segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Movimento pela Água


O movimento organizado “Movimento Pela Água” surgiu a partir da indignação com a iniciativa do poder público municipal que elaborou o projeto de lei (PL 11/2014) que tem como finalidade romper o contrato de concessão de serviços de abastecimento de água e coleta de esgoto entre o município e a CAEMA. Esse movimento surgiu para contestar o referido projeto de lei, uma vez que o mesmo prever, após a extinção do contrato com a CAEMA, e delegação dos serviços para empresas da iniciativa privada.
O Movimento Pela Água acredita que a melhor solução para o atual cenário do abastecimento local, seja a REESTRUTURAÇÃO DA CAEMA, tendo em vista que a mesma é uma empresa pública que tem como visão o bem social e não o lucro, diferentemente da iniciativa privada.
O encerramento de contrato com a CAEMA causaria diversos impactos negativos aos usuários dos serviços, como um provável aumento das tarifas, e principalmente aos funcionários da empresa que não têm nenhuma garantia de manutenção de seus empregos.
Uma decisão tão importante quanto essa não deve ser tomada isoladamente pelo poder público, sem a participação da sociedade. Exigimos a transparência e ampla participação popular.
O Movimento pela Água elaborou um abaixo assinado que será enviado aos governos municipal, estadual e federal, manifestando os seguintes propósitos:
Nós do movimento pela água não concordamos com esse projeto e não queremos que privatizem, terceirizando os serviços públicos de água, acreditamos que a saída jamais será tira a responsabilidade do poder público e jogar nas mãos da iniciativa privada, repudiamos a proposta do executivo municipal e exigimos dos poderes municipal, estadual e federal eleitos democraticamente pelo povo, que cumpram suas obrigações constitucionais, se articulem e tomem de imediato as seguintes providências:
a) Que a CAEMA, enquanto empresa publica, seja reestruturada para prestar serviços de qualidade com tarifas compatíveis com a população de Imperatriz;
b) Garantam os recursos necessários para que 100% das casas da cidade sejam abastecidas com água tratada e coleta de esgoto;
c) Que nenhuma gota de esgoto sem tratamento seja lançada no Rio Tocantins.
O Movimento reúne entidades como Universidades, a Unidade Classista, a Frente Popular de Imperatriz, o Centro de Cultura Negra – Negro Cosme, o movimento RUA – Juventude Anticapitalista, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Sindicato dos professores, bancários e da saúde, entre outros. O movimento também tem uma pagina no facebook (Movimento Pela Água) onde todos podem acompanhar passo a passo o que está acontecendo em relação à água de Imperatriz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário