quinta-feira, 14 de março de 2019

“A ideia da CPI está viva e ela vai acontecer”, diz Ricardo Seidel sobre os conjuntos habitacionais


Sidney Rodrigues - ASSIMP
Foto: Fábio Barbosa
            Na sessão de ontem (12), foi aprovada indicação do vereador Ricardo Seidel (REDE) ao prefeito Assis Ramos e ao secretário de Infraestrutura de Imperatriz, Zigomar Filho, do levantamento das problemáticas de engenharia nos conjuntos habitacionais entregues no município.
            Segundo ele, Sebastião Regis,Teotônio Vilela, Recanto Universitário, Canto da Serra e vários outros, tem algo em comum. Casas rachando, caixas d’água caindo, asfalto esfarelando e uma péssima qualidade geral nas construções, com menos de dois anos entregues.
            “Sabemos do apelo, da pressão popular e da vontade da prefeitura de melhorar essa questão habitacional da população, mas é inadmissível aceitar essa situação. É como um carro velho. Você compra hoje e está tudo perfeito, é só começar a rodar, com 30 dias já aparecem dezenas de problemas. Por esse motivo é que a ideia da CPI está viva e ela vai acontecer”, disse
            O vereador quer um laudo técnico da secretaria de infraestrutura para saberem das reais problemáticas. “Não somos técnicos, mas é público e notório que essa situação é um desastre. Se não arrumarmos e resolvermos logo isso agora, o município é que irá ser onerado no futuro, independente desta gestão, da passada ou da futura”.
            Joao Silva (PRB) propôs que seja feita uma audiência publica com urgência e que se faça um levantamento da responsabilidade das empresas e o que está nos contratos. “Tem que ser feita uma investigação para saber onde está a culpa, pois obra publica, segue critérios rigorosos. A caixa não libera recursos facilmente. Então vamos fazer o que for preciso para identificar os culpados e quem está errado”.
            Para Ditola (PEN), a prefeitura sempre alega liberação de projetos, mas depois que isso é feito as obras não avançam, ou são entregues com qualidade duvidosa. “O Teotônio foi entregue pelo atual prefeito, então ele sabe da situação. Todos os conjuntos estão de mal a pior. Falam da falta de recursos, mas não vemos a prefeitura dando entrada no MP contra essas empresas. A briga de quem vai pagar ou não é secundaria, o que queremos é a solução. Nada impede que a prefeitura resolva os problemas e depois a justiça obrigue as empresas sejam responsabilizadas. A prioridade é o povo”.
            Zesiel Ribeiro (PSDB) diz que não se pode ficar fazendo audiências sem documentação onde pessoas ficam se utilizando de problemas para se promoverem politicamente. “O que precisamos é ter acesso às licitações, para saber se o que foi feito, foi determinado daquela forma”.
            Seidel finalizou dizendo que os residenciais são como uma casa ou um carro usado que se compra. “Na entrega esta tudo lindo, mas ao usar nada presta. Com menos de um ano a casa racha, o asfalto solta, o chão cede. Todos os recursos são acima de 100 milhões. O menor conjunto tem 1000 casas e milhares de pessoas. Sabemos que o município tem um caixa limitado e as obras são do governo federal, então as construtoras tem sim que ser responsabilizadas”, concluiu.
            A indicação do vereador foi aprovada e será encaminhada ao prefeito.
Ricardo Seidel teve indicação aprovada e informou que trabalha para que aconteça uma CPI dos conjuntos habitacionais
______________________________________________________________________________________________

Pedro Gomes pede ajuda à comunidade do Cacauzinho
O legislador aproveitou a oportunidade para apresentar o tema da Campanha da Fraternidade 2019
Sidney Rodrigues - ASSIMP
Foto: Fábio Barbosa
            O vereador Pedro Gomes (PSC) na manhã de ontem (12), levou à tribuna os apelos da comunidade Cacauzinho e falou sobre a campanha da fraternidade.
            Gomes pediu que ao município que possa atender a uma indicação sua que já tem dois meses e arrumar a estrada da comunidade. O Cacauzinho que já tem 30 anos e nunca teve uma estrada de verdade, mas agora corre o risco de ficar isolada pela falta de acesso. Em visita àquele local, citou a situação do Sr. Roque de 85 anos, que está operado e prostrado em casa, onde e relatou ao vereador que está preocupado, pois se piorar não tem como se deslocar para um hospital, pois estão sem estrada. Alunos que tem que pegar o ônibus não conseguem ir para aula nas escolas Machado de Assis, Madalena de Canossa e Pedro Abreu  há mais de 15 dias, pois o ônibus não está entrando.
            Esperamos que o prefeito atenda o clamor da comunidade. Não é o vereador Pedro Gomes que está pedindo, mas o povo daquela localidade.
            O vereador falou também sobre a quaresma e o inicio da campanha da fraternidade que esse ano tem como tema: “Fraternidade e políticas públicas”, que tudo tem haver com o momento atual.
            “A política é a arte de bem governar e cuidar dos negócios públicos. São ações implantadas pelos gestores. Estou aqui aprendendo a ser vereador e para atender o povo. É tempo de conversão e por isso peço perdão a todos aqueles que ainda não pude atender, ou resolver seus problemas, mas meu papel tenho feito, de forma digna. Mesmo sem entenderem os motivos de algumas colocações nossas, estamos aqui para ser pessoas melhores e por isso trago esse assunto à tribuna, ligando a campanha com a situação que se encontra nossa cidade em algumas áreas“, disse.
            Gomes finalizou fazendo a oração da campanha da fraternidade 2019 e a oração da ética na política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário