domingo, 3 de fevereiro de 2013

Aftosa:Sagrima e Aged divulgam nesta segunda-feira resultado da vacinação

O Secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Cláudio Azevedo, e odiretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão, Fernando Mendonça Lima, anunciam, na manhã desta segunda-feira (4), os resultados da 2ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa, realizada de 1º de novembro a 30 de dezembro de 2012, com prazo até o dia 20 de janeiro para que os criadores comprovassem a imunização dos rebanhos em um dos escritórios da Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged) no estado.
Segundo o secretário Cláudio Azevedo esta foi uma das campanhas mais difíceis de serem realizadas, visto que coincidiu com a pior estiagem dos últimos 10 anos. “O Maranhão, assim como os demais estados nordestinos, sofreu rigorosamente com os efeitos da estiagem, que provocou perdas na produção agrícola e pecuária. No caso específico da pecuária bovina, a maior dificuldade foi dos pequenos criadores, que não tiveram como manter o peso dos rebanhos. Em alguns municípios mais afetados pela estiagem, além da perda de peso os criadores sofreram com a morte de muitas cabeças de gado”, lamenta o secretário.
O diretor geral da Aged acrescenta que os outros estados do Nordeste também tiveram sérios problemas para realizar a imunização dos rebanhos. “Alguns estados adiaram o período de campanha e outros suspenderam a imunização porque o gado não tinha condições físicas de ser imunizado. Assim, em alguns estados, ainda estão sendo realizadas as campanhas de vacinação contra a febre aftosa, possível graças a uma resolução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento que autorizou essa flexibilidade aos estados”, informa Fernando Lima. Ele acrescentou que “nossa estratégia foi manter o calendário oficial e monitorar de perto a evolução dos índices de cobertura, tendo como base as séries históricas das campanhas passadas. Quando verificamos que a imunização não estava evoluindo como esperado decidimos pela prorrogação do prazo de vacinação por mais 30 dias e de comprovação por mais 20 dias”, destaca.
Durante a coletiva de imprensa serão informados o índice geral de cobertura vacinal do estado, o número atualizado do rebanho de bovinos e bubalinos e o cronograma atualizado de ações relativas ao reconhecimento nacional e internacional do Maranhão – e dos demais estados nordestinos e o leste do Pará – como zona livre de febre aftosa com vacinação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário