Conheça a Câmara Municipal de Imperatriz

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Software auxilia alunos do SESI em Imperatriz no aprendizado de Português e Matemática



Projeto SESI G@MEDUCA será implantado essa semana para atender cerca de 500 alunos do Ensino Fundamental. São Luís e Bacabal também receberam a ferramenta.

IMPERATRIZ – Com a utilização de notebooks e atividades virtuais, estudantes do 2º ao 9º ano do Ensino Fundamental da Escola SESI Marly Sarney, em Imperatriz, terão um upgrade nas aulas de Matemática e Português. A partir deste mês, passam a operar um conjunto de softwares e atividades que integram as tecnologias da informação e comunicação aos processos de ensino e aprendizagem. Trata-se do Projeto SESI G@MEDUCA, em implantação nas escolas do Serviço Social da Indústria (SESI-MA), entidade do Sistema FIEMA, que funcionará também nas escolas da entidade em São Luís e Bacabal.

“Considerando a responsabilidade de ser uma escola para o trabalho, voltada para competências de futuros gestores, empreendedores e trabalhadores da indústria, o SESI-MA tem buscado a crescente qualificação de seus processos de ensino-aprendizagem e, por essa razão, está implantando em suas escolas esse software, que é um game educativo potencializando aprendizagens de raciocínio lógico, cálculo matemático e língua portuguesa”, afirmou Roseli Ramos, superintendente regional da entidade. A proposta do G@MEDUCA contribui para que os alunos desenvolvam consciência crítica e participativa, além das competências de leitura, escrita e cálculo.

Na Escola SESI Marly Sarney, em Imperatriz, a inauguração da sala acontecerá na manhã da quarta-feira, 26, com a presença de pais, alunos e gestores públicos da área de Educação. O ambiente - onde os alunos terão aulas duas vezes por semana - contém 20 notebooks para uso dos alunos, dois microcomputadores (desktop) para os professores e 1 lousa digital, além do mobiliário (armários, mesas e cadeiras).

Todo o conteúdo foi construído a partir das habilidades existentes identificadas em diagnósticos por escola e por turma, gradualizados em percurso que possibilite ganhos às aprendizagens do ensino regular das disciplinas, fortalecendo as competências dos alunos. Segundo a superintendente do SESI, os resultados das avaliações subsidiaram a construção das sequências didáticas a partir das quais os professores construirão as aulas no G@MEDUCA, a partir da capacitação e acompanhamento técnico.

“O primeiro passo para implantação do software nas escolas do SESI consistiu em formação dos professores e da equipe técnica para operar o sistema. Logo depois, eles avaliaram o software pelos docentes, que atestaram sua importância como ferramenta pedagógica”. Ela explicou que a metodologia utiliza a prática e aplica uma proposta dinâmica e interativa para ensinar leitura, produção de texto, cálculos matemáticos e resolução de situações complexas em ambiente digital, que tem caráter subsidiário e complementar à atividade docente.

Só em Imperatriz, 500 alunos serão beneficiados, mas o projeto será implantado também nas escolas do SESI em São Luís e Bacabal e ainda será estendido para cinco escolas públicas da rede municipal, que serão ‘apadrinhadas’ pelo projeto do SESI, recebendo gratuitamente, a formação de professores e o software. “Como hoje a informática é uma realidade que permeia todas as esferas, inclusive no aprendizado, nós não poderíamos deixar de usufruir dos benefícios desta tecnologia, uma vez que acreditamos que as crianças envolvidas no projeto terão uma melhor fixação da aprendizagem e uma desenvoltura em menos tempo, e tudo isso de uma forma mais leve e prazerosa. Portanto, não só as crianças do SESI, mas também de duas escolas municipais da nossa cidade, serão os grandes beneficiados desse grande projeto”, afirma a gerente do SESI Imperatriz, Amparo Alencar.   

Nenhum comentário:

Postar um comentário