quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Imóveis do PAC-1 não podem ser comercializados ou cedidos a terceiros


Visitas foram realizadas nas moradias do Recanto Universitário e Dom Afonso Gregory

por Gil Carvalho

Beneficiários dos conjuntos habitacionais Recanto Universitário e Dom Afonso Fellipe Gregory que exercem atitudes contrárias ao projeto implantado do Programa de Aceleração do Crescimento, PAC-1, Vila Cafeteira, foram visitados semana passada pelo núcleo de assistência social da Secretaria Municipal de Infraestrutura – Sinfra – da Prefeitura de Imperatriz.
De acordo com a assistente social Lucidalva Santos, medida visa coibir a venda e a cessão irregular de imóveis, fato comprovado durante constatação do abandono das casas. “Essa situação tem dado margem para invasões e uso de drogas nos imóveis”, afirma.
Ela observou ainda “a presença de demais fatores, como a vinda de parentes de outras cidades com objetivo de residir no imóvel, se colocando como vulnerável, visando se enquadrar no perfil para receber a posse por tempo de uso”. “Com isso os moradores dos conjuntos habitacionais do PAC-1 estão sendo notificados para comprovação de moradia, conforme contrato de responsabilidade técnico social da Sinfra”, explicou.
Lucidalva Santos esclarece que os imóveis se destinam unicamente a residência do adquirente, não podendo vendê-lo, alugá-lo ou cedê-lo. E que os beneficiários têm consciência que serão excluídos de qualquer outro programa similar, e ainda, terão que devolver o imóvel.
“Gostaríamos de reiterar para que pessoas evitem vender e comprar esses imóveis que são de uso exclusivo aos beneficiários dos programas sociais do PAC-1”, finalizou.

Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário