terça-feira, 29 de maio de 2018

Crianças são presenteadas com um dia de lazer em ação social


As atividades, que envolveram os pequenos da Casa da Criança, ocorreram em um shopping da cidade

Na manhã do último sábado (26) acadêmicos do 1º período noturno de direito da Unisulma, trocaram a sala de aula pela Casa da Criança do município e realizaram ação de solidariedade. O objetivo foi proporcionar às crianças momentos inesquecíveis de lazer, ao participarem de uma sessão de cinema e ida ao espaço de recreação no Imperial Shopping.

“Agradecemos aos alunos por proporcionarem esse momento solidário de alegria a essas crianças. Precisamos de doações, mas uma das coisas que mais falta a elas são carinho e atenção. Nos sentimos felizes e orgulhosos por trazer esse momento que para elas é único”, destacou a coordenadora da Casa da Criança, Rosane Chaves.
A Casa da Criança recebe, cuida e ampara crianças de 0 a 10 anos que foram retirados do convívio familiar por decisão judicial. O espaço atualmente abriga em torno de 40 crianças que se encontram sob a tutela da justiça.

A realização teve total apoio do Juiz de direito Delvan Tavares da Vara da Infância e da Juventude, da coordenadora da Casa da Criança Rosane Chaves e foi auxiliada por servidoras da Casa, além do secretário de Desenvolvimento Social de Imperatriz, Zigomar Filho, que disponibilizou o transporte a todos.
Para os diretores do Imperial Shopping e do Cinesystem, Fátima Lima e Vanessa Basílio, ações como essa fazem a diferença e terão sempre o apoio das empresas. “Estamos felizes por participar de algo que marca muito a vida de todos eles", explicou Fátima.

Os universitários contam que quando surgiu a oportunidade de fazer uma atividade que envolvesse as crianças, logo idealizaram uma forma que pudesse abranger a todas e pensaram em algo que fosse capaz de marcar a lembrança dos envolvidos. “Essa é uma ação simples, mas que faz a diferença na vida delas. Estamos muito satisfeitos com o resultado, pois vimos a felicidade e o sorriso de cada uma, como isso foi importante para elas. Isso não tem preço”, disse o acadêmico Sidney Rodrigues.

Nenhum comentário:

Postar um comentário