quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

CAPS contabiliza mais de 49 mil atendimentos

BALANÇO DE AÇÕES

Centro acolhe pacientes com transtornos mentais os estimulando à integração social e familiar

por Kalyne Cunha

O Centro de Atenção Psicossocial, CAPS, de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde, Semus, realizou neste ano, o total de 49.731 atendimentos. Os CAPS são responsáveis por serviços direcionados às pessoas que apresentam transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar, obsessivo-compulsivo e com quadro de uso nocivo e dependência de substâncias psicoativas, como álcool, cocaína, crack e outras drogas.
A coordenadora geral do CAPS, Kátia Carvalho, explica que o atendimento humanizado é uma forma de desmistificar o papel social do psicólogo e psiquiatra no meio em que as pessoas só procuram auxílio médico depois que adoecem. “Com atendimento diferenciado, aumentou o número de pessoas procurando pelos serviços da Saúde Mental do município. Bom mesmo seria se cada um de nós fizesse terapia, pois evitaria muitas crises ou até mesmo o adoecimento. A humanização está inserida na metodologia dos serviços ofertados à população, que se inicia com a chegada do paciente na recepção, até o acolhimento com o médico”.
O médico do CAPS, José Wilson Rodrigues, ressalta quais ocorrências são mais periódicas na saúde mental. “A maior incidência de transtornos são os de ansiedade e depressão e os casos de esquizofrenia que atende um por cento da população. Sobre os atendimentos por faixa etária, aumentou a procura no número de crianças e jovens".
A enfermeira plantonista da instituição, Nadja Paiva, enfatiza que “a área de atuação da assistência de enfermagem faz a triagem das pessoas que chegam com problemas psiquiátricos. Atuamos cuidando, escutando e observando o paciente e sua família, pois ela é o principal apoio nesse momento”.
Patrício Silva que é coordenador do CAPS III, descreve a melhoria dos serviços na área de Saúde Mental do município. “Atualmente é nítido observar as pessoas com transtornos mentais sendo tratadas no meio aberto, elas estão no local em que escolheram estar que é um direito assegurado por lei. No manicômio, as pessoas se apresentavam em estado de total decadência e hoje dentro do CAPS, não conseguimos diferenciar o paciente do acompanhante, que se apresenta estabilizado”.
Sobre o atendimento diferenciado, a assistente social, Larissa Carvalho, fala da importância do acolhimento. “Somos responsáveis por acolher tanto o paciente, quanto a família. Temos o papel de dar assistência com mais humanidade, dignidade oferecendo uma escuta mais qualificada e partir desse ponto fazer os encaminhamentos e prestar o atendimento que é devido àquele quadro”.
A equipe multiprofissional acolhe o usuário em estado de crise ou surto e o medica, nesse caso o paciente não precisa de internação, o contrário o tratamento dura 15 dias e após esse período, já pode ser acompanhado no Ambulatório da Saúde Mental, ou no CAPS III, mas sem a necessidade de permanência.
A medicação receitada pelo médico é adquirida de graça na Central de Abastecimento Farmacêutico, CAF, localizada no Complexo de Saúde dos Três Poderes. Para os pacientes acolhidos, a medicação é fornecida pela instituição.
Confira o número de atendimentos realizados por cada CAPS em 2019
CAPS Infanto Juvenil – 12.729;
CAPS AD III Álcool e Drogas – 14287;
CAPES III Renascer – 13105;
Ambulatório de Saúde Mental – 9610.

Saiba qual unidade do CAPS  melhor lhe atenderá 
CAPS AD III Álcool e Drogas – CAPS AD Girassol
O atendimento é realizado para pessoas com transtornos decorrentes do uso de substâncias psicoativas, álcool e drogas, e também de seus familiares.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Faixa etária: todas as faixas.
Acolhimento noturno e observação: 8 a 12 vagas.
Endereço:  Rua Projetada B, Complexo de Saúde, Parque Anhanguera.
CAPS III - Renascer
A unidade atende pessoas com transtornos mentais persistentes, inclusive pelo uso de substâncias psicoativas e seus familiares.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Acolhimento noturno e observação: 8 vagas.
Faixa etária: todas as faixas.
Endereço: Rua Projetada B, Complexo de Saúde, Parque Anhanguera.
CAPS Infanto Juvenil
Atende crianças e adolescentes com transtornos mentais graves e persistentes, inclusive pelo uso de substâncias psicoativas.
Horário de funcionamento: 8 às 18h.
Faixa etária: crianças e adolescentes.
Endereço: Rua Itamar Guará, Nº 2223, Três Poderes.
Ambulatório da Saúde Mental
Profissionais atuam no tratamento de usuários que apresentam transtornos mentais mais prevalentes, mas de gravidade moderada, como transtornos de humor, dependência química e ansiedade.
Horário de funcionamento: 7 às 18h.
Faixa etária: acima de 18 anos.
Endereço: Rua Amazonas, Nº 520, Centro.
Sobre os serviços do CAPS ofertados à população há ainda, o atendimento individual e em grupo, oficinas terapêuticas, pedagógicas e de alfabetização, atendimento familiar, grupos terapêuticos e visitas domiciliares, triagem, atendimento médico.
Documentos necessários para atendimento
O atendimento é demanda espontânea e o usuário faz uma triagem com a equipe multiprofissional formada por psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, educador físico, nutricionista, enfermeiro, técnico de enfermagem, farmacêutico.
Para ser atendido nas unidades do CAPS ou ambulatório de saúde mental, o usuário deve apresentar documento de identidade com foto, comprovante de residência e Cartão do Sistema Único de Saúde, Sus, do município.





Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário