quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Imperatriz tem demanda elevada de energia

O que há de errado na implantação do sistema de energia da Cemar e que está se transformando em palanque eleitoral?
Não tenho procuração para defender a empresa, no entanto, a cidade de Imperatriz tem nos últimos dois anos aumentado o consumo de energia.
Nos dois últimos anos a demanda cresceu 30 por cento em razão do desenvolvimento e do seu crescimento.
O que fez a Cemar, implantou duas novas substações para atender este crescimento e está agora implantando a terceira se antecipando ao que vem por aí.
A linha de transmissão entre Eletronorte e a Cemar necessariamente precisa passar pela cidade até chegar a subestação que fica na antiga chácara do João Jacob.
Os postes são os mesmos utilizados em várias cidades do País.
E rede de alta tensão não pode ser baixa ou subterranea.
O que a empresa está fazendo é correta, está procurando não ser pega de surpresa com o aumento da demanda de energia que geralmente ocorre a partir do meio do ano.
Basta lembrar que a nova loja do Paraiba ficou um ano com geradores em função de que a rede não tinha condições de atender a grande demanda.
Foi feita a ampliação da rede com a estação Santa Rita.
Pelo projeto, a Cemar pretende implantar quatro subestações coligadas e quando houver um problema em uma, imediatamente a outra irá socorrer.
E agora?
Retira o investimento e deixa a cidade despreparada para o seu consumo de energia?

Nenhum comentário:

Postar um comentário