segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Henrique Alves é eleito presidente da Câmara dos Deputados

Deputado há 42 anos e exercendo seu 11º mandato consecutivo, o peemedebista Henrique Eduardo Alves (RN), 64, é o novo presidente da Câmara dos Deputados. Ele ocupará o cargo pelos próximos dois anos.
Sua chegada ao posto consolida o PMDB no controle do Congresso, já que na semana passada Renan Calheiros (PMDB-RN) foi eleito para o comando do Senado.
Henrique Alves foi eleito com 271 votos, contra 165 de Júlio Delgado (PSB-MG), 47 de Rose de Freitas (PMDB-ES) e 11 de Chico Alencar (PSOL-RJ). Ao todo, 497 dos 513 deputados participaram da votação. Três deputados votaram em branco.

Eleições na Câmara

Brasília – Com 271 votos, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) foi escolhido como novo presidente da Câmara dos Deputados
A eleição do peemedebista faz parte de um acordo costurado com o PT para os dois maiores partidos da Casa se revezarem na presidência da Câmara, que nos últimos dois anos esteve nas mãos do petista Marco Maia (RS).
Parceiro do vice-presidente da República, Michel Temer, a candidatura de Henrique Eduardo Alves recebeu o aval do Planalto.
Foi eleito com o apoio oficial de 20 partidos dos 24 com representatividade na Câmara.
Henrique Alves tem como ponto a seu favor a facilidade com a qual transita entre os partidos, tanto da base quanto da oposição, mas enfrenta resistência do chamado baixo-clero, parlamentares com menor expressão na Câmara.
Assim como Renan Calheiros, o deputado também resistiu às acusações de que suspeita de ilegalidades.
ACUSAÇÕES
Conforme a Folha revelou, a empresa de um então assessor do deputado recebeu recursos por meio das emendas parlamentares indicadas pelo próprio Henrique Alves. A sede da empresa era simples, vigiada por um bode.
Na semana passada, Henrique Alves também passou a ser investigado pelo Ministério Público Federal por repassar R$ 357 mil para duas empresas de aluguel de veículos.
Antes da votação na Câmara, nesta segunda-feira, um material apócrifo foi distribuído nos gabinetes com acusações contra Henrique Alves.
O documento é baseado em uma sentença judicial e cópia de reportagens que o colocam sob suspeita. Na capa do material, está escrito: "candidato condenado no Rio Grande do Norte, com direitos políticos cassados e responde a vários processos".
Henrique Alves nega irregularidades nos casos. "Agora de repente, no período eleitoral, aparece isso, aparece aquilo. São labaredas que não chamuscam o alicerce de uma vida inteira que construí com trabalho, com coerência e com lealdade", disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário