terça-feira, 8 de abril de 2014

Weverton impõe nome de vice e PDT racha de novo

Não é de causar surpresa. Mais uma vez membros do PDT entram em conflito, por conta das posições autoritárias do deputado federal Weverton Rocha. Na noite desta segunda-feira (7), o partido se reuniu para anunciar o nome do escolhido pelo partido a ser apresentado a Flávio Dino (PCdoB). E como já era esperado o nome do empresário Márcio Honaiser foi confirmado como o pré-candidato a vice-governador na chapa oposicionista.

Porém a indicação, não ocorreu com a concordância de vários membros do PDT. Antes de terminar a reunião, Deoclides Macedo (ex-prefeito de Porto Franco), a deputada estadual Valéria Macedo, o prefeito de Barreirinha, Léo Costa e o pré-candidato a deputado estadual Fábio Macedo, abandonaram o processo por não concordarem com o abuso cometido por Weverton Rocha.

A parlamentar Valéria Macedo era que demonstrava maior nível de irritação, disse que o secretário-geral do PDT, aparelhou toda a estrutura para garantir a vitória de Márcio Honaiser. "É muito fácil escolher um nome de sua preferência, quando não se explica como o processo irá conduzir. O Weverton não nos falou que essa reunião seria aberta para os filiados do partido, mas sim que seria entre o diretório, dessa forma ele enche o auditório cheio de pessoas atreladas a ele, se soubéssemos disso, traríamos nossa militância do sul", comentou.

Deóclides Macedo que já concorreu ao cargo de vice-governador ao lado de Jackson Lago, ainda em 2002, disse que era um absurdo que o Weverton Rocha estava tentando fazer com o partido. "Ele quer empurrar um candidato goela a baixo, não abre nem espaço para a discussão", reclamou.

Outro que deixou a reunião antes de terminar foi o prefeito Léo Costa, ele declarou: "não é assim que se faz política, como podemos escolher um candidato a vice-governador com mais de 60 dias de antecedência? Não fizemos nenhuma discussão. Não concordo com essa postura autoritária".

Apesar da desistência de Deóclides Macedo, ficaram para serem escolhidos os nomes de: Márcio Honaiser, Rosangela Curado e Sandra Torres (ex-vice prefeita de São Luís). Porém como já estava tudo combinado, 75% dos presentes escolheram o nome do empresário do agronegócio da região sul do estado.

O presidente do partido, Julião Amim, disse acreditar que a insatisfação dos partidários vai passar e logo todos vão estar unidos novamente dentro do PDT. "O Márcio foi escolhido democraticamente, será o nosso candidato que apresentaremos ao Flávio Dino, creio que essa crise será superada", contou.

Outro que não participou da reunião foi o pré-candidato ao governo, Hilton Gonçalo, ele também diz não concordar com esse processo de escolha, sem que haja um debate, mas sim apenas um processo aparelhado e que tem um único objetivo, impor um nome que está próximo de Weverton Rocha.

Ainda participaram do encontro, Edson Vidigal, Chico Leitoa, Pavão Filho, Ivaldo Rodrigues, Renato Dionísio, entre outros.

Mais uma vez o PDT mergulha de cabeça em uma grande crise. E Flávio Dino aceitará o nome de Márcio Honaiser, diante de tantos protestos internos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário