Pelo visto, a verdade começa a aparecer sobre quem realmente pratica o “Fake News” com relação as eleições do Maranhão.
A edição desta quarta-feira (25), do Jornal O Estado do Maranhão, confirma que na madrugada de terça-feira (24), foi preso, na cidade de Imperatriz, um dos agentes com as digitais do PCdoB e que fora denunciado por divulgação de “Fake News” contra a ex-governadora Roseana Sarney (MDB).
O blogueiro Fabrício Oliveira – que se intitulava como funcionário do Governo do Maranhão em uma de suas páginas em redes sociais – foi preso em uma rua conhecida por ser acesso a bocas de fumo da cidade.
Durante a abordagem, ainda segundo a PM, nada de ilícito foi encontrado com o comunicador, que acabou preso quando se descobriu – após consulta realizada pelo Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) – que havia contra ele um mandado de prisão em aberto no Estado de Goiás.
Segundo apurou O Estado, Fabrício Oliveira foi condenado a seis anos de prisão por assalto a mão armada. A pena deve ser cumprida em regime semiaberto. Há ainda, segundo dados do Banco Nacional de Mandados de Prisão, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), um segundo mandado em aberto.
A prisão do blogueiro comunista ocorre apenas dias depois da confirmação do envolvimento dele em outro crime.
Fake News – Ao cumprir uma sentença do juiz federal Clodomir Reis, do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA), determinando ao Facebook a exclusão e identificação de perfis fake criados para atacar Roseana Sarney, os advogados da rede social apresentaram, no dia 16 de julho, os IPs de acesso.
Na peça, informou-se que era Fabrício Oliveira quem administrava a página “Rosengana Roubalhey”, já deletada.
A partir dos dados apresentados pelo Facebook, constatou-se que o blogueiro do PCdoB usava uma lan house e o próprio celular para logar-se na conta e disseminar propaganda negativa e “Fake News” contra a ex-governadora. O fato foi comunicado, também, à Polícia Federal.
Dinheiro Público – Numa discussão em um dos grupos do qual participa, o blogueiro Fabrício Oliveira chegou a afirmar que recebia recursos públicos para disseminar informações pró-governo e contra adversários dos comunistas.
“Tiro nota da agência em nome do governo, assim como faço com a câmara (sic)… Minha nota é para o Estado, assim como tiro nota de prestação de serviços para a câmara municipal (sic)”, disse Oliveira.
A revelação foi feita em maio, depois de o Partido Verde denunciar à Superintendência da Polícia Federal no Maranhão e à Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) a disseminação de “Fake News” contra a ex-governadora Roseana Sarney (MDB) por servidores do governo Flávio Dino (PCdoB).
Assinada pelo deputado estadual Adriano Sarney, a denúncia destacava a atuação do atual secretário de Estado da Comunicação e Articulação Política, Ednaldo Neves (PCdoB) e do próprio Fabrício Oliveira, além de outros comunistas.
E assim a verdade vai aparecendo.