O pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa do Maranhão, Hildélis Duarte Júnior (PCdoB), pode se ver obrigado a dar explicações ao Ministério Público em pleno período eleitoral.
Protagonista de lamentável episódio na inauguração de trecho da duplicação da BR-135, quando se comportou com um delinquente durante discurso do deputado federal Hildo Rocha (MDB), o presidente do Instituto de Promoção e Defesa do Cidadão e Consumidor (Procon) do Maranhão foi denunciado pelo emedebista por improbidade administrativa.
A representação foi protocolada na Promotoria de Justiça da Comarca de Rosário, termo judiciário de onde ocorreu o fato. Se houver prosseguimento à acusação, o presidente do Procon disputará as eleições como um investigado.
Segundo a denúncia, Duarte levou mais de 20 servidores do Procon para o ato de entrega da duplicação da rodovia federal, no Campo de Perizes, em pleno horário de trabalho dos fiscais do órgão.
O ato supostamente improbo, aponta Hildo Rocha, pode ser encarado como um prenúncio do uso da máquina estadual para fins eleitorais em 2018.
“As eleições se avizinham e os fatos noticiados denunciam, desde já, que a máquina do Estado será, conforme ocorreu no caso presente, despudoradamente usada para finas eleitorais”, destaca o deputado.
O ATUAL7 solicitou por e-mail à assessoria de comunicação do Procon um posicionamento de Duarte Júnior sobre o assunto e aguarda retorno.
Dentre as punições para quem comete improbidade administrativa está: a perda da função pública, cinco a oito anos de suspensão de direitos políticos, multa até o dobro do dano patrimonial e proibição de contratar com o poder público por cinco anos.