sexta-feira, 1 de março de 2019

TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS


“Táxis e moto táxis devem se tornar competitivos para concorrer com aplicativos”, diz Presidente da Câmara



Para José Carlos a única saída é a modernização, diminuição de valores e adaptação de todos aos novos tempos do transporte público
Texto: Sidney Rodrigues
Foto: Sidney Rodrigues
            Taxistas e moto taxistas de Imperatriz estiveram presentes em audiência pública na manhã de ontem (28). As classes querem que os motoristas de aplicativos sigam as mesmas regras impostas às categorias. Essa é principal posição e reivindicação apresentada na Câmara Municipal. A sessão tratou da “Atual situação em que os taxistas se encontram”, e foi comandada pela Comissão Permanente de Obras e Serviços Públicos.
            O presidente da Câmara José Carlos Soares Barros (PV) no uso da Tribuna Freitas Filho, informou que há mais de dois anos identificou que o problema é a competitividade, pois infelizmente as classes de táxis e mototáxis não se prepararam para a competição desenfreada que hoje existe, e mesmo criando leis, enquadrando, educando ou limitando, essa gigantesca competição irá continuar.
            “Estão perdendo clientes por que ficam em pontos fixos esperando os passageiros e os aplicativos vão buscar o cliente na porta de casa, ou onde ele estiver, graças à modernidade. Taxistas perdem clientes desde a criação do SAMU pois as ambulâncias tiraram aqueles que utilizavam o serviço nas madrugadas com problemas de saúde ou mulheres gestantes, depois perderam para os moto táxis, para as vans, para os clandestinos e agora para os aplicativos. A única solução tem que ser coletiva e não depende do executivo. O que a prefeitura pode fazer é diminuir as taxas e outros valores, mas as categorias tem que se unir com um objetivo em comum: se tornarem competitivas”, afirmou.
            Para ele os profissionais tem que se unir e buscar uma solução com a participação da Câmara para que assim os clientes sejam atraídos novamente. “Caso não haja essa reconquista de mercado, a profissão dos senhores será derrotada pela falta de competitividade”.
Para o presidente a competição é desleal, pois os táxis e moto táxis pagam todos os impostos e tributos e estão competindo com quem não está pagando nada. “Quando não se paga alvará e impostos você tem condições de oferecer um serviço mais barato e não podemos condenar a população por estar buscando saídas para a queda do poder aquisitivo que só aumenta. Sem medo de errar, se essas classes não se mexerem, baixarem valores de corridas e se mantiverem em praças esperando passageiros, eles não virão. O povo não vai. É necessário que se assuma isso”, expôs.

TÁXI LOTAÇÃO
            Zé Carlos lembrou que foi aprovada na Câmara uma forma da categoria dos táxis fazerem um rodízio de placas e trabalharem revezando, onde todos poderiam competir e ganhar seu dinheiro de forma justa, mas o prefeito vetou a lei atendendo ao pedido de parte dos próprios taxistas que não concordaram, por medo de serem passados para trás. A intenção é fazer uma competição de preços e essa é a única saída para disputar com ônibus, vans e aplicativos, não ficando parados em pontos. Mototáxis devem rever seus preços de corridas e colocarem valores competitivos.
            “Vejam a realidade das coisas. O executivo talvez não tenha aceitado por que também existe uma proteção ao transporte coletivo, não é por gratuidade ou passagem meia. Mas isso não é desculpa para as categorias não encontrarem alternativas”.
            Por fim o vereador presidente informou que a Câmara fará um documento com pedido ao estado para que sejam dispensados os impostos do combustível, dos pneus e dos insumos que essas classes usam, e assim a passagem possa ficar mais barata; e para o executivo será feito o pedido da dispensa de taxas absurdas, fazendo com que o preço da passagem seja reduzido e assim possam voltar ao mercado novamente concorrendo em igualdade com todos os outros transportes e aplicativos.


Legenda: Para o presidente José Carlos, falta competitividade e modernização por parte das categorias do transporte individual de passageiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário