quarta-feira, 6 de junho de 2018

Desmatamento

1.572 hectares da Floresta Amazônica foram desmatados no Maranhão entre 2016 e 2017, segundo MPF
O Ministério Público Federal (MPF) divulgou nesta quarta (6) que foram identificados 43 possíveis réus associados a desmatamentos ilegais na área da Amazônia Legal no Maranhão no período entre agosto de 2016 e julho de 2017.
O levantamento mapeou que, durante este período, 1.572,52 hectares de floresta foram desmatados a corte raso na região correspondente a Amazônia Legal no estado. O número equivale a aproximadamente 1.456 campos de futebol.
No país, o mapeamento identificou 2,3 mil pessoas ou empresas associadas a 1.550 polígonos desmatados, somando mais de 162 mil hectares de remoção de floresta nos nove estados da Amazônia Legal.
Os laudos periciais que identificam áreas e possíveis responsáveis foram produzidos a partir da análise de imagens de satélite e do cruzamento das informações com bancos de dados públicos.
De acordo com o MPF, agora os dados serão enviados para os procuradores da República nos estados para instauração de ações civis públicas com pedidos de reparação do dano ambiental e pagamento de indenização, em valores que devem ultrapassar os R$ 2,6 bilhões. No Maranhão a indenização é estimada em R$ 25.338.014,76.
Desmatamento por áreas no Brasil
Das 1.550 áreas desmatadas, 54 estão dentro de unidade de conservação federal e 18 dentro de terra indígena. Além disso, há 644 polígonos situados em glebas federais. Apenas 567 polígonos (ou 36% do total) registram algum tipo de embargo dos órgãos ambientais.
O Pará é o campeão de áreas desmatadas, com 416 polígonos, totalizando 47 mil hectares. Apenas no estado, foram identificados 625 pessoas ou empresas associadas a esses desmatamentos ilegais, e as indenizações estão estimadas em R$ 759 milhões. Em seguida, estão Mato Grosso, com 411 áreas, e Rondônia, com 346.

Nenhum comentário:

Postar um comentário