segunda-feira, 4 de maio de 2020

Franciscano aprova adiamento da expoimp 2020



O empresário e produtor e ex-presidente do sindicato rural de Imperatriz, Francisco Santos Soares, o franciscano elogiou a tomada de posição da diretoria do sinrural ao adiar para o mês de outubro a realização da Exposição Agropecuária de Imperatriz que seria realizada em julho por conta da pandemia do coronavírus.
De acordo com ele que também e produtor agricolas, o momento é de indefinições e incertezas e não teria como o sinrural administrar esta situação para a realização da expoimp, até porque, os preparativos para sua realização começam no ano anterior e agora a diretoria deveria estar ultimando os preparativos para o evento.
"Estamos em maio, um periodo de 60 dias para a realização da feira e o sinrural trabalha a organização com meses de antecedencias para então em julho ocorrer o evento. Fatos que acabaram não sendo possivel fazer e isso claro, sem contar os contratos com atrações, expositores e rodeios, que precisam ser feitos com antecedencia. Sem uma definição de que tudo estará normalizado, estes contratos não foram feitos pois corriam o riscos de serem cancelados e pagamentos de multas", destacou.
No setor de produção rural, franciscano disse que a situação  ainda não é de desespero, apesar da queda no consumo dos produtos provinientes do gado, mas que, os produtores rurais estão trabalhando no limite e espera que o governo estenda as mãos aos produtores, sejam, pequenos, médios ou grandes.
Principal produtor de grãos naq região norte do estado, com mais de cinco mil hectares de terras plantadas de soja e milho, franciscano, revela que a maioria dos produtores já haviam vendidos suas safras e agora estão entregando. No entanto, fez um alerta, há ainda um grande risco da suspensão dos contratos com os compradores preferindo pagar a multa do que o pagamento de todo o contrato.
"É um risco que todos corremos, afinal, e um momento desconhecido por todos nós. Mas espero que os contratos sejam honrados e possamos atravessar esta crise com menos prejuizos e manter a economia do estado em situação de instabilidade", enfatizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário