sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Prefeitura realiza 28ª edição do “Projeto Torcida Cidadã”

INCLUSÃO SOCIAL

30 crianças e adolescentes do projeto social “Mãos Que Cuidam’ participam do evento

por Dema de Oliveira

Acontece neste sábado, 17, a 28ª edição do projeto ‘Torcida Cidadã’, às 19h30, no Estádio Municipal Frei Epifânio. A ação é realizada pela Prefeitura de Imperatriz por meio da Secretaria de Esporte Lazer e Juventude, Sedel, durante partida entre Imperatriz e Ferroviário do Ceará. Cerca de 30 crianças do projeto social ‘"Mãos Que Cuidam" serão beneficiadas com a iniciativa. 
Desde a primeira edição, o "Torcida Cidadã" já contemplou 1000 crianças e adolescentes de escolas da rede municipal e de projetos sociais de Imperatriz, como o "Mãos Que Cuidam". O objetivo do projeto é a inclusão social de crianças e adolescentes de baixa renda da faixa etária entre 9 e 15 anos, que assistem os jogos do Cavalo de Aço de maneira gratuita.
O projeto "Torcida Cidadã", conta com o apoio da fábrica de Refrigerantes River, Secretaria Municipal de Educação, Semed, e Sociedade Imperatriz Desportos, SID. “Estamos gratos pelas parcerias em todas as etapas do projeto, que tem total e irrestrito apoio do prefeito Assis Ramos. Juntos e com entusiasmo, sempre procuramos fazer uma edição melhor do que a outra”, enfatizou o secretário Eudes Feitosa. 
Nesta fase do Campeonato Brasileiro da Série C, o Cavalo de Aço fará sua última partida no Frei Epifânio, já que na última rodada, vai enfrentar o Sampaio Correa, no tradicional clássico maranhense, no Castelão em São Luis. Entretanto, se classificar para as fases seguintes, terá outras três partidas no majestoso da Praça Mané Garrincha e com isso três novas edições do projeto "Torcida Cidadã", serão realizadas. O objetivo do Cavalo de Aço é chegar a Série B do Campeonato Brasileiro esse ano.
Sobre o "Mãos que Cuidam": Com ações desde 2012, localizado na Rua General Gurjão, esquina com Rua 3, bairro Bacuri, o projeto tem expediente de segunda à sexta-feira e atende público rotativo de 238 crianças e adolescentes em situação de risco em bairros periféricos. “Nossa missão é acolher, amparar, assistir e auxiliar crianças com necessidades especiais; seja físicas, financeiras ou psicológicas. Temos como visão máxima envolver crianças por meio das aulas, oficinas, palestras e execuções dos conhecimentos adquiridos”, destacou Cláudia Célia, coordenadora. 

Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário