domingo, 30 de dezembro de 2012

Maranhão encerra 2012 com resultados positivos na economia


O Maranhão encerra mais um ano com saldo positivo para a economia. Diversos empreendimentos importantes, que fazem parte da carteira de R$ 120 bilhões, entraram em fase de operação em 2012.
Entre os quais, a Usina Hidrelétrica de Estreito (UHE), do Consórcio Ceste, onde foram investidos R$ 5 bilhões; a refinaria de óleo de soja do grupo Algar, em Porto Franco, com R$ 140 milhões; o novo centro de distribuição da Golden Cargo, em Balsas com R$ 4 milhões; e a construção do Imperial Shopping do grupo Franere, em Imperatriz, com R$ 90 milhões.
Em São Luís, a fábrica de adubos do grupo Ceagro, com investimentos de R$ 18 milhões; a duplicação da fábrica de bebidas da Ambev, com R$ 144 milhões; a fábrica de fios e cabos da Brascopper, com R$ 80 milhões; a fábrica de cimento do grupo Votorantim, com R$ 86 milhões, também, iniciaram suas operações em 2012.
A Secretaria do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Sedinc), também, investiu fortemente para dotar o estado de infraestrutura de distritos industriais e atrair novos empreendimentos produtivos. A Sedinc realizou a implantação dos distritos industriais das cidades de Balsas e Aldeias Altas, que seguem em obras e devem ser entregues no primeiro trimestre de 2013. Revitalizou o distrito de Porto Franco com investimentos de R$ 850 mil.
Na área portuária, ocorreram grandes conquistas para o Maranhão em 2012. Uma delas foi o início de rotas regulares de movimentação de contêineres das empresas Login e CMA CGM, que interligaram o Itaqui aos principais portos do Brasil e do mundo; a entrega das obras de recuperação estrutural do berço 101 e 102 e a construção do berço 100.
As obras do terminal de Grão do Maranhão (Tegram), projeto estratégico para o agronegócio brasileiro, foram iniciadas e seguem em ritmo acelerado. A expectativa é de que o Tegram entre em operação até o final de 2013, em sua primeira etapa, tornando o Porto do Itaqui referência nacional na exportação de grãos, o projeto receberá em suas duas fases investimentos da ordem de R$ 500 milhões.
Ainda na área de energia, a Bioenergy e o Grupo Suzano confirmaram, durante o Seminário Maranhão: Oportunidade de Investimento, realizado em novembro, a implantação de seus projetos: o parque eólico em Tutóia e Paulino Neves da Bioenergy e fábrica de pellets de madeira da Suzano em Chapadinha. 
O secretário de Estado de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Mauricio Macedo, avalia como positivos os resultados alcançados na economia maranhense em 2012. "Obtivemos resultados importantes, principalmente se levarmos em conta que o Maranhão vem mantendo um ritmo de crescimento acima das médias nacional", observou.
Os investimentos da Sedinc em distritos industriais e os incentivos do ProMaranhão já mostram resultados concretos. Desde que foi criado, em 2010, o ProMaranhão já beneficiou 24 empreendimentos, com investimentos que somam cerca de R$ 7 bilhões e geram em torno de 54 mil empregos entre diretos e indiretos em diferentes regiões do estado.
Para 2013, grandes projetos darão a largada em suas operações como a fábrica de celulose da Suzano, em Imperatriz; a produção de gás natural e a termelétrica da MPX em Santo Antônio dos Lopes, assim como a termelétrica do mesmo grupo em São Luís. Também está prevista a operação do píer IV do Terminal Marítimo de Ponta da Madeira em São Luís.
Com números crescentes de investimentos, segundo Macedo, o Maranhão se firma cada vez mais, como destino apropriado para se investir. "O nosso grande desafio é aumentar a renda per capita e trabalhar para que o estado continue a receber grandes projetos estruturantes", assinalou Macedo.
São investimentos públicos e privados, nacionais ou vindos do exterior que já começaram a mudar o panorama da economia maranhense, com a geração de emprego, renda e negócios para as áreas de influência dos empreendimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário