segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Mais cinco bairros recebem frentes de pavimentação

MOBILIDADE

Obras melhoram a mobilidade urbana e a qualidade de vida dos moradores dos bairros

por Gil Carvalho
A Prefeitura de Imperatriz, através da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, Sinfra, atua em mais cinco frentes de pavimentação nos bairros da cidade visando melhorar a mobilidade urbana e a qualidade de vida da população. Obras são realizadas com recursos do Tesouro Municipal.
As frentes de pavimentação trabalham no bloqueteamento da Rua “C”, trecho das ruas “X” com São José, Vila Lobão, realizando sonho antigo dos moradores que acompanham passo-a-passo a execução dos trabalhos de assentamento dos blocos. Obra também valoriza os imóveis e transforma o aspecto urbanístico.
O secretário de Infraestrutura, Zigomar Filho, destaca que a Prefeitura de Imperatriz também avança na conclusão da obra de pavimentação com bloquetes da Rua 27 de Agosto, Bairro Novo Horizonte. Via recebeu ainda drenagem profunda, meios-fios e sarjetas.
No residencial Teotônio Vilela, a Sinfra executa os serviços de regularização e terraplanagem da Avenida Norte Sul, alvo de várias reclamações dos moradores, embora o município tenha feito várias notificações para que a construtora responsável pela obra do empreendimento recuperasse as vias danificadas.
“O prefeito Assis Ramos se reuniu com os moradores e decidiu que o município executaria obras de melhoria da principal via de acesso, Avenida Norte Sul, ao Teotônio Vilela, inclusive a recuperação da base para recebimento de novo pavimento”, disse.
Outra frente de serviço de pavimentação com bloquetes é na Rua Primavera, no Parque Alvorada II. Obra que facilitará o acesso de veículos e pedestres ao bairro.
Em parceria com a VLI, a Prefeitura de Imperatriz também realiza a terraplanagem da via Principal de acesso ao residencial Itamar Guará, situado à margem da BR-010. Via também ganhará sinalização e iluminação pública de qualidade.

Imagens:

Hildo Rocha faz palestra na OAB sobre acordo entre Brasil e EUA que viabiliza centro espacial de Alcântara


O Acordo de Salvaguardas Tecnológicas do Centro de Lançamento de Alcântara foi tema de palestra proferida pelo deputado federal Hildo Rocha, no auditório da OAB/MA. O evento, idealizado pelas Comissões de Direito Internacional, de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro, de Direito Difusos e Coletivos e pela Escola Superior da Advocacia, reuniu advogados, juristas, representantes das três esferas de governo (federal, estadual e municipal) e dos poderes executivo, legislativo e judiciário.

O deputado Hildo Rocha, relator do AST (Acordo de Salvaguarda Tecnológica) na Câmara Federal, ressaltou que o acordo vai gerar inúmeros benefícios para o Brasil. “A entrada do Brasil no bilionário mercado de lançamento de foguetes irá gerar empregos, renda e riquezas. Assim, o acordo é muito bom para o Brasil. Estimativas indicam que em 20 anos, devido a não aprovação do AST, o Brasil perdeu aproximadamente R$ 15 bilhões, considerando-se apenas 5% dos lançamentos ocorridos no mundo nesse período.  Além do prejuízo financeiro o país ficou impedido de se desenvolver no campo da tecnologia aeroespacial”, destacou o parlamentar.

Rocha disse que a concretização do acordo irá possibilitar ao Brasil ocupar 1 % do volume de negócios no mercado global do setor espacial. “Isso garantirá U$ 3.5 bilhões por ano a partir do próximo ano e US$ 10 bilhões por ano a partir de 2040. O acordo consolidará o país como um forte player do segmento de lançamentos”, afirmou o parlamentar.

Hildo Rocha explicou que o formato do acordo é semelhante aos utilizados por países como China, Ucrânia, Rússia, Índia, Nova Zelândia. O parlamentar maranhense disse ainda que o modelo do acordo assinado entre EUA e Brasil está dentro de uma praxe internacional.

“O acordo firmado entre o Brasil e os Estados Unidos da América é condição essencial para viabilizar o uso do Centro Espacial de Alcântara (CEA) como base de lançamento de objetos espaciais de quaisquer países que possuam componentes americanos. É, na prática, um compromisso que pressupõe confiança entre as partes envolvidas”, ou seja, entre os dois países”.

Tema relevante
A iniciativa da OAB foi elogiada pelo deputado Hildo Rocha. “Por ser um tema de grande importância para a economia do Maranhão e do Brasil, a iniciativa da OAB é louvável. O presidente da entidade, Thiago Diaz; a Dr. Polyana Freire e demais pessoas envolvidas na organização do evento estão de parabéns. Circulam muitas informações equivocadas acerca desse Acordo, por esse motivo debates como esse que foi realizado pela OAB são indispensáveis, importantes e extremamente produtivos”, declarou Hildo Rocha.

Além da explanação do deputado Hildo Rocha, o Pró-Reitor de Pesquisa Pós-Graduação e Inovação da Universidade Federal do Maranhão – UFMA Allan Kardec Duailibe Barros Filho e o Secretário de Ciências, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado, Davi Telles; também fizeram palestra sobre o tema.

O presidente da OAB/MA, Thiago Diaz; a presidente da Comissão de Direito Internacional, Polyana Freire; o Silva presidente vitalício da instituição, Dr. José Carlos Sousa e Silva e o Dr. Thales Dyego de Andrade, membro da Comissão Especial de Direito Aeronáutico, Espacial e Aeroportuário, também marcaram presença no evento que teve a participação da Desembargadora Cleonice Freire; do Dr. André Barreto, Assessor Técnico da Agência Espacial Brasileira; do Diretor Superintendente do SEBRAE/MA, Albertino Leal; do prefeito de Alcântara, Anderson Wilker Araújo; do Coronel Magalhães, representando o Ministério da Defesa; do Coronel Monteiro superintendente da SPU/MA.

O deputado federal Gildenemir de Lima Sousa; o gestor Regional da Fundação Palmares, Alan Ramalho e o representante do Sindicato dos Radialistas do Maranhão, Josemar Emílio Silva Pinheiro também prestigiaram o evento.

sábado, 19 de outubro de 2019

Campanha internacional apresenta luta de povos do Maranhão pelo direito à água e contra violações da Vale A campanha internacional “Água para os povos

Piquia de baixo em Açailandia e sua poluição das ferro gusas

Transnacionais: respeitem nossos direitos” é uma iniciativa de sensibilização e informação protagonizada por povos originários, tradicionais e camponeses de Argentina, Brasil, Colômbia e Peru que têm seu direito à àgua violado por empresas transnacionais de mineração e siderurgia. Lançada hoje, 16 de outubro de 2019, a campanha procura, por meio de um site, das redes sociais e de ações diretas, denunciar as violações cometidas e também sua autoria, nomeando e responsabilizando as empresas que poluem, contaminam, destroem e monopolizam a água dos povos tradicionais e camponeses. A campanha internacional também comunica e procura fortalecer as estratégias de resistência e criação do bem-viver implementadas pelos povos na defesa de seu direito à água, à terra, ao território e à vida. Em cada um dos quatro países onde a campanha acontece, entidades locais apoiam as iniciativas de comunicação e articulação das comunidades que protagonizam a ação internacional: Bienaventurados los Pobres na Argentina, Justiça nos Trilhos no Brasil, Pensamiento y Acción Social na Colômbia, e CooperAcción no Peru. Piquiá de Baixo e Santa Rosa dos Pretos: exemplos de luta contra a mineração No Brasil, a campanha internacional apoiada pela Justiça nos Trilhos tem como protagonistas duas comunidades maranhenses: Piquiá de Baixo, no município de Açailândia, e o quilombo Santa Rosa dos Pretos, na zona rural de Itapecuru-Mirim. As duas comunidades travam uma luta histórica contra as violências cometidas pela mineradora transnacional Vale S.A. Em Açailândia, a comunidade Piquiá de Baixo se organiza há mais de 10 anos em busca de um reassentamento coletivo tentando escapar dos altos níveis de poluição do ar, sonora e das águas do rio Piquiá causados pela Vale e pelas siderúrgicas que se instalaram na região nos anos 1980. Desde 2007 a comunidade é acompanhada pela Justiça nos Trilhos, e a partir de 2010 recebem a assessoria técnica de arquitetura da Usina CTAH. Em 2013, após muita luta, os moradores conquistaram a desapropriação de um terreno para a construção do novo bairro, longe da poluição. A Associação Comunitária dos Moradores/as de Piquiá recorreu ao único programa de habitação do Brasil, o Minha Casa Minha Vida, para conseguirem um financiamento. A modalidade do Programa “Entidade” possibilitou a autogestão da obra conforme os princípios e sonhos da comunidade. A construção das casas e do novo bairro começou em 2019. Agora, utilizando a campanha internacional como ferramenta de comunicação e articulação, as famílias de Piquiá de Baixo buscam garantir que o Rio Piquiá e outros cursos d’água da região deixem de ser contaminados pelas siderúrgicas e pela mineradora transnacional. Santa Rosa dos Pretos: a luta para recuperar um igarapé cimentado Há mais de 80 anos, os quilombolas de Santa Rosa dos Pretos, em Itapecuru-Mirim, Maranhão, enfrentam a poluição, assoreamento e aterramento de seus cursos d´água, como igarapés e rios, seja pela Estrada de Ferro Carajás, da transnacional de mineração Vale S.A., seja pela estrada de ferro Transnordestina, pelos três linhões de energia da Eletronorte e dois da CEMAR (Companhia Energética do Maranhão), seja pela BR 135, do governo federal. Todos esses grandes empreendimentos violam o direito à água dos quilombolas, que também perdem sua fonte de alimento e renda ao ficarem sem os peixes que sempre pescaram. Os empreendimentos também retalham o território quilombola, roubam porções de terras produtivas, causam poluição sonora, do ar, e centenas de mortes por atropelamento no caso da BR e das estradas de ferro. As lideranças de Santa Rosa dos Pretos denunciam essas violações há anos, em diversas instâncias dos órgãos públicos, na imprensa, nas discussões junto a movimentos sociais e entidades aliadas da luta. Em 2011, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou uma Ação Civil Pública (ACP) contra Vale S.A. e Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais) por violações cometidas por ambos contra quilombolas de Santa Rosa dos Pretos e de Monge Belo na duplicação da Estrada de Ferro Carajás (EFC), da Vale. Com apoio da assessoria jurídica da Justiça nos Trilhos, Santa Rosa dos Pretos conseguiu que a transnacional fosse condenada em 2012 a realizar uma série de reparações e ações de mitigação dos impactos causados. Entre as reparações, está a recuperação de um igarapé que a empresa concretou e fez praticamente secar – o igarapé tinha fama entre os quilombolas por ser rico em peixes e de não secar nunca, nem durante o verão nordestino. Sete anos depois da condenação, a empresa nunca recuperou o igarapé e nem cumpriu com a maioria das obrigações às quais foi submetida em juízo. Por meio da campanha, os quilombolas buscam denunciar mais esta violação cometida pela Vale S.A. e garantir que, pela articulação com outros povos afetados pela EFC, a transnacional recupere o igarapé que soterrou. Protagonismo jovem Para além das denúncias e notícias dos enfrentamentos travados pelas duas comunidades contra a Vale e suas violências, a campanha internacional protagonizada no Brasil por Santa Rosa dos Pretos e Piquiá de Baixo tem seu foco principal na articulação política entre os jovens das duas comunidades, de modo que se reconheçam e se apoiem na luta pela água, pela terra e pelo território. Ao longo da campanha, estão previstas viagens de intercâmbio de jovens das duas comunidades e atividades de formação política e produção de conteúdo jornalístico pelos próprios jovens, que alimentarão grande parte da página do Brasil inserida no site da campanha internacional. A comunicação foi a ferramenta de luta política escolhida para este processo de integração e articulação das juventudes de Piquiá de Baixo e Santa Rosa dos Pretos. Problema da mineração e das transnacionais As atividades de mineração, especialmente as desenvolvidas por empresas transnacionais, são, em sua essência, violentadoras de povos tradicionais, camponeses e do ambiente natural. As transnacionais de mineração baseiam sua atuação na expropriação da terra, da água, no monopólio da água, na violência contra os corpos e os modos de vida de povos originários, tradicionais e camponeses. A mineração é uma cadeia de práticas insustentáveis do ponto de vista humano, ambiental e ético. Os desastres ambientais, como vazamentos, grandes contaminações e rompimento de barragens, como os vistos em Mariana e Brumadinho, são a face mais explícita das violações praticadas e permitidas pelas mineradoras sobre os povos, seus territórios e o ambiente. Existe, porém, um horror diário vivido pelas populações afetadas por estas empresas. Poluição sonora, do ar, da água e doenças decorrentes de contaminações, entupimento e assoreamento de rios e igarapés, desmatamentos, atropelamentos de pessoas e animais em estradas de ferro que transportam o minério saqueado, militarização de territórios, violência policial, intimidações, cooptações, racismo generalizado. A possibilidade de uma mineração sustentável não existe. A escolha que se coloca ao mundo nesse momento de absoluta exaustão da natureza – da água principalmente – é: ou a mineração, ou a vida. Acompanhe as notícias, vídeos, ensaios fotográficos e podcasts sobre a luta de povos tradicionais e camponeses na Argentina, Brasil, Colômbia e Peru por seu direito à àgua e contra o monopólio da água pelas mineradoras transnacionais.

581 motoristas por aplicativos já foram regularizados em Imperatriz

TRANSPORTE

Medida visa garantir mais segurança aos usuários dessa modalidade de transporte

por Gil Carvalho

Depois que a Prefeitura de Imperatriz, através da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes, Setran, iniciou a fiscalização dos veículos de transporte de passageiros por aplicativo, 581 motoristas resolveram legalizar o Conduapp, Cadastro Municipal de Condutores de Aplicativo. Medida visa oferecer mais segurança aos usuários e profissionais do volante.
De acordo com o agente Alcione Bueno, coordenador de Transportes da Setran, 956 motoristas já efetuaram o cadastro. “Todo procedimento começou quando os condutores se deslocaram à Setran para preenchimento do requerimento de cadastro e solicitaram uma declaração para que possa ser apresentado no SEST-SENAT, habilitando-o a fazer o curso de motorista de veículo de transporte autônimo de passageiro por aplicativo, com carga horária de 25 horas aula”, explicou.
Além disso, para que possa ser emitido o Conduapp é necessário que o motorista apresente na Setran cópia da Carteira Nacional de Habilitação, CNH, duas fotos 3 x 4, cópia do documento do veículo, cópia de comprovante de residência no município de Imperatriz, diploma de curso concluído ou pelo menos comprovação que está matriculado no curso e certidão de antecedentes criminais emitidos pelos órgãos estadual e federal.
“Após ultrapassada essa etapa de entrega e análise da documentação, é feita a liberação do condutor para apresentar o veículo para vistoria no pátio da Setran, mediante pagamento da taxa de R$ 42,00”, ressalta Alcione Bueno.
O vistoriador, Getúlio França, observa que durante a inspeção veicular são observados itens gerais de segurança do veículo, como por exemplo, condições de uso dos pneus, funcionamento das luzes (farol, buzina, luz de ré, luz de freio, luzes de indicadoras de mudança de direção) e equipamentos obrigatórios de segurança. “Os veículos não podem ter mais de 10 anos de fabricação”, avisa.

Imagens:

Evento Criança Feliz Esporte e Lazer realiza dia de brincadeiras

NCLUSÃO

Ação foi realizada no estádio Municipal Frei Epifânio e recebeu mais de 200 crianças

por Dema de Oliveira

A Prefeitura de Imperatriz, com coordenação da Secretaria Esporte Lazer e Juventude, Sedel, realizou na manhã de sábado, 12 de outubro, no Dia das Crianças, manhã de brincadeiras, diversão e muito esporte. Ação foi realizada no Estádio Municipal Frei Epifânio e recebeu 210 crianças dos bairros da cidade e de povoados da zona rural de Imperatriz.
Foram disponibilizados para a diversão da criançada, jogos de dama, badminton, jiu-jitsu, queimada, xadrez, tênis de mesa, além de pula corda, corrida do saco e bambolê. Entretanto, quem teve mais equipes inscritas foi o futebol, com 14 participantes, sendo 7 da categoria Sub-10 (pré-mirim) e 7 Sub-12 (mirim).
As equipes do Sub-10 foram Marília, Criança Bom de Bola, Tocantinense, Bela Vista (TO), Olho D’Agua, Sebastião Régis e JV Lideral. O titulo do Sub-10, ficou com a equipe do Bela Vista (TO), que venceu a Vila Conceição II por 1 a 0, na final. As equipes do Sub-12 (mirim), foram Marília, Tocantinense, Bela Vista (TO), Criança Bom de Bola, Vila Conceição II, Marwel e Atletas de Cristo. O campeão do Sub-12, foi o JV Lideral, na decisão contra o Tocantinense, que venceu por 1 a 0 e conquistou o titulo.
No final dos jogos, campeão e vice receberam troféus e medalhas, bem como todas crianças que participaram dos outros eventos esportivos que foram disponibilizados pela Sedel. Também foram distribuidos lanches para as crianças além de prêmios, através de sorteio. 
O treinador do Tocantinense, Gilmar Moura, que foi um dos finalistas do futebol na categoria Sub-10, disse que viu com bons olhos evento promovido pela Prefeitura. “Nosso futebol tem sempre de manter esse espirito, voltado para criança porque serão certamente os craques do futuro. Está de parabéns o prefeito Assis Ramos e a Sedel pela a organização. Todos os dias a gente sabe que são das crianças, mas hoje é especial, porque todos estão se divertindo e brincando”, destacou Gilmar Moura.
O médico Daniel Fiim, compareceu ao evento, acompanhado do filho que disputou o futebol por uma das equipes. O esporte serve como inclusão social e afasta as crianças de ambiente nocivo, em que não devem estar. “Uma manhã como esta em que a criança é chamada para a prática do esporte, para confraternizar, para se integrar, só vem alegrar nossa cidade, região e corroborar mais uma vez com o grande trabalho da Prefeitura”, enfatizou.
Conceição Damasceno, mãe de uma das crianças que foram no evento Criança Feliz Esporte e Lazer, se expressou no evento: “É muito bom evento como esse, porque incentiva as crianças a se desenvolver mais na vida. Meu filho mesmo, antes de começar a jogar bola não se interessava na escola e depois disso, tudo mudou. Está mais esforçado e mais obediente”, frisou.
O prefeito em exercício, Alex Rocha, esteve presente no evento. “As atividades proporcionadas por este projeto são importantes, porque levam bem estar e reforçam a autoestima das crianças oferecendo uma manhã alegre. É uma ação de inserção na sociedade e mostra que o poder publico municipal também olha para os jovens”, destacou o prefeito em exercício.
“Construímos uma atividade focado no lazer para comemorar dia das crianças com o intuito de proporcionar algo diferenciado. Agradeço toda a equipe da Sedel pelo empenho e dedicação para que tudo desse certo”, disse ao finalizar o evento, o secretário Esporte Lazer e Juventude, Sedel, Luiz Gonzaga Pereira Sousa.

Imagens:

Hildo Rocha homenageia professores, em Sessão Solene da Câmara


Em pronunciamento na tribuna da Câmara, durante Sessão Solene em homenagem ao Dia dos Professores, o deputado federal Hildo Rocha destacou a importância do papel exercido pelos profissionais da educação, na formação das novas gerações.
Rocha enfatizou que nada de grandioso se constrói sem educação, especialmente na atualidade em razão das rigorosas exigências do mercado de trabalho, que exige, crescentemente, pessoas com alta qualificação. De acordo com o parlamentar, o papel dos professores é fundamental para a preparação dos estudantes, em todos os níveis de escolaridade.
“Há professores cujo exemplo e sabedoria imprimem marcas profundas na alma dos estudantes, compondo o complexo conjunto de elementos que formam o caráter das futuras gerações”, afirmou o deputado.

Professores merecem prestígio
Hildo Rocha ressaltou que poucos professores brasileiros gozem do prestígio que a profissão merece e das condições necessárias para bem desempenhar o seu mister.
“É de se lamentar porque este é um dos mais nobres e férteis ofícios que se conhece. Especialmente na educação básica pública, um vasto número de professores carece de remuneração compatível com o cargo que lhe permita condições mínimas de segurança e conforto para si e para a sua família. Se não bastasse, nossos mestres são privados de instrumentos pedagógicos básicos. Com frequência, a própria estrutura física das escolas é inadequada, insuficiente ou mesmo precária”, lamentou.

Violência no ambiente escolar
O parlamentar disse que a violência, que abunda país a fora, também alcança o ambiente escolar. “São muitos os casos de agressões físicas e psicológicas a que são submetidos os professores brasileiros. O tráfico de drogas também avança sua influência sobre colégios e universidades, vulnerando a integridade de professores e estudantes. O resultado deste cenário é, evidentemente, a desmotivação dos nossos mestres, que só persistem pela lealdade com o dever e pelo amor ao ensino”, destacou.

Pesquisa revela descontentamento com a profissão
Hildo Rocha citou dados da pesquisa do Todos pela Educação, intitulada Profissão Docente. “O estudo que ouviu professores do ensino básico nos apresenta informações importantes para a formulação de políticas públicas. Com base na pesquisa, consternados soubemos que quase metade dos professores não recomenda a profissão e que 29% tem de realizar trabalhos extras para complementar seus rendimentos. Além disso, nada menos que 33% dos professores ouvidos estão totalmente insatisfeitos com a carreira”, ressaltou o deputado.
O parlamentar finalizou afirmando que a situação exige empenho dos legisladores e gestores da área de educação, de todos os níveis da federação, a fim de que encontrar soluções para a situação dos professores e aplicá-las com a máxima urgência.
“Sabemos que existem muitas áreas que estão a exigir atenção das autoridades públicas, mas a educação, como base da sociedade, merece prioridade e merece urgência. Professores vocês podem contar com o meu apoio, para esse desafio”, afirmou Hildo Rocha.

1ª audiência pública para discutir o Zoneamento Ecológico e Econômico no Maranhão ocorre em Imperatriz


Pesquisadores, autoridades e representantes comunitários estiveram presentes para discutir as propostas do relatório
Ocorreu nessa quarta-feira (16), no Auditório da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão, a 1ª Audiência Pública para discutir as propostas do Relatório de Zoneamento Ecológico e Econômico do Maranhão (ZEE-MA). O relatório desenvolvido por uma parceria Governo do Estado, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Federação de Agricultura e Pecuária do Maranhão (Faema), o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc) e a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), tem por objetivo discutir e promover o fortalecimento da produção agropecuária, aliada à preservação ambiental no Maranhão.
Durante a audiência, autoridades e especialistas apresentaram os resultados da primeira etapa do relatório que corresponde ao Bioma Amazônico para que a população tome conhecimento e ajude na elaboração do ZEE – MA, como explica o pesquisador sênior do ZEE – MA, Luís Jorge Dias. “Há três meses foi apresentado durante a Expoimp o diagnostico de todos os temas integrados do bioma amazônico maranhense, que envolve 108 municípios e 110 quilômetros quadrados dentro do território estadual, e hoje foi iniciada a etapa com as audiências publicas. Vamos apresentar um conjunto de estudos para toda a população e ouvir de todos que estão aqui representados, para que juntos possamos amadurecer as ideias de políticas públicas integradas para a próxima década”.
O presidente do Sindicato Rural de Imperatriz (Sinrural), Armelindo Ferrari, esteve presente e destacou a importância do ZEE para o desenvolvimento do setor rural do estado. “O ZEE é para a cadeia produtiva de modo geral do Maranhão. Nós temos o privilégio de estar falando de um novo código florestal e do novo ZEE para o estado e isso é muito importante para o desenvolvimento de todo o estado. Sentimos que estamos no caminho certo, porque o Maranhão é um estado agrícola e pecuarista e, é para isso que estamos trabalhando”, ressalta Ferrari.
Diversos representantes comunitários estiveram presentes para questionar e opinar sobre a metodologia e resultados apresentados durante a audiência. Além de Imperatriz, as cidades de Santa Inês, Grajaú, Pinheiro e Governador Nunes Freire também promoveram, ainda nessa semana, audiências públicas para discutir o ZEE – MA.
Mais sobre o ZEE – Para saber mais informações sobre o ZEE – MA, basta acessa o site oficial do programa: http://www.zee.ma.gov.br

Sinfra e Codevasf vistoriam obra de construção do Shopping da Cidade

DESENVOLVIMENTO

Serão mais de 260 boxes que serão utilizados pelos vendedores autônomos

por Gil Carvalho

A obra de construção do Shopping da Cidade, orçada em R$ 3 milhões, que abrigará vendedores autônomos e comerciantes do antigo camelódromo está em andamento na Praça Tiradentes, Centro. O complexo é resultado da luta do prefeito Assis Ramos que viabilizou junto ao senador Roberto Rocha (PSDB) recursos para execução do novo centro de compras popular de Imperatriz.
O secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Zigomar Filho, acompanhado dos engenheiros Demosthenes Sousa, Pedro Henrique, Saulo Israel e do coordenador de Obras, Joselito Sultepa, e o superintendente regional da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, Codevasf, Jones Bragas, realizou vistoria ao canteiro de obras para verificar o cronograma de execução do projeto.
“Essa obra está sendo construída em uma área de 4.525,64 mil metros, onde terá mais de 260 boxes que serão utilizados pelos vendedores autônomos, visando readequá-los em um local amplo e moderno”, observa o secretário Zigomar Filho que, assim como a Codevasf, acompanha a qualidade, cronograma e prazo de execução da obra.
Ele assinala que a construção do Shopping da Cidade “é a realização do sonho dos trabalhadores que, ao longo dos últimos anos, atuam no local e esperavam por essa obra que impulsionará o setor comercial. O shopping significa a retomada comercial deste ponto que durante muitos anos estava praticamente esquecido”, concluiu.

Imagens:

Feirinha do Bacuri recebe projeto Abrindo Mercado

INCENTIVO

Evento reúne música ao vivo e serviços gratuitos para a população

por Rafael Pestana

No próximo domingo, 20 de outubro, a Prefeitura, por intermédio da Fundação Cultural de Imperatriz, FCI, dará continuidade ao projeto itinerante Abrindo Mercado. Dessa vez, a ação será realizada na Feirinha do Bacuri, a partir das 8h. A iniciativa, que tem como objetivo incentivar a cultura e as feiras populares da cidade, já está em sua 24° edição.
O presidente da Fundação Cultural, José Carneiro Buzuca, destaca que “esse é um projeto muito importante para a cidade, pois além de fomentar a movimentação das tradicionais feirinhas populares, nós também trabalhamos com o fomento a cultura e divulgação dos artistas regionais. A gestão do prefeito Assis Ramos tem esse compromisso”.
Como já é tradicional no Abrindo Mercado, os frequentadores da feirinha do Bacuri podem concorrer a um violão, sendo necessário apenas a doação de um quilo de alimento não perecível. No fim do evento, todos os alimentos arrecadados serão destinados para uma instituição de caridade.
Para animar a manhã de compras dos moradores que frequentam a feira no bairro Bacuri, o cantor Jorge Baião de Dois fará um show aberto. A atração entoará clássicos do forró nordestino, com um repertório misto entre melodias autorais e regravações, o público pode contar com as músicas “Respeita Januário” e “Colo de Menina”.
Além da atração cultural musical, o público que prestigiar o evento, também poderá participar da ministração de uma oficina de maquiagem, através de parceria com a empresa Mary Kay, realizar design de sobrancelhas, com a profissional Layane Santiago e terá também direito a cortes de cabelo com o barbeiro Cleiton Pangaro. Todos os serviços são ofertados de forma gratuita, graças às parcerias firmadas pela Fundação Cultural de Imperatriz.

Imagens:

Edital do Concurso mais esperado do ano em Imperatriz sairá dia 31

OPORTUNIDADE
Serão 1771 vagas com remunerações mensais que vão de R$ 1.150 a R$ 6.000.

por Ariel Rocha

Com 1771 vagas previstas para cargos efetivos, entre chamada imediata e cadastro de reserva, o edital do concurso mais esperado do ano em Imperatriz sairá dia 31 de outubro, uma quinta-feira. A execução do mais novo concurso público é a forma da gestão suprir o quadro funcional em déficit na Administração Municipal. Os cargos são para o nível de escolaridade médio e superior, com remunerações mensais que vão de R$ 1.150 a R$ 6.000.
A realização desse concurso é mais uma promessa cumprida da gestão Assis Ramos. Segundo o secretário municipal de Administração e Modernização, Seamo, José Antônio Pereira, os trâmites legais estão na fase final da contração da banca organizadora. “Só falta finalizar o contrato com a empresa. Com a aprovação do projeto de Lei na Câmara, estamos na etapa final de contratação da empresa, através de licitação”, explicou.
O projeto de lei aprovado para a efetuação do certame estipula a quantia de 10% das vagas reservadas para pessoas com deficiência. Alguns cargos exigem Carteira Nacional de Habilitação, CNH, tipo A e B. Outros requerem o certificado de cursos profissionalizantes em determinadas áreas. Todas as exigências, salários, função e carga horária semanal poderão ser observadas detalhadamente no edital.
Essa é uma boa oportunidade para aqueles que pretendem seguir carreira no serviço público. O professor de cursos preparatórios para processos seletivos, Roniel de Melo, comenta que a preparação do candidato é o principal ponto para conseguir ter sucesso no concurso da Prefeitura. "Para quem pretende passar, primeiramente indico a busca de materiais para estudo, materiais físicos ou online. É importante também estabelecer uma rotina de estudos, se tiver pouco tempo, tenta encaixar ali no intervalo do trabalho ou nas folgas. Determinação e foco são essenciais para conseguir passar", explicou. 
Ainda de acordo com o projeto aprovado na Câmara de Vereadores e sancionado pelo Prefeito, a Seamo poderá instituir cursos de formação continuada para a capacitação, especialização e aperfeiçoamento do servidor público. Na responsabilidade da pasta, forma-se a Escola de Governo de Imperatriz, EGOV-ITZ. Os programas de formação poderão ser efetuados numa parceria entre a Escola e entidades públicas ou privadas, que certamente vão passar por um processo de aprovação e credenciamento.

Imagens: