sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Indicadores Sociais do IBGE atestam “Mais Fracasso” do governo Flávio Dino



O rato roeu a roupa do rei. O soberano comunista está nu. Os leões estão miando. Os gogós estão desafinados. São sinais cristalinos de que governo da “mudança” fracassou. As evidências estão nas ruas, a confirmação está nas estatísticas oficiais. O Fórum Brasileiro da Segurança Pública registrou aumento da violência no Maranhão; a CNT (Confederação Nacional de Transportes) reprovou 91% das estradas estaduais (foram classificadas como péssimas e ruins) e o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) atesta que 70% dos jovens maranhenses estão desempregados e revelou que mais de três 3 milhões de maranhenses (52,4%) vivem em situação de extrema pobreza (renda de apenas R$ 10,00 por dia, o que equivale a menos de R$ 300,00/mês.

Repercussão negativa
Esses dados foram repercutidos na tribuna da Câmara, esta semana. “Qual é a causa disso? Questionou o deputado Hildo Rocha. De acordo com o parlamentar o fator determinante foi a desastrosa política econômica implantada pelo governador Flávio Dino. “O governador instituiu violento regime de cobrança de impostos, aumentou alíquotas, e colocou blitz nas ruas para intimidar os empresários. Os investidores, os geradores de emprego, foram forçados a se mudar para estados vizinhos”, argumentou o parlamentar.

Síntese de Indicadores Sociais (SIS)
Para confirmar a tese, Hildo Rocha citou estudo do IBGE, que reúne informações sobre as condições de vida da população brasileira, denominado de Síntese de Indicadores Sociais (SIS). “Atualmente, o Maranhão é o Estado com maior número de pessoas vivendo em situação de pobreza extrema; 52; o Pará está em segundo, com 44% e o Piauí em terceiro, com 32%”, destacou.

Jovens desempregados
Outro dado alarmante, citado por Hildo Rocha, é a taxa de desemprego de jovens. “Atualmente, 70% dos jovens maranhenses estão desempregados. Quando Roseana Sarney saiu do governo o índice era de 51%. Não era bom, mas estava melhor do que a média nacional, que era de 57%.

Programa destruído
O deputado lembrou que o bom desempenho do governo Roseana, no que se refere à inclusão de jovens no mercado de trabalho deve-se a iniciativas inovadoras como o Programa Meu Primeiro Emprego, que dava oportunidades aos jovens. “Flávio Dino matou o programa. O resultado está aí. Hoje o Maranhão é o Estado detentor do maior índice de desemprego entre os jovens”, criticou Rocha.

Mais fracassos
Segundo o deputado, o Programa Mais IDH, lançado com estardalhaço também é um fracasso retumbante. “Flávio Dino fracassou em todas as áreas. Na saúde, na infraestrutura, na segurança e no apoio social. Fracassou pela incompetência, por insensibilidade. Dino decepcionou os eleitores, frustrou a população, envergonhou o Maranhão”, lamentou Hildo Rocha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário