domingo, 26 de agosto de 2018

Prefeitura vai implantar Coleta Seletiva Domiciliar a partir de setembro


Imperatriz é a primeira cidade do Maranhão a contar com o serviço

por Sara Batalha

Graças ao Plano Municipal de Coleta Seletiva, elaborado a partir do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos, PMGIRS, a destinação correta de materiais recicláveis por empresas e instituições parceiras já é uma realidade em Imperatriz. Elaborados com recursos do Tesouro Municipal, documentos são marco para o desenvolvimento sustentável na cidade, e agora dão mais um passo rumo à preservação ambiental com a implantação da coleta seletiva domiciliar.
Previsão para a coleta separada dos resíduos recicláveis, é a partir de 11 de setembro, às terças, quintas e sábados na área central da cidade. Os primeiros bairros a receberem o serviço são Maranhão Novo, Três Poderes, Juçara e Centro (área destacada em vermelho no mapa). Nas empresas parceiras, a coleta seletiva continua regularmente de acordo com o cronograma já estabelecido. 
"Imperatriz é a primeira cidade do Maranhão a contar o serviço de coleta seletiva nas residências. A Prefeitura já deu o primeiro passo, agora vamos contar com o apoio da comunidade para a concretização dessa proposta", ressalta Rosa Arruda, secretária municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.
Em Imperatriz, são gerados diariamente 320 toneladas de resíduos. Na cidade, a produção média de lixo por habitante, chega a ser maior que a média nacional. Com o trabalho que já vem sendo realizado, há uma redução de aproximadamente cinco toneladas de recicláveis por semana, que seriam destinados ao lixão. Com a coleta domiciliar a quantidade de resíduos destinada ao lixão sofrerá redução brusca, além de aumentar consideravelmente a renda de famílias que vivem da segregação e destinação de produtos recicláveis.
Segundo a catadora da Associação de Catadores de Material Reciclável de Imperatriz, Ascamari, Celma Souza, “primeiro, uma das vantagens é a questão da educação ambiental, segundo, acredito que irá nos reforçar enquanto organização, em termos econômicos, e é uma forma de estarmos educando a população com a coleta seletiva. A cidade ficará mais limpa, e acredito que todos nós iremos ganhar. E que Imperatriz seja um cartão-postal para o Maranhão. Acredito que todos iremos ser beneficiados”, enfatizou.
Como funciona
A população só precisa separar seus resíduos, o que não é algo difícil. Por exemplo, em uma sacola, a pessoa deposita apenas garrafas pets, garrafas e recipientes de vidro, sacos, embalagens de plástico, papelão, e demais materiais recicláveis para serem levados pelo caminhão da coleta seletiva. Em outra sacola, deve-se colocar  o material orgânico (restos de alimento em geral) – este e o rejeito (papel higiênico, guardanapos, absorventes, fraldas descartáveis, cotonetes, algodões) que serão levados pela coleta comum nos dias que já são de praxe, segunda, quarta e sexta.
O engenheiro ambiental e assessor de projetos especiais da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Semmarh, Allison Daniel, sugere que os moradores coloquem os resíduos em três recipientes diferentes. “Um para a coleta de orgânicos, outro para o rejeito, e para os materiais recicláveis", pontuou. Ele acrescenta que os resíduos orgânicos poderão ser reaproveitados futuramente para a produção de compostagem, quando a cidade contar com o aterro sanitário.

Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário