quinta-feira, 3 de outubro de 2019

Salimp é a maior feira literária do Maranhão

INCENTIVO

Este é um dos cinco eventos mais importantes do Nordeste

por Ariel Rocha

Entre os dias 04 e 10 de outubro acontece mais uma edição do grande Salão do Livro de Imperatriz, Salimp. Com uma programação cultural extensa e intensa, o célebre homenageado do ano é o renomado professor e escritor Manoel de Sousa Lima. 
O começo da maior feira literária da região foi na famosa Praça da Cultura, há 17 anos. A tímida iniciativa foi do consagrado cantor, compositor e poeta, Zeca Tocantins. Primeiro, intitulada de Semana Imperatrizense de Literatura - Feira do Livro, o evento contava com a participação de poucos stands para a comercialização de títulos e a limitada oferta de palestras e oficinas para o público.
Ao longo dos anos a feira literária cresceu, passou a atrair mais interesse do público regional e, após sete anos da sua criação, se transformou no Salão do Livro de Imperatriz. A praça já não era espaço suficiente, e a feira teve que migrar para o Centro de Convenções da cidade.
Com a popularidade e notoriedade adquiridas, o Salimp passou a integrar o circuito nacional de eventos literários. Então, todos os anos essa marca cultural da região ganha vida durante dez dias em Imperatriz, com diversos stands de livros, milhares de visitantes e sempre com uma programação impecável.
O Salão do Livro é atualmente a maior feira literária do Maranhão e uma das cinco maiores do Nordeste. O evento não conta apenas com a comercialização de livros, mas também com uma variedade de atividades culturais que são desenvolvidas, como shows, palestras, lançamentos de obras, concursos, cursos, oficinas e muito mais.
O professor e escritor Marcos Fábio Belo Matos, se prepara para lançar dois livros durante essa edição do evento. Os lançamentos vão ocorrer em um momento da programação chamado "Chá das Letras", que acontece pela primeira vez dentro da feira. "O primeiro livro é um de crônicas e ganhou o prêmio Edelvira Marques de Literatura, da Fundação Cultural de Imperatriz. O segundo é um de histórias ficcionais sobre a cidade, realizado juntamente com alunos meus do Curso de Jornalismo", explicou sobre as obras.  
A feira é uma realização da Academia Imperatrinzense de Letras, AIL, e conta com o apoio de vários órgãos, Prefeitura, instituições e empresas. No Brasil, é a única feira literária feita por uma academia de letras. Diante disso, é possível compreender a grandiosidade de um evento como esse no interior do Estado, que desde 2018 carrega o título de Patrimônio Cultural e Imaterial do Maranhão.
Tem a fama de formar jovens leitores, nas habituais visitas de alunos levados pelas escolas - por vezes, esse é o primeiro contato com o mundo da literatura. Livreiros de todo o país marcam presença, com títulos de editores reconhecidos ou não. E as pequenas promoções e os preços populares dos livros chamam a atenção dos frequentadores.
A história do universitário e jovem escritor imperatrizense João Marcos dos Santos com o Salão do Livro começou em 2009, em uma visita escolar. Fazendo o 7º ano do Ensino Fundamental na época, começou a ler mais e até passou a escrever suas histórias a partir desse contato. "O Salimp tem um papel de formação mesmo, assim como aconteceu comigo. Não perco esse evento, todos os anos junto dinheiro e sempre saio de lá com no mínimo uns dez livros na sacola", contou.  
Todos os anos, os organizadores envolvidos trazem um tema de relevância social ou relacionado à nossa região. A exemplo deste ano, que realiza uma homenagem a uma característica de nossa terra, com o tema "Os grandes vultos da cultura literária sertaneja".
Personalidades que marcaram a história do nosso município também são rememoradas durante a programação. Autores locais lançam suas obras e artistas daqui divulgam seus trabalhos. A verdade é que a atenção da cidade se volta para esse grande evento cultural, que traz luz e conhecimento para toda a cidade. 

Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário