quinta-feira, 30 de abril de 2020

Casa Abrigo está em pleno funcionamento

APOIO

O Brasil é um dos países que mais pratica violência doméstica contra mulher

por Islene Lima

A Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Políticas para Mulher, SMPM, informa que a Casa Abrigo Dra Ruth Noleto, funciona 24 horas por dia para atender mulheres em situação de vulnerabilidade. Serviço oferece acolhimento às vítimas de violência doméstica e familiar, bem como seus filhos menores de idade, que estejam em risco. Serviço é essencial e não parou mesmo com a pandemia da Covid-19. 
Edna Ventura, secretária da SMPM, explica a importância de oferecer apoio, principalmente nesse período de quarentena, quando os índices de violência contra mulher aumentaram. "Aqui oferecemos proteção, segurança, apoio por meio de uma equipe multiprofissional estruturada e capacitada para os mais diversos atendimentos". 
A assistente social da Casa Abrigo, Conceição Sousa, explica que em 2020 já foram acolhidas 07 mulheres. "Nesse período de pandemia, além de receber mulheres encaminhadas pelos serviços que compõem a Rede de Atendimento, estamos realizando contatos telefônicos com as mulheres atendidas nos últimos 12 meses, prestando as mais diversas orientações. Em virtude desses contatos, foram identificadas mulheres em situação de insegurança alimentar, as quais foram concedidas cestas básicas".
Além disso, seguindo as diretrizes do Protejo de Lei 1444/20 durante a emergência de saúde pública decorrente da Covid-19 a União, estados e os municípios asseguram recursos extraordinários emergenciais para garantir o funcionamento das casas abrigo e dos Centros de Atendimento Integral e Multidisciplinares para Mulheres. Portanto a Casa Abrigo é considerado essencial, e funciona em sistema de plantão, para receber as mulheres que possam ser encaminhadas à qualquer hora do dia ou da noite.
Seguindo as medidas de proteção, a secretaria tem dado todo apoio no fornecimento de máscaras, álcool em gel e produtos de limpeza, para que todos que prestam serviços trabalhem de forma segura. "As ações seguem funcionando normalmente. Por isso, durante a quarentena, é importante reforçar os canais de denúncias", afirma Edna. 
Em caso de violência doméstica contra mulher, qualquer pessoa pode acionar os centros de referência especializados, registrar boletim de ocorrência junto às delegacias da mulher ou em qualquer delegacia comum. Denúncias podem ser feitas pelos seguintes números: (99) 99193-1717 / 99123-4638 / 99204-7925. É disponibilizado também em todo território nacional o 180 e o 190 da Polícia Militar.



Imagens:

Nenhum comentário:

Postar um comentário