segunda-feira, 16 de março de 2015

Pós-eleição: 7 tarefas imediatas para o legislador eleito se ocupar



Francisco Ferraz

Na política não se deixa espaço vazio nem tempo ocioso. O candidato que se elegeu para um cargo legislativo também não pode perder tempo. No período de tempo entre a eleição e a sua posse há muitas providências a serem tomadas para que possa dar início ao seu mandato nas melhores condições. Assim como o candidato eleito para um cargo executivo, você deverá, no mais breve espaço de tempo, converter sua equipe de campanha numa equipe de assessoramento legislativo.
Ao fazer isto, seu objetivo é escolher as pessoas certas para as funções certas. Como as funções de assessoria legislativa são muito diferentes das funções eleitorais, esta “conversão da equipe” não é tarefa banal, não se resume a nomear as mesmas pessoas para funções diferentes.
Alguns deverão ser aproveitados, outros não, e você por certo vai precisar contratar alguns que não integraram a equipe de campanha. Seu gabinete terá que ter a sua “cara”, e estar a altura dos novos desafios e demandas que um cargo legislativo impõe. Tenha muita atenção. Mandato definido, gabinete estruturado, salários pagos em dia, em muitos casos são fatores que estimulam um espírito burocrático, numa função que deve permanecer muito dinâmica, inquieta, orientada para o futuro, e produtiva.
As pessoas que você escolher deverão possuir este perfil. Por esta razão faça uma seleção criteriosa e objetiva, com vistas a escolher as pessoas certas. Não ceda a tentação de levar para seu gabinete aquele sobrinho que precisa de emprego, ou aquele cabo eleitoral tão esforçado, e outros mais, por razões desta ordem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário