sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Não tenho vocação para professora de Deus", diz Roseana Sarney ao ser instigada a avaliar o governo de Flávio Dino

Por Aquiles Emir

Na entrevista concedida ao jornalista Jorge Aragão, na manhã desta quinta-feira (11), no programa Ponto Final da Mirante AM - leia reportagem em Maranhão Hoje - ao ser questionada sobre como avalia o governo do seu sucessor, Flávio Dino (PCdoB) e como recebeu os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o agravamento da pobreza no Maranhão nos últimos três anos, a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) disse que não gosta de ficar analisando o trabalho de outras pessoas, até porque "não tenho vocação para professora de Deus", portanto prefere que esta avaliação seja feita pela população, que é a que mais sente os efeitos do que mudou no estado.

Roseana era convidada para a solenidade de inauguração do trecho duplicado da BR 135, mas preferiu fazer a análise da importância da obra à distância, dos estúdios da emissora de sua família. Ela elogiou tanto a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) quanto o presidente Michel Temer (PMDB) por terem começado e continuado a obra, sendo que este está estendendo até Miranda do Norte. "Agora vamos lutar para que essas duplicações se estendam até Timon (na divisa com o Piauí), pois é lá que começa a entrada de São Luís".

A ex-governadora, que confirmou sua condição de pré-candidata ao governo do estado, observou que é um equívoco dizer que o trecho inaugurado nesta quinta-feira é o primeiro, pois a primeira parte, ainda dentro da Ilha, do Retorno do Aeroporto ao Estreito dos Mosquitos, foi feita pela Governo do Estado, referindo à parte executada por Epitácio Cafeteira, até a entrada do Distrito Industrial, e a outra, no seu governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário