sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Ação Judicial

 
Como jornalista que sou embora sempre me me identifico como repórter, enfrentei nestes 30 anos um único processo de uma pessoas que se sentiu ofendido por uma matéria feita por mim. Neste processo fomos até o STJ e a pessoa perdeu em todas as instancias, ou seja, eu estava certo com o que noticiei na coluna sobre o fato feito pela pessoa.No entanto, passei noites preocupado com a ação, haja vista que você nunca sabe o resultado de uma ação judicial ao seu final.
E assim tem que ser feito, contudo, vem um detalhe muito importante neste aspecto.
O de que jornalistas e hoje os blogueiros precisam acima de tudo trabalharem com ética e com a verdade,l pois fazendo assim, não terão problema. O que agrava e que muitos hoje, confundem noticiar ou criticar o que é publico e notório com o pessoal de quem comete e nestes casos, a Justiça está aí para corrigir.E até penalizar quem age desta forma.
E não é privilegio algum de jornalista/blogueiro responder ação judicial, pois tem alguns que acham ao máximo enfrentar este tipo de problema, como se fosse a melhor coisa do mundo e não é, para nenhum dos três lados. do repórter, do autor e do leitor ou telespectador.
Não é porque uma pessoa exerce uma função publica que ele deve ser sofrer abusos por parte de repórteres/blogueiro. Ele deve ser criticado pelo que foi feito, ou seja, ironias, deboches,achincalhamento pois isso constrange não só ele mais a sua família.
Por isso fica um alerta, tanto repórteres como blogueiros, são responsáveis pelo que escrevem e não estão isentos de sofrerem ação judicial reparadora. Também não deve condenar quem recorre a este reparo via judicial.
Se fez aguenta as consequências do seu ato

Nenhum comentário:

Postar um comentário