sábado, 13 de abril de 2013

Onze meninos e um destino

                                                  
A Promotora de Justiça, Carla Tatiana, da 2ª vara de Justiça de Estreito, em reunião na manhã  do último dia 11, realizada na  Fundação Khalledy Henrique, conclamou a todos os seguimentos da sociedade a montar uma rede de ação para resgate  de 11 meninos em condição de permanência nas ruas. Os meninos pertencem a 11 famílias diferentes, mas que tem em comum a desestruturação doméstica. O problema é grave, são 11 garotos perambulando pelas ruas e sendo ameaçados.
“Não vamos aqui tentar encontrar culpados, vamos é descobrir com que cada órgão pode contribuir , entendendo que a proteção da criança e juventude é tarefa de todos”, diz a promotora, lembrando que ela não pode cobrar da comunidade uma ação imediata,  mas pode cobrar das instituições, órgãos públicos e posteriormente cobrar da sociedade. Drª Carla sugeriu , ainda, que seja efetuada uma capacitação para o pessoal do Conselho Tutelar . Orientou que seja praticada a coleta de dados, que todos se organizem.
Ficou definida  a formação de uma teia de ações, onde cada órgãos se comprometeu com uma ação que vai retirar  as crianças das ruas, leva-los em casa, entregar aos pais e orientar  esses pais  para que cuidem deles, faça-os frequentar a escola, sob pena de perder  Bolsa Família, além de orientar as famílias  para que  haja mudança nas condições de higiene  nas residências, criando dentro de casa um atrativo que “segure” esses meninos junto as famílias.
Cada pessoa presente na reunião se comprometeu, ainda, a participar da “Busca Ativa”, que é a captura desses meninos nas ruas durante a noite. Serão montadas equipes de vigilância ativa até que o problema seja resolvido. Foi decidida, também, a criação de uma campanha de conscientização da sociedade com o objetivo de tirá-los da “zona de conforto” e inseri-los na zona de conforto segura, proporcionando a eles, lazer, esporte, noções de cidadania e alimentação adequada.  A campanha pede que não sejam feitas doações de dinheiro para as crianças, pois isso fomenta o habito deles pedirem esmolas e acabarem sendo explorados por adultos. Vale informar que alguns desses meninos já estão sendo assistidos pela Fundação Khalledy Henrique, que funciona no período diurno.
Para essa ação, que tem início na próxima segunda feira, 15,  Drª Carla recebeu apoio integral da Prefeitura de Estreito, por meio da Secretaria de Assistência Social, Saúde, Educação, Meio Ambiente, Administração, Cultura e Ascom, de programas como CMDCA, CREAS, CRAS, CAPS, NASF, do Conselho Tutelar,  do Corpo de Bombeiros e teve ratificada a participação da  Fundação Khalledy Henrique /Projeto Reviver. 
Serão montadas oficinas de artes nas ruas, confecção de informativo, com a participação dos menores e familiares e divulgação em todos os meios de comunicação disponíveis na região. (ASCOM/Lenir Silva).

Nenhum comentário:

Postar um comentário