quinta-feira, 4 de abril de 2019

MPMA premia vencedores de concurso de poesia promovido pelo Projeto Ohana

ESTREITO



Em solenidade realizada no dia 1º de abril, em Estreito, o Ministério Público do Maranhão premiou 12 alunos de quatro escolas que participaram de um concurso de poesia promovido pelo Projeto Ohana. A solenidade foi realizada no auditório do Sindicato dos Professores de Estreito. O tema do concurso foi o combate à violência doméstica e à alienação parental.

Coordenado pela promotora de justiça Rita de Cássia Pereira Souza, titular da 2ª Promotoria de Justiça de Estreito, o evento contou com as participações da idealizadora do projeto e titular da Promotoria de São Mateus, Alessandra Darub Alves; do prefeito de Estreito, Cícero Neco Morais; do secretário municipal de Educação, Antonio Carlos Gregory de Araújo; da secretária-adjunta de Assistência Social, Damara Nunes; da secretária municipal da Mulher, Rossana Passos; e da presidente do Sindicato dos Servidores da Educação de Estreito, Irenilde Ribeiro da Silva.

PROJETO

O projeto Ohana teve início no município de São Vicente de Férrer, sob a coordenação da promotora de justiça Alessandra Darub Alves, com o objetivo de discutir a violência doméstica e alienação parental.

O foco é estimular o debate no meio estudantil, promovendo ações para resgatar a autoestima e reconstruir a dignidade da mulher vítima de violência doméstica. As atividades já vêm sendo realizadas em outros municípios do Maranhão desde 2017 e já alcançaram mais de 12 mil pessoas.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Alessandra Darub relatou que a campanha foi motivada pelo número crescente de casos de violência doméstica e alienação parental em São Vicente Férrer, onde a representante do Ministério Público atuou. Por conta dos altos índices de violência, ela decidiu levar às escolas e à comunidade em geral os esclarecimentos sobre a temática.

Em seu trabalho, a promotora de justiça revelou ter percebido que as pessoas geralmente só sabiam o que era violência física, mas que desconheciam os outros tipos de violência doméstica, mesmo sendo vítimas, a exemplo da violência psicológica e verbal.

A titular da 2ª Promotoria de Justiça de Estreito, Rita de Cássia Pereira Souza, afirmou que o número elevado de casos de violência doméstica na comarca de Estreito a levou a adotar a campanha.

“Os dois objetos do Projeto Ohana são frutos de uma cultura de violência, uma cultura machista. Muitas vezes as pessoas não fazem por maldade, mas porque cresceram vendo pais, primos, tios e avós praticando violência e alienação parental. Por isso há a necessidade de criar uma postura mais incisiva na prevenção e conscientização da sociedade”, ressalta a promotora de Estreito.

ALIENAÇÃO PARENTAL

Outro assunto também desconhecido por parte da população, segundo relata Alessandra Darub, é a alienação parental. A prática ocorre quando um dos genitores ou responsáveis pela guarda da criança ou adolescente tenta afastar o menor do pai / mãe e/ou responsáveis, seja pela desqualificação moral, ou o afastamento intencional da criança, entre outras ações que prejudiquem o convívio familiar.

“Além dos problemas de violência que já enfrentamos, os filhos também sofrem. Os pais brigam na frente das crianças, dizem coisas a respeito do pai ou da mãe para que os filhos não respeitem ou não obedeçam a um ou a outro, dentre várias outras situações que só trazem prejuízos à família”, destacou a promotora Alessandra Darub.

PREMIAÇÃO

Após participarem de rodadas de palestras durante o mês de março, os alunos produziram poemas, dentre os quais foram selecionados os três melhores de cada escola. O primeiro, segundo e terceiro lugares ganharam um smartphone, um tablet e uma medalha de bronze, respectivamente.

Foram premiadas, ainda, a melhor poesia dentre todas as inscritas no concurso e a escola que se destacou no desenvolvimento das atividades, que seguem ao longo do ano com palestras para a comunidade em geral.

As promotoras de justiça Rita de Cássia Pereira Souza e Alessandra Darub avaliaram positivamente o resultado desta etapa do projeto. Ao todo, 600 alunos participaram dos debates com as palestras e todos produziram poesias sobre o tema.

GANHADORES

Pela Unidade Integrada João Castelo, as vencedoras foram Júlia Andressa Pereira Queiroz, Ana Clara Borges L. Dória e Byanca Brito, ocupando o primeiro, segundo e terceiro lugar, respectivamente. Do Colégio Transamazônico, os premiados foram Carlos Emanuel dos Santos Barbosa, Rafael Barros de Oliveira e Denise Azevedo Pereira.

Os alunos ganhadores da Escola Unidade Integrada Luís Oliveira foram Maria Eduarda dos Santos Viana, Luís Otávio Silva Gouveia e Estefany Vieira Da Silva. Pela Unidade Integrada Virgílio Franco foram premiadas as alunas Thamyres Oliveira Nogueira, Ana Carolina De Sousa Santos e Agda Silva Rabelo.

A primeira colocada geral da edição 2019 do concurso de poesia do Projeto Ohana em Estreito foi a aluna Júlia Andressa Pereira Queiroz, da Unidade Integrada João Castelo. A professora Evanda Da Costa Oliveira recebeu o prêmio “Professora Mais Ohana”. A Unidade Escolar João Castelo foi eleita a “Escola Mais Ohana”. A “Torcida Mais Ohana” foi para a Escola Luís de Oliveira.

Ganhadora do segundo lugar pela Unidade Escolar João Castelo, a estudante Ana Clara, do 8º ano, relata que o projeto forneceu muitas informações sobre como lidar em casos de violência doméstica. Ela acrescenta que também foi um aprendizado educacional, pois foi estimulada à produção poética. “Eu estou muito feliz. Eu não esperava ficar em segundo lugar e ganhar esse prêmio”, destacou a estudante, que ganhou um tablet como prêmio pela poesia.

Redação: Iane Carolina (CCOM-MPMA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário