terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Presidente Ceará com apoio de oito vereadores gastou 7,5 milhões do legislativo Açailândense em 2017


O presidente da câmara municipal de Açailândia vereador Ceará recebeu em 2017 do tesouro municipal/ recursos públicos valores da ordem de R$7.829.007,96, recurso para ser investido no Legislativo municipal, recurso que foi gasto sem qualquer transparência – segundo o Tribunal de Contas do Estado – TCE/ fato que agora é alvo de investigação do Ministério Público.
Segundo o que está no Portal – atualizado fora dos devidos prazos de apresentação dos valores- o vereador Ceará torrou R$ 7.491.509,29 entre salários, em uma minirreforma da câmara – não entregue oficialmente e realizada sem qualquer placa de informações de gastos – conforme prevê a lei, e só com o famoso mercadinho do Disquete e VHS foi R$ 337.489,70 do dinheiro do povo de Açailândia.
O mais estranho é que a conta do dinheiro que entrou e do que foi torrado não bate, ou seja, falta explicar onde estão exatos R$ 337.498,70, (Trezentos e trinta e sete mil e quatrocentos e noventa e oito reais) que não estão nos gastos. Segundo a legislação, este valor de sobra deveria ter sido devolvido ao tesouro público em 31 de dezembro de 2017, o que ainda não aconteceu até 25 de fevereiro de 2018.
O Blog Maicon Sousa apurou que, havendo sobra de recurso financeiro, depois de atendidas todas as despesas, a Câmara deverá efetuar a devolução ao Poder Executivo, dentro do exercício financeiro em que ocorrer.
Existem fortes suspeitas que parte do recurso do legislativo esteja sendo utilizado para manter uma base de oito vereadores que apoiam o presidente Ceará, que se tornou meme nas redes sociais como “Vereador Disquete”, e que devem votar na sua recondução para o comando da casa – na eleição antecipada para o dia 01 de março, quando deveria ocorrer somente em dezembro de 2018.
Ceará mantém o apoio cego e irrestrito de parte do legislativo – que forma sua base aliada, para garantir e se manter no comando do cofre da câmara municipal de vereadores de Açailândia. Conseguindo aprovar a antecipação da eleição sem que a mesma se quer trafegasse pela comissão responsável, onde teria prazo para ser analisada.
O Ministério Público Estadual já vem investigando o Presidente Ceará, bem como os oito parlamentares de sua base de apoio em dois inquéritos, um criminal e outro por improbidade administrativa, segundo informações já nas próximas semanas o MP deve ajuizar ações, que podem culminar com a perda de função na mesa diretora, e até mesmo de mandato dos vereadores envolvidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário