sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Comando Nacional e Sindicato orientam pela aprovação das propostas dos bancos



Ontem (10), após 23 dias de forte greve nacional, a maior dos últimos 20 anos, os bancários conseguiram arrancar da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) avanços na proposta dos bancos. O poder da mobilização surtiu efeito: o índice do reajuste salarial, que na primeira proposta oferecida em setembro pelos patrões era de 6,1% (sem aumento real), subiu para 8%, garantindo 1,9% de aumento real.
Outro avanço foi garantido na negociação dos dias parados. No acordo do ano passado, quando a greve foi de 9 dias, os bancários compensaram duas horas por dia, com limite no dia 15 de dezembro para a conclusão das compensações. Este ano, os bancários conseguiram a compensação de uma hora por dia, com limite no dia 15 do próximo mês de dezembro. Além disso, os bancos vão devolver o dia de paralisação contra o PL4330, organizado pelas centrais sindicais no dia 30 de setembro. Foi uma vitória difícil. A negociação, que começou às 10h de quinta-feira (10), seguiu até a madrugada desta sexta-feira (11).
Os banqueiros queriam compensar duas horas diárias, durante 180 dias. Este foi o ponto que travou a negociação desde a hora do almoço até chegarem a um acordo, na madrugada. Os bancários não aceitaram nem os 180 dias, nem as duas horas até o dia 15 de dezembro. O Banco do Brasil queria o mesmo acordo do ano passado e travou a negociação. Enfim, às 3 da manhã, o acordo foi fechado: uma hora por dia de compensação até o dia 15 de dezembro de 2013.
"A proposta dos bancos só avançou porque a categoria realizou uma heroica greve nacional e mostrou que a unidade é imprescindível do início ao fim da campanha salarial", disse o presidente do Sindicato do Rio, Almir Aguiar, que participou da mesa de negociação de ontem, em São Paulo, que entrou pela madrugada desta sexta-feira (11).
"Após a maior greve dos últimos 20 anos, passeatas e seguidas vitórias do Sindicato contra os interditos proibitórios dos bancos, conquistamos avanços na proposta apresentada ontem pelos patrões. Tivemos uma negociação desgastante, mas acredito que chegamos ao que foi possível. Não há dúvidas de que a greve garantiu avanços, e o importante agora é mantermos a unidade nacional e seguirmos a orientação do Comando Nacional, que defende o fim da greve e a aprovação das propostas", completa Almir.

Principais itens da proposta específica do Banco do Brasil
Participação nos Lucros e Resultados (PLR)
Posto efetivo R$5.837,15
Caixas R$6.236,38
1º Comissionados (Assistentes) 2,07 salários paradigmas
Outros comissionados De 2,15 a 4,41 salários paradigmas
 
Demais itens
- Compromisso do banco em preencher o número de vagas de caixa executivo existente na data da assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho, priorizando os funcionários que já estejam substituindo outros há mais de 90 dias.
Contratação de 3 mil novos funcionários concursados até 31/08/2014.
Encarreiramento Horizontal: O banco se compromete a efetuar ajustes nos percentuais do Adicional de Função de Confiança (AFC) e do Adicional de Função Gratificada (AFG) em relação aos Valores de Referência (VR) das respectivas funções, a partir de 1/9/2016. Em 1/9/2016, o percentual do Adicional de Função de Confiança (FC) passará a ser 43,75%. A partir do mês de setembro de 2016 e a cada três anos, o percentual do AFG em relação ao VR, passará a ser: em 1/9/2016 (18,75%), em 1/9/2019 (25%), em 1/9/2022 (31,25%) e em 1/9/2025 (37,5%).
Seleção para gestores, na sede da agência, pelo programa de ascensão profissional, com pré-requisito de não ter demanda de Ouvidoria procedente nos últimos 12 meses, consideradas também as denúncias encaminhadas via "protocolo de prevenção de conflitos."
Compromisso do banco em normatizar internamente a proibição de envio, pelos gestores, de mensagens de textos (SMS) que tratem de cobrança de metas em finais de semana, além da limitação do horário de envio durante a semana.
Vale-cultura no valor de R$50 por mês para funcionários que ganham até 5 salários mínimos, a partir de janeiro de 2014.
Abono das horas de ausências durante a jornada de trabalho para funcionários com deficiência, para aquisição, manutenção, reparo ou ajuda técnica (cadeiras de rodas, muletas, etc.), limitado a uma jornada de trabalho por ano.
Elevação da licença adoção para homens solteiros (família monoparental) ou com união homoafetiva, de 30 para 180 dias.
Auxílio-educação para dependentes ao funcionário falecido ou que tenha ficado inválido em decorrência de assalto contra o banco, no limite de R$868 por mês e idade do dependente de até 24 anos incompletos.
Movimentação transitória para ausências de gerência média nos casos de licença de saúde, a partir do primeiro dia até 90 dias, nas agências com até 7 funcionários.
Elevação da pontuação por méritos para os caixas de 0,5 ponto para 1 ponto por dia de exercício, retroativa a 2006, com pagamento a partir de 1/9/2013.
Mediação de conflitos: compromisso do banco de agregar a metodologia de ouvidoria existente à metodologia de mediação de conflitos, treinando todos os gerentes de GEPES (Gestão de Pessoas). Analistas que atuam na Ouvidoria e administradores.
Compromisso de considerar somente os 20 primeiros do sistema TAO (Talentos e Oportunidades) para os processos seletivos e nomeações nas unidades do banco.
Mesa temática para debater Casai e Previ.

Principais itens da proposta da Caixa
• Reajuste – Segue a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) negociada com a Fenaban: índice de 8%.
• Dias parados – Também segue a CCT: compensação de até 1 hora por dia até 15 de dezembro.
• Horas extras – Pagamento de 100% das horas extras nas agências com até 15 empregados. Nas demais, mantém a regra atual de 50% pagos em dinheiro e 50% compensados por folgas. O que não for compensado será pago no mês seguinte.
• Promoção por mérito – Redução de 70 para 10 horas do curso da Universidade Caixa exigido para a promoção.
• Vale cultura – Vale cultura a quem recebe até cinco salários mínimos, beneficiando cerca de 27 mil empregados.
• PLR – Regra da Fenaban, mas sem o teto fixado na Convenção Coletiva, mais 4% do lucro líquido a título de PLR Social. Antecipação da primeira parcela (60% do total) pago até 10 dias após a assinatura do acordo específico. Um TB com um ano de empresa receberá R$ 8.048.
• Saúde Caixa – Extensão aos filhos com até 27 anos o direito a ser dependente do plano, desde que tenha renda até R$ 1.800.
• Ingresso – Salário de ingresso permanece na referência 203, passando para 204 após o período de estágio probatório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário