom de brincadeira, afirmei que não quero ser diretor e sim, torcer para que as coisas deram certas e que eles poderiam escolher quem queria para compor o seu grupo.
Até porque, Neto da Ampere ao contrário do Nilson sempre apoiou o time e vai com certeza continuar fazendo o mesmo.
Portanto, não há donos no Imperatriz, há sim, pessoas preocupadas com oseu futuro e não é fechado nada. O Estatuto está no cartório, ser sócio basta pagar a contribuição e a partir daí, integrar o Conselho como Efetivo, Patrimonial, Contribuinte. Hoje, existe apenas o Conselheiro Fundador.
Precisava prestar estes esclarecimentos, para dirimir dúvidas e que as pessoas nos procurem que irão saber o que querem e quem quiser se habilitar a ser presidente, se apresente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário