quarta-feira, 14 de novembro de 2018

JOÃO LISBOA E ESTREITO


MPMA premia vencedores do Ler, Escrever e Pensar

O Ministério Público do Maranhão premiou os ganhadores do projeto “Ler, escrever e pensar: conscientizar para transformar” nos municípios de João Lisboa e Estreito na última sexta-feira, 9. De autoria da titular da 2ª Promotoria de Justiça de João Lisboa, Maria José Lopes Corrêa, o projeto tem por objetivo estimular a leitura e produção textual de estudantes da rede pública acerca da corrupção no Brasil.

Em João Lisboa, a solenidade foi realizada na Quadra de Esportes Nicolau Dino, pela manhã. Na parte da tarde, o evento foi em Estreito, no Ginásio Duartinho. Com a participação de diversos estudantes da rede pública, ambas as premiações contaram com a participação de autoridades representantes do Poder Judiciário, poder público municipal, estadual, professores e gestores educacionais. Também estiveram presentes o diretor das Promotorias de Estreito, Paulo Roberto da Costa Castilho, e o promotor de justiça da Promotoria de Carolina, Marco Túlio.

Para a autora do projeto, promotora de justiça Maria José Lopes Corrêa, esta é uma forma de o Ministério Público instigar o espírito crítico do estudante e conscientizar para que ele seja o protagonista da mudança que deseja para o país, incentivando a vivência cotidiana de atos de honestidade como forma de alcançar governos probos e governantes honestos para o Brasil.

“Nenhuma transformação se fará efetiva sem que provenha da alteração de conduta de cada cidadão. Povo honesto não produz governo corrupto”, ressaltou a promotora Maria José.

A coordenadora do projeto em Estreito, promotora de justiça Rita de Cássia Pereira de Souza, avaliou positivamente o resultado do projeto desenvolvido no município. Ela agradeceu o apoio da administração superior do Ministério Público, à autora do projeto, a parceria do município, aos professores, gestores e alunos.

“Além da leitura e produção textual, os alunos fizeram várias atividades relacionadas ao tema e perceberam que o nosso objetivo é incentivar não só a leitura, mas combater de fato a corrupção. Por isso, estou muito feliz com o resultado”, declarou a promotora Rita de Cássia.

Representando o procurador-geral de justiça, o diretor da Secretaria para Assuntos Institucionais, Marco Antonio Santos Amorim, destacou que o projeto vem cumprindo com maestria o papel de atuar na prevenção primária à corrupção, tendo recebido, inclusive, prêmios do Conselho Nacional do Ministério Público e da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção.

“Somente trabalhando a base, com nossas crianças e nossos jovens, poderemos ter a esperança de um país melhor, mais honesto”, comentou Marco Antonio Amorim.



PROJETO

Realizada em diversos municípios do Maranhão, a campanha promove um concurso de redação entre os alunos da rede pública de ensino a respeito do tema, tendo como referência uma obra literária.

As escolas participantes selecionam a melhor redação de cada série (9º ano do ensino fundamental e 1º, 2º e 3º do ensino médio), que são avaliadas pela Academia Imperatrizense de Letras, que elege as melhores redações entre as pré-selecionadas.

Este ano, o livro escolhido foi: “Ética e Vergonha na Cara”, de Mário Sérgio Cortella e Clóvis de Barros Filho. Também fica a critério das escolas realizar atividades além da produção textual para estimular a criatividade e a discussão da temática.

Ao final do projeto são escolhidos seis ganhadores em cada município: três do 9ª ano do Ensino Fundamental e três do Ensino Médio. Os prêmios são um notebook, um tablet e um smartphone para o primeiro, segundo e terceiro lugar de cada categoria, respectivamente. Em Estreito, a parceria com o município possibilitou premiar também, com os mesmos itens, os professores responsáveis por orientar os alunos ganhadores, como forma de incentivo à docência.

GANHADORES
Em João Lisboa, os primeiros colocados do 9º ano Ensino fundamental foram Ellen Cristine Pereira, Hudson Matheus Rodrigues Lopes e Sarah Silva Brito. Os alunos que conquistaram os três primeiros lugares pelo Ensino Médio foram Dionara Carolaine Feitosa de Oliveira, Caio dos Santos Sousa e Alisson Sousa Santos.

No município de Estreito, quem levou o prêmio para casa na categoria do 9ª ano foram Letícia Aguiar de Sousa, Samuel Santos Bezerra e Kaylany Neves de Sousa. Pelo Ensino Médio, as ganhadoras foram Mikaela Alves da Silva, Ester Miranda Paiva e Lígia Morais Alves Santos.

A ganhadora do primeiro lugar do Ensino Médio em Estreito, Mikaela Alves da Silva, cursa o 3º ano e disse que não esperava ganhar o prêmio. Ela explicou que para participar do concurso, além de ler o livro indicado, viu muitos vídeos do filósofo Mário Sérgio Cortella para se aprofundar no assunto. “Na minha redação eu falei muito sobre o jeitinho brasileiro. Nesse processo eu aprendi muito sobre ética. São ensinamentos que eu vou levar para a vida”, revelou a estudante.

PRÊMIO CNMP
O Projeto Ler Escrever e Pensar: Conscientizar para Transformar ganhou o 2º lugar entre as categorias do Prêmio CNMP 2018. A premiação foi realizada em setembro, durante o 9º Congresso Brasileiro de Gestão do Ministério Público, em Brasília. O projeto concorreu na categoria Redução da Corrupção, pela qual o Ministério Público do Maranhão também ganhou o primeiro lugar pelo segundo ano consecutivo.


Redação e fotos: Iane Carolina (CCOM MPMA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário