segunda-feira, 10 de novembro de 2014

PT se reúne para definir indicações em secretarias no governo de Marcelo Miranda


 O Partido dos Trabalhadores se reuniu na sexta-feira, 7, em Palmas, para discutir que espaço o partido vai solicitar no governo eleito de Marcelo Miranda (PMDB).

Membros da executiva estadual e os três deputados estaduais da sigla, José Roberto Forzani, Paulo Mourão e Amália Santana creditam a vitória de Marcelo Miranda e a reeleição da senadora Kátia Abreu (PMDB) à organização da militância petista e o tempo de TV que o partido somou para a coligação "A experiência faz a mudança". Ancorado nesses argumentos, o PT vai requerer de Marcelo o comando de pelo menos quatro secretarias estaduais.

Dentre as pastas que o partido pretende pedir estão a Habitação, Cidades, Defesa Social além dos órgão ligados a Agricultura Familiar, como o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins, o Ruraltins. “Não queremos atropelar o processo mas entendemos que já é o momento de começar a discutir”, completou Brasil.

Alem do PT, a administração estadual terá que acomodar ainda as indicações do PSD, do deputado federal Irajá Abreu, do PV, do deputado estadual Marcelo Lélis e da vice-governadora Cláudia Lélis, além do próprio PMDB.

O tamanho da máquina pública estadual foi uma das principais críticas do governador eleito Marcelo Miranda (PMDB) ao seu concorrente, o governador Sandoval Cardoso (SD). Miranda prometeu uma administração enxuta, com extinção e fusão de secretarias. Outro recado enfatizado pelo líder peemedebista é o de que quem irá decidir quem vai para onde é o próprio Marcelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário